É preciso confessar uma coisa. Embora existam dezenas de desafios no Mude.nu, a maioria dos visitantes chega ao site simplesmente querendo saber como ser uma pessoa melhor.

Para alguns, isso significa ser mais produtivo. Ou entrar em forma. Ou trabalhar no que se ama.

Os desafios, na verdade, simplesmente canalizam um desejo que todos nós temos de melhorarmos um pouco a cada dia.

Neste artigo, vamos procurar aprofundar as razões dessa busca sobre como ser uma pessoa melhor. Ao longo do texto, veremos em detalhes:

  • Por que você quer ser uma pessoa melhor?
  • O que significa ser uma pessoa melhor
  • Como ser uma pessoa melhor seguindo as descobertas da ciência
  • A importância de um processo de melhoria contínua

Com esse roteiro, fica claro que a primeira pergunta que você deve se fazer é…

Por que você quer ser uma pessoa melhor?

Como ser uma pessoa melhor
Antes de fazer qualquer coisa na vida, sempre é bom perguntar-se por que você quer fazer aquilo.

Saber como ser uma pessoa melhor é algo muito, muito vago. Algo que foge completamente ao componente “específico” das chamadas Metas Smart.

Grandes pensadores da história já se debruçaram sobre esse tema.

Aristóteles, por exemplo, dedica boa parte de sua obra ao tema do aprimoramento das virtudes.

Para ele, o homem deve aperfeiçoar-se naquilo que o distingue de todas as outras coisas, isto é, a razão. E esse aperfeiçoamento vem com o tempo, sendo fruto essencialmente da educação e do hábito.

Está gostando deste texto?

Conecte seu Facebook para encarar desafios, encontrar parceiros e vencer seus objetivos. É gratuito, basta um clique no botão abaixo:

jfb_p_buttontext

As duas virtudes aristotélicas

Aristóteles divide as virtudes em duas categorias:

  1. A virtude intelectual: adquirida por meio da educação contínua, tem como objeto o próprio saber e a contemplação.
  2. A virtude moral: adquirida pelo hábito, tem como objeto os atos práticos da vida cotidiana.

Ambas só são adquiridas pelo exercício.

Você se torna justo praticando atos justos. Você se torna paciente exercitando a paciência. Você se torna uma pessoa caridosa praticando atos de caridade.

Esses atos precisam ser moderados, para que a virtude não se transforme em um vício.

Por exemplo, todos nós concordamos que a coragem é uma virtude admirável. Quem tem coragem de menos é visto como um covarde. Mas quem tem excesso de coragem também tem um vício, o da temeridade.

Antes mesmo dessa conclusão aristotélica, Sidarta Gautama (563 a.C. – 483 a.C.), o Buda histórico, observou que o caminho do meio era o ideal para quem quer saber como ser uma pessoa melhor.

E que essa busca, embora infindável, serve para nos manter no próprio caminho, aproveitando a jornada da vida.

Eduardo Galeano (1940 – 2015) conseguiu explicar o porquê dessa utopia de forma magistral. Disse ele:

A utopia está lá no horizonte. Me aproximo dois passos, ela se afasta dois passos. Caminho dez passos e o horizonte corre dez passos. Por mais que eu caminhe, jamais alcançarei. Para que serve a utopia? Serve para isso: para que eu não deixe de caminhar.

Então, mesmo que você não encontre um porquê objetivo na sua busca sobre como ser uma pessoa melhor, saiba que apenas o fato de essa busca manter você em movimento já é todo o porquê de que você precisa.

O que significa ser uma pessoa melhor

Como ser uma pessoa melhor a cada dia
Ser uma pessoa melhor é um objetivo vago, que depende essencialmente da sua visão de mundo e do contexto cultural em que você vive.

Por exemplo, se você tem o minimalismo como uma visão de mundo, ser uma pessoa melhor pode significar desapegar-se cada vez mais dos bens materiais.

Por outro lado, se a lógica capitalista o move, ser uma pessoa melhor pode significar acumular cada vez mais patrimônio material.

Se você vive em uma comunidade Amish, ser uma pessoa melhor pode significar usar o mínimo possível de aparelhos eletrônicos.

Já se você faz é um ciberativista, seus pares o verão como uma pessoa melhor quanto mais você dominar a tecnologia.

Em regra, no entanto, ser uma pessoa melhor significa aprimorar virtudes que são consideradas universais ao longo do tempo, do espaço e dos contextos culturais.

Virtudes como a sabedoria, a justiça, a temperança e a coragem.

São aquelas habilidades que quase todos nós dizemos que gostaríamos de ter para sermos melhores seres humanos, apesar de muitas vezes deixamos passar a oportunidade de as exercer.

Para que isso não mais aconteça, vamos ver agora como ser uma pessoa melhor seguindo as descobertas da ciência.

Como ser uma pessoa melhor seguindo as descobertas da ciência

1. Esqueça a ideia de felicidade como um objetivo a ser alcançado

Como ser uma pessoa melhor para os outros
Sócrates e diversos outros filósofos gregos vinculavam a ideia de aprimoramento das virtudes à consecução da felicidade.

Naquela época, o foco estava na ação. No aprimoramento das virtudes, tendo a felicidade apenas como consequência lógica.

Atualmente, no entanto, muita gente coloca a própria felicidade como meta. Embora possa parecer uma atitude lógica, a ciência demonstrou o contrário.

Segundo um estudo da Universidade de Denver, querer ter felicidade faz de você uma pessoa menos feliz.

A pesquisa concluiu que buscam a felicidade como meta, paradoxalmente, sentem-se mais infelizes. E a razão é que a felicidade não é um estado permanente.

Quem busca ser feliz o tempo todo, em regra, só conseguirá ter frustração. A felicidade é uma emoção, e como tal, vem e vai ao longo do tempo conforme os estímulos aos quais somos submetidos.

Se você se desapegar da ideia de ter a felicidade como meta e simplesmente agir continuamente de acordo com as virtudes que valoriza, não apenas se tornará uma pessoa melhor, como paradoxalmente também tem maiores chances de se sentir mais feliz.

2. Pare de pensar em si mesmo

Como ser uma pessoa melhor
“Amarás ao teu próximo como a ti mesmo” foi definido por Jesus Cristo como o segundo maior de todos os mandamentos (Mateus, XXII: 34-40).

Todas as grandes religiões falam sobre a compaixão como uma virtude de quem quer se tornar uma pessoa melhor.

Mas, o que a maioria de nós faz?

Pensamos primeiro nos outros (muito mais numerosos) ou ficamos presos em um mundinho particular, supervalorizando dramas pessoais e subestimando nossas conquistas, privilégios e possibilidades?

Segundo uma pesquisa da Universidade de Harvard junto com a British Columbia, atos diários de bondade e altruísmo podem promover felicidade e maior satisfação de vida.

O estudo procurou medir a felicidade de famílias que praticavam doações em dinheiro para pessoas carentes. A conclusão foi a de que dinheiro pode sim comprar a felicidade, desde que destinado a ajudar os demais.

Conclusão semelhante foi obtida pelo prestigiado The Journal of Social Psychology.

Em um estudo de 2009, diferentes tarefas foram distribuídas a três grupos de pessoas.

Durante dez dias, um dos grupos foi tinha que fazer um ato de altruísmo. Outro tinha que tentar algo novo. E o terceiro grupo foi orientado a agir normalmente.

Ao final, os dois primeiros grupos tinham níveis de satisfação e felicidade mais elevados, mostrando que novas atividades e atos de compaixão podem melhorar significativamente a qualidade de vida.

3. Eduque-se continuamente

Melhoria contínua
Considerado o principal filósofo da era moderna, Immanuel Kant (1724 — 1804) afirmava que o homem não é nada além daquilo que a educação faz dele.

Se você quer saber como ser uma pessoa melhor, precisa transformar a educação em um hábito diário.

E quando falamos educação não estamos falando apenas de escola, faculdade e cursos livres.

Esse é o modelo tradicional de educação que, embora passível de críticas por anacronismo, continua tendo seu valor.

A educação continuada sobre a qual estamos falando aqui é aquela em que você mesmo, movido por um desejo de aprender coisas novas, empreende por sua própria conta e risco.

É a educação que faz você aprimorar virtudes como a sabedoria, a justiça, a temperança e a coragem.

Ela está disponível para você ao alcance de um clique, em textos, vídeos e áudios em uma abundância jamais vista na história da humanidade.

Boa parte das incertezas, inseguranças e problemas que você enfrenta hoje já foram enfrentadas, discutidas e vencidas por uma enorme quantidade de pessoas.

Essas pessoas escreveram livros, deram entrevistas, ensinaram seus métodos.

Você pode ter acesso diário a esse tipo de conhecimento se criar um método de pesquisa e estudo que o faça aprender, mesmo que apenas um pouco a cada dia.

Esse processo de melhoria contínua é conhecido pela palavra japonesa Kaizen.

A ciência por trás do Kaizen

Kaizen melhoria contínua
Kaizen é uma palavra japonesa constituída de dois ideogramas:

  • Kai significa mudança, no sentido de melhoria.
  • Zen represente bondade, na acepção que conhecemos como virtude.

O termo ganhou popularidade ao ser utilizado em fábricas japonesas para o aprimoramento constante de métodos de produção, engenharia e gestão de processos. Ele é a base de procedimentos de melhoria contínua como o ciclo PDCA.

Em 1992, o psicoterapeuta M. M. Feldman publicou um artigo científico no BJPsych Bulletin investigando a aplicação do conceito do Kaizen na psicologia humana.

Embora admita que se trate de um processo experimental no qual regras rígidas não devam ser impostas, o autor conclui que o conceito de Kaizen é perfeitamente aplicável ao desenvolvimento pessoal.

Em resumo, se você quer saber como ser uma pessoa melhor, em vez de se comparar com outras pessoas, compare-se apenas consigo mesmo na versão de ontem.

Concentre-se apenas em melhorar um pouco em relação ao seu eu de ontem. E tudo o que terá a fazer é seguir o lema do “Hoje melhor do que ontem, amanhã melhor do que hoje”.

4. Supere a procrastinação e coloque-se em movimento, mesmo sem ânimo

Como ser uma pessoa melhor e mais feliz
Friedrich Engels (1820 — 1895) certa vez escreveu que um grama de ação vale mais do que uma tonelada de teoria.

Você que chegou aqui procurando saber como ser uma pessoa melhor, no fundo provavelmente já sabe que aspectos da sua vida precisa modificar para atingir tal objetivo.

No entanto, saber o que fazer é muito diferente de fazer o que sabe.

Como já discutimos aqui no Mude.nu, a procrastinação – o vício de não fazer o que sabemos que precisa ser feito – é uma silenciosa assassina de sonhos.

E embora existam livros de auto-ajuda e gurus da produtividade que prometem métodos para eliminar a procrastinação, a ciência nos diz o contrário: a procrastinação está nos nossos genes!

Publicado em 2014, o estudo Genetic Relations Among Procrastination, Impulsivity, and Goal-Management Ability Implications for the Evolutionary Origin of Procrastination provou que o ato de procrastinar está em nosso DNA e foi aprimorada por milhões de anos.

Para o homem primitivo, fazer planos de longo prazo não era tão importante quanto saciar as necessidades básicas e instantâneas de sobrevivência. Ele precisava caçar e coletar, não planejar sua aposentadoria.

Foi assim que os humanos desenvolveram o instinto de reagir a estímulos imediatos mudando o foco de sua atenção. Nós perdemos a concentração na atividade que estamos fazendo para nos preocuparmos com uma perturbação momentânea. O urgente supera o importante.

O componente genético da procrastinação também explica por que algumas pessoas têm uma personalidade mais procrastinadora do que outras.

É por tudo isso que reduzi-lá é tão difícil e eliminá-la, impossível.

Deixar para depois é ser humano?

Melhoria contínua ferramentas

Isso não significa que você deve simplesmente deitar na rede e ficar mexendo no celular o dia inteiro. Se você quer realmente ser uma pessoa melhor, precisa agir.

Caso a falta de ação seja o seu problema, sugerimos que leia agora mesmo o artigo 9 estratégias infalíveis para vencer a procrastinação e dar mais significado para sua vida.

Se você sentir desânimo ou cansaço e, por isso, não consegue entrar em ação, procure inverter a ordem das coisas. Coloque-se em movimento e parta para a ação sem ânimo mesmo.

Mesmo um grama de ação que nos coloque em movimento já irá gerar o ânimo que toneladas de teoria jamais conseguem.

5. Coma comida de verdade

Comida de verdade

Alimentar-se corretamente vai muito além de emagrecer, ganhar massa muscular ou melhorar a saúde.

O funcionamento do seu cérebro é diretamente impactado pela qualidade do que você come. Na verdade, todo o seu corpo é impactado pela sua alimentação.

Se como ser uma pessoa melhor depende de como você age cotidianamente, como mostram os estudos até aqui apresentados, a alimentação é pedra fundamental para você manter o foco nesse processo de melhoria contínua.

Uma alimentação baseada em comida de verdade, com hortaliças, proteínas e gorduras de alta densidade nutricional, fará com que seu organismo funcione da melhor forma.

E essa clareza de pensamento gerará uma clareza de ação que produzirá, na prática, os resultados que você busca.

Se você não tem ideia de como seguir e montar uma dieta composta por alimentos de verdade, leia o e-book Mude Seu Corpo, que você pode baixar de graça, por tempo limitado, informando seu e-mail no formulário abaixo:

Baixe o livro Mude Seu Corpo

Informe seu email para fazer o download do ebook Mude seu Corpo.

O livro traz absolutamente tudo o que você precisa saber sobre o método cientificamente comprovado que te faz emagrecer e ter mais saúde comendo quando e quanto você quiser, sem ter que contar calorias, sem ter comer de três em três horas, sem ter que se matar na academia e sem ter que comer feito um passarinho.

6. Medite pelo menos 15 minutos ao dia

Meditação para dormir
Em nosso artigo sobre meditação, mostramos como essa prática milenar é capaz de modificar o formato e o funcionamento do nosso cérebro mesmo com um tempo relativamente pequeno como 15 minutos diários durante 8 semanas.

A visão da meditação como uma prática oriental mística sem embasamento científico não mais se sustenta.

Em 1967, a Universidade de Harvard concluiu em uma pesquisa que pessoas em estado meditativo tinham menor pressão sanguínea, maior produção de ondas cerebrais e menor consumo de oxigênio.

Em 1979, o Dr. Jon Kabat-Zinn começou a utilizar a meditação e observou melhorias em pacientes com dores crônicas que não respondiam a tratamentos convencionais.

Em 2014, Harvard voltou ao tema e comprovou em um estudo a eficácia da meditação para combater quem sofre com crises de enxaqueca constantes.

No Brasil, um ensaio clínico realizado pela Unifesp com 140 idosos que meditaram apenas duas vezes por semana durante dois meses constatou benefícios como melhora na postura, na alimentação, no sono e até no funcionamento do intestino.

Esses são apenas alguns poucos exemplos. Existem mais de 700 estudos científicos que mostram diversos benefícios da meditação.

Para saber como obter tais benefícios, separe um tempinho para ler nosso artigo sobre Como a meditação pode alterar o formato do seu cérebro e eliminar problemas mentais e físicos em apenas 8 semanas.

7. Seja uma pessoa melhor

Como ser uma pessoa melhor a cada dia
A resposta para a pergunta “Como ser uma pessoa melhor?” pode ser tão simples quanto “Seja uma pessoa melhor”.

Voltando ao pensamento aristotélico que abriu este artigo: Você se torna justo praticando atos justos. Você se torna paciente exercitando a paciência. Logo, você se torna uma pessoa melhor agindo como uma pessoa melhor.

Os americanos encapsularam essa ideia no ditado “Fake it ‘till you make it”, que significa algo como “Finja algo até que você o realize”.

A frase é uma generalização do conceito de Aristóteles de que um homem virtuoso é aquele que age como um homem virtuoso.

Uma vez que você definiu o que significa, para você, ser uma pessoa melhor, o passo seguinte é condicionar esse novo comportamento até que ele se torne consistente.

Até que ele se torne “parte de você”, por assim dizer.

Esse conceito de internalizar algo até que esse algo torne-se “parte de você” é conhecido pela expressão “Agir como se”.

Em outras palavras: você não deve esperar “ser uma pessoa melhor”. Deve, sim, começar a viver da forma que deseja o quanto antes.

O conceito “Agir como se” irá significar, em um primeiro momento, fingir. Não se assuste, não se recrimine por isso.

Trata-se de algo necessário para levá-lo adiante. O “Agir como se” é uma ferramenta excelente – e muitas vezes indispensável – de mudança.

Sendo assim, se sua meta é ter mais produtividade no trabalho, você, de início, irá “agir como se” fosse realmente produtivo.

Todo novo comportamento é algo não natural, algo forçado. Certamente você irá falhar no começo, mas precisará ter resiliência para continuar no caminho.

Com o tempo, depois de repetições suficientes, um pouco a cada dia, o novo comportamento estará consolidado e você poderá, finalmente, dizer que aprendeu como ser uma pessoa melhor.

Conclusão: como ser uma pessoa melhor a cada dia

Como ser uma pessoa melhor e mais feliz
Saber como ser uma pessoa melhor é uma busca praticamente infindável, mas que serve para nos colocar no caminho do aprimoramento constante.

Neste artigo, baseado no pensamento de grandes filósofos e da ciência moderna, vimos 7 práticas por meio das quais você pode aprender como ser uma pessoa melhor:

  1. Esqueça a ideia de felicidade como um objetivo a ser alcançado
  2. Pare de pensar em si mesmo
  3. Eduque-se continuamente
  4. Supere a procrastinação e coloque-se em movimento, mesmo sem ânimo
  5. Coma comida de verdade
  6. Medite pelo menos 15 minutos ao dia
  7. Seja uma pessoa melhor

Apesar do tamanho deste artigo, este é um tema que rende muito mais conversa.

Deixamos você com essas sete práticas iniciais. Mas gostaríamos de ouvir nos comentários a sua opinião sobre o que discutimos. E também o que você tem feito para se tornar uma pessoa melhor.

Coloque o seu comentário logo abaixo e compartilhe o texto com seus amigos. Assim poderemos trocar ainda mais ideias e seguir evoluindo a discussão.

André Valongueiro

André Valongueiro é coach, educador e escritor. Vive a vida nos seus próprios termos, viajando o mundo enquanto trabalha 100% online. Aprendeu a arte de realizar sonhos com paz e sem ansiedade e quer ajudar você a fazer o mesmo. Visite o blog pessoal.

Walmar Andrade

Walmar Andrade é bacharel em Comunicação Social, com extensão em jornalismo on-line (UFPE), MBA em Planejamento, Gestão e Marketing Digital (FECAP-SP) e Master en Comunicación Empresarial (INSA-Barcelona). Escreve sobre comunicação e marketing digital no blog Fator W.

19 Comentários

  1. Fenomenal o artigo!
    Na correria do dia-a-dia sempre fica difícil focar-se em si mesmo.
    Quando temos inoformações desse modelo disponíveis e que refletem grandes verdades em nossas vidas, parece que tiramos um peso da consciencia, e chegamos a conclusão de que não somos os únicos que buscam essa verdade.
    Parabéns a ótima publicação!

    Responder
    • Fala, David! Fico feliz que tenha gostado do artigo. Obrigado!

      Acho que o artigo que publicamos sobre o método de memorização e meditação dos filósofos e sábios pode lhe interessar muito, já que ele descreve basicamente um “método” capaz de fazer com que certas verdades fundamentais apareçam e sejam incorporadas à estrutura do nosso ser. Recomendo a leitura, acho que você vai tirar bastante proveito: https://mude.nu/memorizacao/

      Um grande abraço!

      Responder
  2. Sensacional! Texto bastante tocante com ótimas referências! Estou amando essa rede. Parabéns! Gratidão!

    Responder
    • Nós é que agradecemos, Andrea. Compartilhe com seus amigos e traga mais pessoas para se juntar a nós!

      Um abraço e sucesso!

      Responder
  3. Parabéns excelente artigo, vou repassar para meus familiares e amigos adorei o conteúdo !!!

    Responder
    • Valeu, Juninho! Compartilhe à vontade, isso também nos ajuda muito. Agradecemos!

      Um abraço!

      Responder
  4. E eu que pensei que fosse fácil mudar para melhor! Tenho que reler esse texto 1000 vezes!!!

    Responder
    • O texto estará sempre aqui para você ler e reler quantas vezes quiser, Edivaltriz. E suas dúvidas serão sempre respondidas aqui nos comentários sempre que você precisar de esclarecimentos. Um abraço e sucesso!

      Responder
  5. Artigo legal , gostoso de se ler , espero colocar em prática as dicas , bom eu e eu acredito que as outras pessoas também sofram com a resiliência , mas vou tentar minimizar ela da minha vida…

    Responder
    • Bom dia, Caio. Te desejo boa sorte e sucesso! Publicamos recentemente um grande artigo sobre o tema da resiliência, recomendo a leitura: https://mude.nu/resiliencia/

      Um grande abraço!

      Responder
  6. Maravilhoso e muito instrutivo o artigo!! Me ajudou muito em vários aspectos como inclusive não me penitenciária por erros que tenho cometido como se só eu os cometesse. Muito grata ao artigo!

    Responder
    • Oi, Lilian. Somos nós quem agradecemos. Te desejo sucesso nessa caminhada para ser alguém melhor. Um abraço e conte sempre conosco!

      Responder
  7. Gostei muito do artigo! Era o que eu precisava ler hoje? Obrigada por compartilhar seu conhecimento! Tenho uma questão para colocar. O que fazer quando sei que vários resultados que tenho obtido na minha vida não estão bons, precisam melhorar, mas o meu processo de mudança é muito lento (por procrastinação ou porque a minha visão de mundo me limita a ter uma visão mais abrangente e enxergar soluções melhores ou por falta de maturidade ou por ficar envolvida com as responsabilidades do dia a dia, de mãe, esposa, profissional, etc de modo a manter-se ocupada com um turbilhão de coisas)? Quando as pequenas mudanças gradativas alcançadas dia a dia (sob a perspectiva de se comparar apenas consigo mesmo e ser hoje melhor que ontem e amanhã melhor que hoje) não são suficientes para minimizar ou eliminar os problemas decorrentes das mudanças que ainda não alcançamos, mas precisamos alcançar?

    Responder
    • Vamos lá, Adriana. Vou tentar ajudar! :-)

      “O que fazer quando sei que vários resultados que tenho obtido na minha vida não estão bons e precisam melhorar?”

      A resposta é simples: continue melhorando. Otimize processos, aprimore seu estilo de trabalho, conquiste mais clareza sobre o que realmente importa e o que está apenas ocupando você. Para esse trabalho o auxílio de um coach pode ser muito válido. Entre em contato comigo ([email protected]) se você quiser minha ajuda.

      “[O que fazer] quando as pequenas mudanças gradativas alcançadas dia a dia não são suficientes para minimizar ou eliminar os problemas decorrentes das mudanças que ainda não alcançamos mas precisamos alcançar?”

      Para mim essa questão não ficou muito clara, mas se entendi corretamente você deseja saber o que fazer se as pequenas mudanças alcançadas não resolvem as questões maiores que precisam de mais tempo para serem resolvidas. Nesse caso não há muito segredo: se um problema é realmente grande e é fonte de grande incômodo, devemos atacá-lo de maneira exclusiva afim de solucioná-lo o mais breve possível. É o que chamo de realizar um “ciclo de imersão”. De outra forma, o problema só poderá ser solucionado aos poucos. O grande desafio aqui é que para conseguir dedicar-se exclusivamente ao problema em questão será necessário colocar outras atividades em “modo manutenção” ou mesmo parar com elas completamente até que o problema maior seja resolvido.

      O artigo sobre os ciclos de imersão e manutenção que publicamos aqui no Mude.nu pode ajudar você: https://mude.nu/imersao-manutencao/

      Espero ter ajudado, caso precise conversar mais um pouco é só voltar a comentar ou me escrever, OK? Um abraço!

      Responder
  8. Era o que eu precisava ler hoje!

    Responder
    • Que bom, Adriana. Leia sem moderação e compartilhe com as pessoas queridas!

      Responder
  9. Ótimo artigo, leitura leve e clara no conteúdo.
    Precisava ler isso hoje.
    Adorei a rede serei leitora assídua.
    Obrigada por compartilhar .

    Abraços

    Responder
    • Obrigado, Carla. E seja bem-vinda! Sucesso!

      Responder
  10. Olá André! Parabéns pelo texto maravilhoso,adorei!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não perca essa oportunidade:
Comece a mudar agora mesmo

Basta um clique no botão abaixo:

jfb_p_buttontext