Grandiosidade. Se havia uma palavra associada a Vingadores: Era de Ultron desde que a continuação foi anunciada após o estrondoso sucesso do primeiro filme, era essa.

Tony Stark (Robert Downey Jr.), depois de salvar o planeta em Vingadores, agora quer prevenir que eventos como a Batalha de Nova York sequer aconteçam.

Com a ajuda de Bruce Banner (Mark Ruffalo), o Homem de Ferro cria uma legião de robôs comandada pela inteligência artificial Jarvis (Paul Bettany).

Vingadores: Era de Ultron

Na busca de aperfeiçoar seu exército de drones, o Homem de Ferro e os Vingadores partem para buscar o cetro de Loki, responsável pela dominação de mentes no filme anterior.

Quando conseguem, após a excelente cena de abertura do filme, descobrem a possibilidade de criar a inteligência artificial perfeita.

É daí que surge Ultron (James Spader). E é aí que também surge a primeira decepção do filme.

Ultron não chega perto da ameaça que é o robô nos quadrinhos, nem perto do vilão aterrorizante que foi vendido pelos infinitos trailers e teasers deste filme.

A Marvel optou por dar a este Ultron uma direção de adolescente rebelde, como um filho mimado e carente que tenta a toda hora chamar a atenção de seu pai, Tony Stark.

De início, o andróide conta com a ajuda dos gêmeos Feiticeira Escarlate e Mercúrio (Elizabeth Olsen e Aaron Taylor-Johnson), que nutrem ódio por Stark por conta de seu passado como fabricante das armas que mataram seus pais.

Os poderes psíquicos da Feiticeira Escarlate mexem com a cabeça dos Vingadores quando eles partem em busca de Ultron, que havia se retirado para algum lugar da África (Wakanda?) em busca do material mais resistente do universo Marvel dos cinemas, o vibranium.

Nessas alucinações conhecemos um pouco mais do passado da Viúva Negra, dos tormentos de Thor e podemos ver a épica luta entre o Hulk e a Hulkbuster. Pena que os trailers já haviam mostrado quase tudo do embate.

De boas novidades, tivemos a maior importância dada ao Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) e ao Capitão América (Chris Evans) – cada vez mais poderoso – e a história da criação do Visão.

Vingadores: Era de Ultron - Visão

Com todos juntos, o ato final do filme é hiperbólico, opondo os heróis a um exército de Ultrons que planeja extinguir a raça humana para que a Terra seja habitada apenas por máquinas.

O problema de Era de Ultron é que essa ameaça nunca parece ser real. Sem um antagonista forte, tudo parece ser desculpa para criar cenas de ação cada vez mais grandiosas e também tediosas.

Fica bonito visualmente, mas a falta de um roteiro mais amarrado deixa uma sensação de que tudo poderia ser melhor. Algumas histórias, como o subplot do Thor em busca de respostas, ficaram sem sentido depois dos cortes da edição final.

Também fica sem sentido mostrar inicialmente Ultron como um super robô com corpo de vibranium para na cena final vermos dezenas de cópias dele sendo destruídas sem qualquer esforço por parte dos heróis, como se fossem os soldadinhos de massa dos Power Rangers.

Como ponto positivo, as cenas dos Vingadores relacionando-se socialmente como “civis” (na festa da Torre e no meio do filme) mostram uma clara evolução de personagens e atores em relação ao primeiro filme.

Em uma dessas cenas, o embate entre Capitão América e Homem de Ferro – que deve ser explorado em Capitão América: Guerra Civil – começa a se desenhar, ainda que de forma muito incipiente.

Pelo que se viu, a Marvel não quis amarrar excessivamente os dois filmes. Vê-se até mais ligação com a vindoura Guerra Infinita (a ser lançada em 2018) do que com o filme de 2016.

Ao final, Vingadores: Era de Ultron é um filme mediano, que caiu vítima de suas próprias armadilhas: não consegue superar o primeiro longa, não guardou grandes surpresas depois de tantos teasers e trailers e – principalmente – não teve aquele ar de inovação que a Marvel conseguiu dar nos filmes de 2014, como Capitão América: O Soldado Invernal e Guardiões da Galáxia.

Ainda assim, consegue ser um filme que entrega duas horas de bom entretenimento para fãs e não-fãs de quadrinhos.

Vingadores: Era de Ultron

Direção: Joss Whedon

Roteiro: Joss Whedon

Elenco: Robert Downey Jr., Chris Evans, Mark Ruffalo, Scarlett Johansson, Chris Hemsworth, Jeremy Renner, Aaron Taylor-Johnson, Elizabeth Olsen, Paul Bettany, Don Cheadle, Cobie Smulders, Anthony Mackie, Hayley Atwell, Idris Elba, Stellan Skarsgård, James Spader, Claudia Kim, Thomas Kretschmann, Andy Serkis, Julie Delpy, Samuel L. Jackson.

Duração: 2h22min.

Estreia: 23 de abril de 2015

Nota do Mude.nu: 6,0

Receba as atualizações

Publicado por Walmar Andrade

Criador do Mude.nu, Walmar Andrade é bacharel em Comunicação Social, com extensão em jornalismo on-line (UFPE), MBA em Planejamento, Gestão e Marketing Digital (FECAP-SP) e Master en Comunicación Empresarial (INSA-Barcelona). Escreve sobre comunicação e marketing digital no blog Fator W.

1 Comentário

  1. Sempre vo ao cinema, tenho o costume de ir terças e sábados ????

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *