Se você não dirige mais um carro com carburador nem roda um disco para telefonar para alguém, por que diabos continua praticando exercícios físicos como se fazia na década de 1980? Por que não usar um wearable para conquistar seus objetivos de forma mais rápida e precisa?

Você deve conhecer a história. Um sedentário cansado de sua barriga se matricula em uma academia e começa e fazer cooper na esteira.

Um ano depois, ele continua lá na esteira, com a mesma barriga de antes. Não sabe bem se está melhorando ou não, mas continua lá, persistindo.

Ou uma senhorinha acaba de se aposentar e começa a frequentar aulas de step e “ginástica localizada” (sic), enquanto dá algumas voltas com a vizinha no parque da cidade para “queimar gordura”.

Não pense que esses são exemplos extremos. Quantas e quantas pessoas nós vemos numa batalha sem fim para entrar em forma, sem nunca conseguir de fato mudar o corpo para valer?

Para cada história de sucesso que vemos, há milhares de outras pessoas que parecem estar andando como numa roda de hamster, sem sair do lugar. Exatamente como o gordinho da esteira.

Agora imagine que você tivesse, de maneira constante e fácil, dados exatos de tudo o que está fazendo:

  • Quantas calorias está consumindo
  • Quanta água está bebendo
  • Há quanto tempo está sem comer
  • Quanto está dormindo e qual a qualidade deste sono
  • Quantas calorias está gastando em um exercício
  • Como está a sua taxa de açúcar no sangue
  • Como está a sua pressão sanguínea
  • Como estão os seus batimentos cardíacos
  • Que exercícios você deve fazer hoje, quanto peso deve colocar, quantas repetições etc.

Parece ficção científica? Pois é isso que um wearable pode te proporcionar, hoje mesmo.

Apresentando: wearable

Wearable para fitness

Wearables (esse nome é péssimo, mas a tradução é pior) são pequenos dispositivos tecnológicos que você pode vestir para auxiliá-lo em alguma tarefa. Eles podem aparecer de diversas formas: óculos, pulseiras, clips.

O mais famoso deles talvez seja o Google Glass, os óculos que o Google promete colocar no mercado já há algum tempo.

Nem todo wearable é voltado para saúde e fitness, mas é inegável que este é um dos principais apelos deles. Afinal, quem não gostaria de obter em tempo real tudo aquilo de que precisa para vencer o desafio de entrar em forma da maneira mais rápida e eficiente possível?

A questão mais importante é: será que funciona mesmo?

Ainda depende de você

Apesar de óbvio, nunca é demais relembrar: entrar em forma é algo que só depende de você. É você quem decide o que passa pela sua boca, é você que decide quando e quanto o seu corpo se movimenta.

Dito isso, é inegável que ter um dispositivo te fornecendo todos os dados e relembrando todas as refeições e exercícios que você deve fazer dá uma ajuda e tanto para você cumprir o desafio.

Pense, por exemplo, se você tivesse um personal trainer e um nutricionista contratados para trabalhar exclusivamente para você, 24 horas ao dia. Ficaria bem mais difícil pular refeições, comer alimentos proibidos, escapar do treino…

Os wearables ainda têm a grande vantagem de fornecer os dados em tempo real para que você analise, veja o que está funcionando e o que não está, e ajuste a sua dieta e o seu treino para entrar em forma ainda mais rapidamente.

Se você é do tipo que gosta de analisar dados, fazer uma dieta ou um programa de treinamento com uma fartura de informações como essa é – com o perdão do trocadilho – um prato cheio.

8 tipos de wearable que você deve conhecer

Android Wear

O Android Wear é um relógio que roda o sistema operacional Android, desenvolvido pela Open Handset Alliance (aliança liderada pelo Google).

Assim, você tem disponível no wearable os aplicativos desenvolvidos para celulares e outros dispositivos que rodam o Android.

Em relação a fitness e saúde, o relógio é capaz de monitorar os seus batimentos cardíacos e de contar os seus passos. Você pode ainda falar com o relógio, em português, para dar os comandos de que necessita.

Do Bem Máquina

Wearable brasileira, a Do Bem Máquina é é uma pulseira inteligente com o objetivo de medir o movimento do seu corpo e o padrão do seu sono.

A pulseira registrar dados como calorias gastas, distância percorrida e passos dados. Além disso, fornece dados relacionados ao seu padrão de sono.

A wearable apenas capta os dados e depois os transmite para o seu smartphone, onde você pode analisá-los por meio de números e gráficos bem fáceis de entender.

Apple Watch

O Apple Watch, disponível a partir de 2015, promete trazer todo o padrão de qualidade (e os conhecidos defeitos) da Apple para o mundo dos wearables.

Além de rodar o sistema operacional iOS, presente em iPhones e iPads, o Apple Watch tem a capacidade de medir o movimento do seu corpo, a intensidade do movimento, os seus batimentos cardíacos, e ainda te diz quando você está tempo demais sentado! Como o wearable é integrado ao iPhone, ele pode usar o WiFi e o GPS do smartphone para registrar, inclusive, a rota da sua caminhada ou pedalada.

A Apple promete que seu relógio vai servir tanto para sedentários que querem sair deste estado até atletas profissionais. Um dos recursos mais interessantes é a prometida capacidade de o relógio se adaptar ao seu comportamento, para deixar os dados ainda mais acurados.

Klip Carenet

O Klip Carenet é outro wearable brasileiro.

Em forma de um clip, para você fixar na roupa, o wearable age em conjunto com o aplicativo Carenet Logevity para que você possa visualizar os dados no iPhone (eles prometem disponibilizá-lo também para outras plataformas).

Você pode saber diariamente o número de passos dados, calorias queimadas, tempo de atividade física e distância percorrida e visualizar todas essas informações por meio do visor do dispositivo.

A Carenet tem uma abordagem mais lúdica do fitness, propondo desafios similares a jogos, comunidade de apoio e métricas exclusivas. Não é só o wearable, mas todo um projeto por trás.

Nike Fuel Band

Lançado em 2012, o Nike FuelBand foi um wearable que chamou a atenção pelo seu ineditismo.

Com a pulserinha e o mantra “Just do it”, você podia contar qualquer tipo de atividade física que fizesse, não somente aquelas dentro da academia ou no parque.

A pulseira permite a formação de grupos, para você comparar a quantidade de calorias perdidas e a distância percorrida com amigos.

Up by Jawbone

A pulseira Up, da Jawbone, possui a ambiciosa proposta de monitorar os três pilares de uma boa saúde: exercícios físicos, alimentação e sono.

Integrada a um aplicativo que roda em iOS e Android, a pulseira pode ficar 100% do tempo conectada via Bluetooth para passar todos os dados em tempo real.

Entre os wearables já disponíveis, é um dos mais interessantes.

Está gostando deste texto?

Misfit

A Misfit possui mais de um tipo de wearable, incluindo dois modelos de pulseira e monitores de sono.

Com o aplicativo Misfit, você pode definir metas e ir atrás dela, com ajuda de outras pessoas que também usem o wearable da Misfit.

FitBit

A FitBit também disponibiliza mais de um tipo de wearable, entre pulseiras e clips, além de oferecer uma balança com WiFi para coletar e enviar dados como peso, percentual de gordura e massa magra.

Usando seu smartphone

iPhone Wearable

Você não precisa necessariamente ter um wearable para aproveitar as vantagens que a tecnologia oferece aos que estão no desafio de entrar em forma. Seu smartphone pode fazer boa parte do trabalho.

Aparelhos como o iPhone e o Galaxy possuem GPS e sensores de movimento que ajudam a estimar dados como distância percorrida, passos dados, calorias gastas e outros.

Claro que um wearable especializado fornecerá dados mais precisos, porém não é de se desprezar a quantidade e qualidade de aplicativos que podem transformar o seu smartphone em uma espécie de personal trainer virtual.

Como dissemos no início do texto, você não precisa continuar se exercitando como na década de 1980…

Receba as atualizações

2 Comentários

  1. Nossa, muito interessante o artigo! Eu nem sabia, de forma tão específica, que existiam dispositivos assim tão aprimorados! Vou pesquisar, mas desde, então, agradeço mais uma vez pelo trabalho que vocês tem realizado!

    Responder
  2. Bem legal o artigo! Eu já tinha lido sobre a pulseira Do Bem, mas ainda acho que não é um investimento para o momento embora eu ache a iniciativa super legal. Quem sabe se seu ganhasse uma de presente…hehehe

    Pra compensar eu uso os aplicativos que medem distância percorrida e consumo de calorias. Já ajuda a me motivar :)

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *