Se há uma franquia no cinema que soube se reinventar, esta franquia é Velozes & Furiosos.

De um primeiro filme simplório e focado na cultura do tuning de carros, a série chega ao seu sétimo longa (além de um curta) assumindo descaradamente o seu lado de ação e aventura cujo principal propósito parece ser fazer o espectador falar — Eita que mentira! na cadeira do cinema.

Este sétimo episódio é continuação direta do filme de 2013. Deckard Shaw (Jason Statham), que havia aparecido na cena pós-créditos de Velozes & Furiosos 6, segue com seu plano de vingar o irmão Owen Shaw (Luke Evans), o vilão do longa anterior.

Depois que a “família” de Dominic Toretto (Vin Diesel) ficou milionária com o assalto no Rio de Janeiro, os roteiristas precisam criar soluções inventivas para justificar que a trupe volte para a ação.

Assim, colocá-los como alvo de um super vilão que os ataca primeiro em busca de vingança é uma saída rápida e funcional.

Velozes & Furiosos 7

Apesar disso, ainda inventaram uma desnecessária segunda trama que envolve uma espécie de inteligência artificial que pode acessar qualquer sistema no planeta e assim localizar qualquer pessoa. Algo como The Machine da série Person of Interest.

Ninguém liga. E o diretor James Wan parece saber disso.

O malaio, famoso por dirigir filmes de terror e suspense, surpreende ao levar com maestria as inverossímeis cenas de ação do filme.

Carros que saltam de paraquedas? Tem. Humanos que ficam em pé em cima de ônibus a 150 km/h? Ok. Transferir um passageiro de um carro para outro enquanto os dois dão cavalo de pau? Sem problema.

O grande mérito da reinvenção de Velozes e Furiosos a partir do quarto filme é justamente abraçar o absurdo sem nenhuma vergonha. O exagero torna-se a regra e as leis da física são completamente ignoradas em prol do entretenimento fácil.

Não dá para negar que funciona. Até o elenco de limitados atores, capitaneado por Vin Diesel, consegue se sobressair com a química formada por tanto de tempo de atuação conjunta. Neste ponto, Dwayne “The Rock” Johnson foi uma excelente adição após a passagem da trupe pelo Rio de Janeiro em 2011.

O problema é que a “família” não vai poder ignorar a própria lei da vida. Como é sabido, o ator Paul Walker morreu em um acidente automobilístico durante as filmagens deste Velozes e Furiosos 7.

Velozes & Furiosos 7 - Vin DIesel

Com a maior indenização já paga por uma seguradora em Hollywood e a ajuda dos irmãos do ator, o personagem Brian O’Conner tem o seu desfecho executado com uma bela homenagem. A curiosidade mórbida de saber o destino do ex-policial deve levar aos cinemas um público que geralmente não acompanha a franquia na telona.

Resta saber o que será da série agora que não haverá mais a parceria entre Dominic Toretto e Brian O’Conner. Vale lembrar que a dupla não esteve junta no segundo filme (só Paul Walker participou) e no terceiro (só Vin Diesel atuou). Mas nessa época Velozes e Furiosos ainda era uma série de car porn que pouco lembra os filmes mais recentes.

Ao final, vale a ida ao cinema para conferir a última atuação conjunta dos dois cabeças da “família” e se divertir na poltrona escutando uma ou outra voz exclamar — Eita que mentira!

Velozes & Furiosos 7

Direção: James Wan

Roteiro: Chris Morgan

Elenco: Vin Diesel , Paul Walker , Michelle Rodriguez , Tyrese Gibson , Ludacris , Dwayne Johnson , Jason Statham , Jornada Brewster , Nathalie Emmanuel , Elsa Pataky , Tony Jaa , Djimon Hounsou , Kurt Russell

Duração: 2h17min

Estreia: 2 de abril de 2015

Nota do Mude.nu: 7,0

Receba as atualizações

Publicado por Walmar Andrade

Criador do Mude.nu, Walmar Andrade é bacharel em Comunicação Social, com extensão em jornalismo on-line (UFPE), MBA em Planejamento, Gestão e Marketing Digital (FECAP-SP) e Master en Comunicación Empresarial (INSA-Barcelona). Escreve sobre comunicação e marketing digital no blog Fator W.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *