Se você treinasse durante 15 minutos por dia para fazer X e durante as 15 horas e 45 minutos restantes em que você passa acordado treinasse para fazer o oposto, o que aconteceria?

Complementando o post de ontem, esta é uma impressão que tenho tido desde que engatei a prática da meditação como um hábito diário.

Nos 15 minutos em que estou em cima do zafu o treino é para direcionar a mente a um único ponto (no meu caso de iniciante, a respiração).

No restante do dia, parece que tudo leva a mente a treinar para o oposto. Nas ruas, há anúncios por todos os lados. Na TV, centenas de canais e mesmo em uma única tela, por cima do vídeo, aparecem letras e chamadas de outras coisas. Na internet, são e-mails, tweets, hiperlinks, mensagens de Facebook, banners. O mundo todo parece ser feito para nos distrair.

Semana passada o Gustavo Gitti publicou um excelente texto chamado O Método do Sr. Miyagi que aborda questão semelhante: levar o treinamento conosco para todas as atividades que fazemos durante um dia.

“Se puder praticar mesmo distraído, você estará bem treinado” (Geshe Chekhawa)

Uma mente bem treinada está focada mesmo em atividades simples como varrer as folhas do chão. O ritual de sentar e meditar é a prática formal, mas ela deve ser continuada em tudo o que fazemos.

Existem algumas atividades que nos colocam em um estado de flow que nos deixa 100% focados, mergulhados no que estamos fazendo, mesmo durante horas.

Comigo, isso acontece muito quando estou escrevendo códigos para sites ou escrevendo pequenos contos. Um desses contos de poucas linhas já me tomou horas focado, escrevendo e reescrevendo. No caso de sites, já virei várias madrugadas fazendo e refazendo. Ao violão o fato se repete, embora com qualidade muito abaixo da crítica.

Quando estamos nesse estado de flow não nos sentimos cansados, mesmo que fiquemos horas sem comer nem beber nada. Só percebemos quando a bexiga não aguenta mais ou quando nos levantamos e sentimos os músculos das pernas se alongarem.

A verdade é que um estado similar pode ser atingido nas pequenas atividades do dia-a-dia, desde que nos condicionemos a tanto. Para isso, é necessário treino e disciplina. Sempre que percebermos a mente distraída demais, trazê-la de volta gentilmente ao que estamos fazendo.

Em termos mais práticos, podemos adotar a estratégia de quando for fazer UMA coisa, fazer ESSA coisa. Se estou escrevendo um post, não preciso estar com a TV ligada. Se estou vendo TV, não preciso estar cutucando o Facebook. Se estou no Facebook, não preciso estar com outras 32 abas abertas. Se estou com 32 abas abertas, pelo menos devo ler uma de cada vez.

A constatação é que nunca transformaremos uma mente dispersa enquanto a proporção for de 15 minutos focados para 15 horas distraídas.

Receba as atualizações

Publicado por Walmar Andrade

Criador do Mude.nu, Walmar Andrade é bacharel em Comunicação Social, com extensão em jornalismo on-line (UFPE), MBA em Planejamento, Gestão e Marketing Digital (FECAP-SP) e Master en Comunicación Empresarial (INSA-Barcelona). Escreve sobre comunicação e marketing digital no blog Fator W.

6 Comentários

  1. Walmar, faltou fechar a tag de link no seu post. Está errado, olhe aí.

    Abração!

    Responder
  2. Gostei muito e concordo com tudo que está escrito, aceitei o desafio, e vou conseguir ir até o fim! Muito obrigada pelo tempo e boa vontade que empregou neste texto! Deus te abençoe, e que tudo de maravilhoso aconteça em nossas vidas!

    Responder
  3. Muito bom,
    Estou tentando meditar tb.
    Onde compro a almofada para meditação?
    Me indica um local (Recife) ou pela net.
    Obrigada!

    Responder
    • @Thially_Soares não sei te indicar um local específico no Recife. Eu comprei pela internet na loja do PapodeHomem, mas parece que ela foi desativada. Tenta no MercadoLivre.

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *