Para a maior parte das pessoas que seguem o método de produtividade GTD, a caixa de entrada ou inbox onde são jogadas todas as pendências que aparecem é uma pasta virtual em algum programa de to-do. A ideia deste post vai um pouco na contramão e sugere que você tenha também uma bandeja física para usar como caixa de entrada.

Por mais digital que você ou seu trabalho sejam, ainda assim pendências em papel vão aparecer na sua frente. Correspondências, anotações, recortes de revistas e outros itens físicos também precisam ter um local próprio para serem armazenados antes de serem processados.

Para isso, basta você adquirir um escaninho e colocá-lo em um local apropriado (na sua mesa de trabalho, por exemplo). Estando em um lugar acessível, a bandeja vai funcionar como uma caixa de entrada física para complementar o programa de to-do que você por ventura esteja usando.

Escaninho pode ser usado como caixa de entrada física

Um dos princípios básicos do GTD é deixar a mente clara como a água, ou seja, livre de estar se preocupando em relembrar detalhes ou onde está o quê. Se há um lugar para cada coisa e cada coisa estiver em seu lugar, você não precisará ficar se preocupando com isso e liberará espaço na mente para pensar no que realmente importa.

Uma vantagem de ter uma caixa de entrada física é o lembrete visual constante para manter tudo em ordem. Os programas de to-do instalados no computador são perfeitos para gerenciar tarefas, mas se você não o abre, ele pode simplesmente ser mais um ícone no computador.

Junto com lápis e caderno, a bandeja usada como caixa de entrada é um dos poucos itens físicos que você deveria comprar para manter uma boa aplicação da metodologia Getting Things Done.

Receba as atualizações

1 Comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *