Yoga para iniciantes pode ser um desafio muito maior do que dão a entender aquelas fotos zen de pessoas relaxadamente fazendo uma pose clássica de alongamento.

Um dos meus objetivos para 2014 era atenuar o meu problema de encurtamento dos músculos isquiotibiais, esse que fica na parte de trás da coxa.

Toda avaliação física que eu fazia na academia, há mais de dez anos, apontava que eu deveria fazer uma série de alongamentos antes de começar o treino. Mas, sendo sincero, eu nunca fiz isso com a atenção devida. Na maioria das vezes, eu nem mesmo fazia.

Então, em vez de insistir no que estava dando errado há uma década, incluí algo diferente nas minhas metas para 2014: experimentar yoga para iniciantes, por 30 dias consecutivos.

Isso ocorreu em primeiro de janeiro de 2014. E depois de pelo menos seis tentativas frustradas, finalmente vencerei o desafio nesta sexta-feira, 24 de outubro. Eis como a história se desenrolou.

Yoga para iniciantes na academia

Yoga para iniciantes: aula na academia

Por ter sempre feito exercícios de força e praticado corrida, eu acreditava que era relativamente forte e flexível, com exceção do já citado encurtamento dos músculos isquiotibiais.

Ledo engano.

Em janeiro, quando estava com um horário diferenciado no trabalho, tive condições de fazer as aulas de yoga para iniciantes na academia que frequento. Essas aulas começam às 8h30, três vezes por semana.

Na primeira semana de 2014, lá fui eu com a minha esposa experimentar a tal da yoga para iniciantes. Algo que eu nunca tinha praticado na vida (afinal, é para isso que serve o Mude.nu, não?).

A sala era relativamente eclética, com senhoras mais velhas e algumas moças mais novas. De homem, na primeira aula, só eu e o professor.

Foi quando começou a vergonha. O professor passava algumas posturas e todas as alunas faziam na maior facilidade, enquanto eu ficava suando, entrevado, pelo meio do caminho.

Mesmo nas posturas de yoga para iniciantes que exigiam mais força do que flexibilidade, eu mandava mal. Aquilo parecia estranho, já que na musculação eu suportava cargas relativamente altas.

Pude experimentar, na prática, como os músculos se adaptam para uma coisa e se atrofiam para outra, mesmo que aparentemente relacionadas.

A aula durou cerca de 45 minutos, mas para mim parecia uma eternidade. Várias vezes pensei em desistir, ir para o banheiro e nunca mais voltar, porém acabei ficando até o final.

Era uma terça-feira e eu saí com a certeza de que não voltaria mais.

Na quinta-feira, lá estava eu novamente, passando vergonha em frente às senhorinhas.

Assim foram as quatro primeiras semanas de janeiro, aquelas semanas em que estamos empolgados com as metas de ano novo, em que queremos colocar nosso processo de mudança em velocidade máxima.

Depois, veio fevereiro, o trabalho começou a entrar no ritmo normal. Carnaval, viagem de três semanas de férias… e a yoga para iniciantes foi ficando de lado.

Segunda tentativa: yoga no videogame

Yoga para iniciantes no videogame Xbox 360 Kinect

Como não podia mais frequentar as aulas de yoga para iniciantes na academia, minha criativa saída foi comprar um jogo para Xbox chamado “Your Shape: Fitness Evolved”.

Na minha cabeça geek, o Kinect escanearia meu corpo e verificaria se eu estou fazendo as posturas corretas, aumentando minha pontuação no game.

A princípio, isso até funcionou. Mas só até eu ficar desconfiado de que aquilo não era muito acurado. Comecei a fazer posturas nada a ver do que era apresentado na tela e o Kinect continuava lendo como se eu estivesse fazendo as coisas de maneira correta.

A experiência com o jogo não durou nem duas semanas…

Está gostando deste texto?

Terceira tentativa: yoga para iniciantes no YouTube

Yoga para iniciantes de graça no YouTube

Lá no final de abril, descobri no YouTube uma playlist do site DoYouYoga chamada justamente 30-Day Yoga Challenge.

As aulas eram curtas, de no máximo 20 minutos, e não precisava de nenhum equipamento especial. No máximo um tapete.

Além disso, eu não precisaria passar vergonha na frente de ninguém com minha falta de flexibilidade (bem, talvez só da minha esposa, mas ela já está acostumada).

Naquele mesmo dia eu pensei: agora ficou fácil. Vou fazer a yoga para iniciantes por 30 dias e desafio cumprido. Tranquilo. Sou disciplinado.

O desafio até começou bem. Fiz 11 dias consecutivos. Até levei o notebook para uma viagem de fim de semana que fiz para o interior de Goiás e pratiquei a yoga para iniciantes mesmo no quarto do hotel.

Só que acabei perdendo o 12º dia.

Eu estava fazendo a yoga depois de chegar da faculdade e antes de ir dormir. Naquele dia, eu estava fisicamente exausto. Liguei o foda-se e não quis nem saber de yoga para iniciantes…

Aí vi a lógica da irracionalidade dos hábitos atacar. Já que tinha perdido o 12º dia, não fiz o 13º. Nem o 14º, nem o 15º…

Só fui me reencontrar com a professora virtual de yoga mais de dois meses depois. E apenas para uma nova frustração: fiz uns seis dias seguidos, depois começou a Copa do Mundo, viagem de mochilão, e nada de yoga para iniciantes.

O padrão se repetiu em setembro. Nunca mais passei dos dez dias seguidos no 30-Day Yoga Challenge. Só no final de setembro, depois que li um livro, a coisa finalmente começou a andar.

A solução final: um livro, um anel de brilhantes e um tapete

Yoga para iniciantes em casa

No começo de setembro, ao entrar no site da Amazon para comprar um Kindle, vi a oferta do Change Anything, escrito por um um grupo de acadêmicos formado por Kerry Patterson, Ron McMillan, Joseph Grenny, Al Switzler e David Maxfield. Posto que escrevo para um site chamado Mude, achei que deveria comprar o livro.

Foram dez reais bem gastos.

No livro, os autores mostram seis fontes que as pessoas devem usar conjuntamente caso queiram mudar qualquer coisa, ou adquirir um novo hábito (qualquer hábito, não apenas yoga para iniciantes):

  • Fonte 1: Ame o que você odeia
  • Fonte 2: Faça o que você não consegue
  • Fonte 3 e 4: Transforme cúmplices em amigos
  • Fonte 5: Inverta a economia
  • Fonte 6: Controle seu espaço

Diferente do excelente O Poder do Hábito, mais teórico, este livro visa mais ao lado prático da formação de hábitos.

A esta altura do ano, eu já estava meio descrente de que conseguiria enfim fazer 30 dias seguidos de yoga para iniciantes, mas decidi usar as seis fontes e encarar o desafio mais uma vez.

No caso específico, as mais úteis para mim foram as últimas fontes: inverta a economia e controle seu espaço.

Primeiramente, eu combinei com a minha esposa que daria uma anel de brilhantes para ela caso eu furasse algum dos 30 dias. Esses anéis são caros, acima dos mil reais os mais simples, e eu detesto gastar dinheiro com coisa pequena. Ou grande :D

Depois, eu controlei o espaço de modo a favorecer a prática da yoga para iniciantes.

Antes, eu fazia a yoga no quarto, com um yoga mate (esses tapetinhos de yoga) e no notebook. Para fazer uma aula, eu tinha que pegar o yoga mate no armário, desenrolá-lo, ligar e posicionar o notebook, pesquisar no YouTube o vídeo do dia e, finalmente, começar.

Depois de ler o livro e perceber a importância do ambiente e da lei do menor esforço para a formação de hábitos, decidi mudar aquilo.

Havíamos acabado de comprar um tapete decorativo para a sala e eu pensei em usá-lo em vez do yoga mate. Aquilo já me cortaria o trabalho de ter que buscar o tapetinho da yoga, desenrolar, depois enrolar de novo e guardar.

Depois, em vez de usar o notebook, decidi usar a própria TV da sala, já sempre posicionada em frente ao tapete. Salvei no aplicativo do YouTube para Xbox a playlist do 30-Day Yoga Challenge e pronto, problema resolvido.

Mesmo assim, preciso confessar que não estava confiante de que conseguiria. Fiz os primeiros dias, do zero, até chegar ao dia 14. Aí vi que realmente os ensinamentos do livro estavam funcionando.

Porém, até o dia 14 eu fazia a yoga para iniciantes à noite, depois de chegar da faculdade, o que sempre trazia o risco do cansaço e do sono.

Nesse mesmo dia, li um artigo no Medium chamado My year with a distraction-free iPhone (Meu ano com um iPhone livre de distrações).

Resolvi testar o experimento e apaguei do espertofone todos os aplicativos de redes sociais, desconfigurei o e-mail e desativei o Safari. Com isso, parei com a odiosa mania de pegar o celular assim que acordar e, ainda vesgo de sono, começar a checar e-mail, redes sociais e sites de notícias.

Como vi que já estava na metade do desafio da yoga, mudei o horário e o gatilho do hábito. Agora faria a yoga para iniciantes assim que acordasse, depois de uma xícara de café. Antes de comer, de tomar banho, de ir para academia ou sair para o trabalho.

Foi quando o desafio começou a fluir de forma muito mais espontânea, sem esforço. Agora eu até acordo animado para fazer aqueles 20 minutinhos de yoga com a professora virtual.

Os benefícios da yoga para iniciantes e como você pode entrar no desafio também

Dentre os benefícios que a yoga oferece aos praticantes, iniciantes ou avançados, estão o ganho de flexibilidade, resistência muscular e aumento da capacidade de concentração e foco, visto que é preciso estar atento à respiração a todo instante.

Desses, o que mais interessa para mim é o ganho de flexibilidade. Nesses 30 dias ininterruptos de prática, consigo perceber uma melhora sobretudo na região lombar. Os músculos isquiotibiais, se melhoraram do encurtamento, deve ter sido na casa dos milímetros.

Mas uma das coisas que aprendi com a prática foi de não ter pressa. Mesmo que não resulte em nada, só a prática por si só já é recompensadora. Dá para iniciar o dia bem mais disposto (depois que passei a yoga para a manhã, não faltei mais nenhum dia de musculação/corrida).

Se você quer entrar no desafio também, a playlist está aqui embaixo. Você só precisa de um tapete, disciplina e disposição:

Se eu vou continuar fazendo todo dia? Com certeza.

Receba as atualizações

Publicado por Walmar Andrade

Criador do Mude.nu, Walmar Andrade é bacharel em Comunicação Social, com extensão em jornalismo on-line (UFPE), MBA em Planejamento, Gestão e Marketing Digital (FECAP-SP) e Master en Comunicación Empresarial (INSA-Barcelona). Escreve sobre comunicação e marketing digital no blog Fator W.

6 Comentários

  1. Muito bacana, Walmar. Yoga é um exercício para corpo e mente, gosto muito, apesar de eu não estar praticando há algum tempo :(
    Quanto ao encurtamento dos músculos isoquitibiais, se me permite dar uma dica, tente o Pilates. Me ajudou muito nessa questão e na correção da postura também, entre outras coisas, talvez você até possa mesclar com o yoga, já que têm muitos exercícios parecidos.
    Gratidão ETERNA por seu trabalho com o Mude.Nu, esse site mudou e continua mudando minha vida. Me conte se se interessar pelo Pilates e obter resultados ;) Abraço.

    Responder
  2. Como esposa de Walmar falo: não gostei nada dele ter vencido este desafio :( já estava contando com meu humilde anelzinho :(
    Estou pensando seriamente em amanha sabotar este ultimo dia de yoga

    Responder
  3. Quero muito fazer yoga…acho interessantíssima para equilibrar nosso corpo e mente!!!!!!

    Responder
  4. Nao estou conseguindo assistir os videos.. por quê?

    Responder
  5. Fiquei muito feliz por ter encontrado esse post. Estava tentando começar a yoga sozinha mas sempre me atrapalhando e desistindo. Você me ajudou muito, obrigada!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *