O que leva uma pessoa a mudar de verdade? Por que algumas pessoas conseguem transformações impressionantes (pense em se livrar de dívidas e conquistar independência financeira, ou livrar-se de 30+ quilos e ganhar um corpo de atleta) enquanto outras patinam sem sair do lugar?

Anthony Robbins, um dos mais populares especialistas em mudança do mundo, tem estudado essa questão há quase 40 anos e tem uma teoria curiosa.

Para ele, a diferença entre quem tem êxito e aqueles que falham em alcançar uma meta de mudança reside em apenas três elementos essenciais para criar o que Robbins chama de “breakthrough” (algo como ruptura):

  1. Estratégia
  2. Estória *
  3. Estado

* A palavra estória refere-se a narrativas populares ou tradicionais não verdadeiras, ou seja, ficcionais. Já a palavra história é utilizada em outro contexto, quando a intenção é referir-se à história como ciência, ou seja, a história factual, baseada em acontecimentos reais.

Esse “breakthrough” é o momento em que o impossível torna-se possível. É quando você para de apenas falar que vai mudar alguma coisa em sua vida e finalmente parte para a ação a fim de vencer qualquer que seja o seu desafio.

Tal ponto de ruptura geralmente é acionado por um gatilho como frustração, raiva, estresse, ou até mesmo inspiração por meio de outras pessoas que nos servem de exemplo.

Você sabe que atingiu um ponto de ruptura quando diz para si mesmo, honestamente, “basta, não vou tolerar mais isso em minha vida” e se dedica diariamente a encontrar um meio de melhorar, sem volta.

O processo de mudança geralmente vem ao longo do tempo, mas o “breakthrough” é exatamente isso, um ponto de ruptura, um momento único. É aquele momento em que você toma coragem e se demite, ou se declara, ou joga algo fora, ou se interna em uma clínica, ou acaba um relacionamento destrutivo, ou joga fora o seu cartão de crédito cheio de dívidas.

Robbins afirma em seus seminários que essas três forças juntas podem causar mudanças massivas em sua vida, de uma forma que você nem poderia imaginar.

Qualquer que seja o desafio que você tenha em sua vida, se você utilizar conjuntamente estratégia, estória e estado em pouco tempo conseguirá vencer o desafio.

Vamos analisar cada uma dessas forças separadamente.

1. Estratégia

estrategia

Estratégia é a forma como nós vamos vencer determinado desafio.

Por exemplo, se o seu desafio é Entrar em Forma, você necessita de uma estratégia de alimentação, treino e descanso.

A melhor forma de encontrar uma estratégia que funciona é simplesmente você observar uma pessoa que já tenha vencido o desafio que você quer superar e simplesmente copiar os seus passos, adaptando à sua realidade. Procure os melhores, aqueles que têm resultados de longo prazo, e utilize a mesma estratégia para vencer.

O primeiro problema aqui é que muitas pessoas escolhem a estratégia errada e depois se perguntam porque não conseguem obter os resultados que procuram. O segundo problema é que estratégia sozinha não é suficiente para você gerar as mudanças que quer em sua vida.

Sejamos francos, será que hoje em dia faltam informações sobre como Entrar em Forma? Quantos milhares de livros, DVDs, sites, programas de televisão nos ensinam a como se alimentar melhor, como descansar melhor, como fazer exercícios físicos dos mais variados tipos?

Isso nos leva à segunda das forças necessárias para uma real mudança…

2. Estória

anthony-robbins

Sem a estratégia correta, você vai falhar. E quando isso acontecer, você vai começar a criar estórias para justificar por que falhou: “Minha genética é ruim”, “Só é rico quem nasceu rico”, “Eu não levo jeito com mulheres” ou qualquer outra desculpa do tipo.

Essas crenças limitantes nos impedem de encontrar novas e melhores estratégias. Ou, quando as encontramos, as estórias limitantes nos impedem de executar as estratégias corretamente.

Aplicando o princípio de Pareto, podemos dizer que 80% do êxito em vencer um desafio na sua vida vêm da psicologia, enquanto 20% vêm da execução mecânica.

Milhões de pessoas obesas no mundo a essa altura já sabem que comer açúcar e carboidratos refinados é péssimo para a saúde. Ainda assim, elas comem com as emoções e invariavelmente acabam falhando em executar a estratégia correta.

O mesmo vale para quem está afundado em dívidas, para quem quer parar de fumar, para quem não consegue manter um relacionamento de longo prazo. Elas sabem o que devem fazer, mas não conseguem executar.

Para resolver essa questão, Robbins afirma que devemos mergulhar fundo na mente dessas pessoas e analisar seus valores, suas crenças e principalmente as emoções que determinam sua ações em uma base diária.

Ele defende que, se você tem a estratégia correta para vencer qualquer desafio e ainda assim não obtém sucesso, é porque está falhando na segunda força essencial: o poder da estória. Você provavelmente criou uma série de crenças amarradas a uma estória. Uma estória que justifica porque isso não funciona, porque você não consegue, porque só funciona para outras pessoas.

Nosso cérebro parece operar pela lei do menor esforço. Para ele, é mais fácil criar uma estória que justifique nossa zona de conforto do que agir em uma base diária para mudarmos de verdade. Por que se esforçar em tentar mudar quando você “sabe” que vai falhar?

Nessas situações, o seu problema não é com a estratégia, mas sim com a estória que você conta para si mesmo. Mesmo quando você decide “tentar” mais uma vez, algo lá no fundo “sabe” que você não vai conseguir e já tem uma estória pronta para justificar a falha.

A verdade é que, se você encara um desafio sem se dedicar de corpo e alma, as chances de você falhar são enormes. E sua estória acaba se tornando uma profecia autorrealizável. O que só reforça sua crença de que nunca vai conseguir vencer aquele desafio. E o ciclo continua.

Por outro lado, as pessoas que conseguem mudar, que realizam coisas, que vencem desafios, que crescem, elas conectam a estratégia correta e uma nova estória: uma estória de empoderamento, uma estória de “Eu posso e eu vou conseguir. Outras pessoas já fizeram o mesmo e assim também eu farei”.

Com a estória correta, você pode deixar de ser um dos muitos que não conseguem mudar para se tornar um dos poucos que conseguem. Um mesmo fato pode ser interpretado de formas diferentes, a ponto de limitar você ou de dar mais poder para você seguir em frente.

Robbins cita o exemplo de Richard Branson, fundador da Virgin. Ao saber que tinha dislexia, Branson não usou a estória de que “Nunca vou conseguir ler”, mas sim a estória de que “Eu tenho dislexia, então eu vou ter que dar mais duro que os demais para fazer acontecer. E eu vou!”.

A verdade é que você pode usar estórias, ou as estórias podem usar você. Qualquer um pode usar uma estória empoderadora se assim desejar. Afinal, seja limitante ou empoderadora, estórias nada mais são que estórias, obras de ficção com uma leve inspiração na realidade.

Essas estórias controlam nossas emoções, e nossas emoções determinam o nosso comportamento e nossas ações. É daí que vêm os nossos resultados práticos, o que realmente nos leva a concretizar as mudanças.

“Seu mundo inteiro muda quando você altera sua estória. Mude sua estória, mude sua vida. Divorcie-se de uma estória limitante e case-se com a estória da verdade e tudo mudará. Eu posso afirmar: quando você se livra das estórias limitantes, toma ações massivas e encontra estratégias que funcionam, os resultados que você obtém parecem verdadeiros milagres” ~ Anthony Robbins

3. Estado

estado

É muito difícil mudar sua estória quando você está em um estado torpe. Se você está se sentindo um bosta, você não vai pensar que a vida é boa e que a mudança é possível.

O cérebro tende a expandir nossos estados emocionais. Se você está com raiva, provavelmente só vai pensar em coisas que lhe dão ainda mais raiva. E passará a criar mais estórias que alimentem esse estado.

O contrário também é verdade. Se você está apaixonado, começa a ver amor e compaixão em tudo o que observa. Como se pudesse ver o mundo através de lentes coloridas.

Um estado positivo é essencial para você mudar a maneira como enxerga as suas estórias. Para mudar a maneira como você percebe e experimenta a própria vida.

Se você parar para pensar, não são os fatos em si que nos influenciam, mas a forma como nós interpretamos esses fatos. Um mesmo fato pode ser bom para uma pessoa e ruim para outra, o que só prova que a bondade ou maldade não está no fato em si.

Quando estamos em um estado positivo, podemos vencer qualquer desafio, mas quando estamos em um estado negativo, tudo o que queremos é nos jogar no sofá e vegetar em frente à televisão.

A questão então é: como aprender a mudar nosso estado deliberadamente?

Existem muitas formas de fazer isso, mas para Robbins a maneira mais rápida e eficiente é mudar o nosso estado mental simplesmente mudando nossa postura física, nosso corpo.

“Você pode imediatamente e radicalmente mudar como você se sente (e não apenas torcer para que você se sinta bem) apenas aprendendo a mudar o seu corpo primeiro, para então mudar a sua mente” ~ Anthony Robbins

Você pode mudar o seu estado mental simplesmente mudando a forma como se movimenta.

Mover-se para a ação é a cura para todos os medos. O medo é algo físico, mas a coragem também é. Você pode ir de um para o outro em segundos se você alterar a maneira como se movimenta, respira, fala.

Uma pesquisa da Universidade de Harvard conduzida por Amy Cuddy provou que, quando assumimos posturas físicas empoderadoras por dois minutos, isso causa mudanças no nosso corpo, como o aumento de 20% nos níveis de testosterona e diminuição de 25% no hormônio do estresse (cortisol).

Vamos repetir: dois minutos simplesmente mudando nossa postura física podem fazer com que nosso cérebro fique mais assertivo, mais confiante, mais confortável. Nosso corpo tem o poder de rapidamente mudar o nosso estado!

Nessa rápida palestra do TED Talks 2012, Amy Cuddy explica em detalhes como essa “mágica” funciona:

Você tem que aprender o que funciona para você. Endireite a coluna, levante o queixo, mova-se mais rápido, respire mais profundamente, olhe para cima, bate palmas, grite. Não tenha medo de experimentar (nem de parecer ridículo) até encontrar o que você pode fazer com o seu corpo que tenha reflexo imediato na sua mente.

Grandes estratégias não servirão de nada se você não deliberadamente se colocar em um estado de força e determinação. Um estado que automaticamente vai lhe trazer a estória de que você pode, deve e vai vencer qualquer desafio que a vida lhe ofereça.

Com um estado positivo e uma estória empoderadora combinados, você não apenas vai encontrar as estratégias que funcionam, mas você vai de fato executá-las com consistência.

É assim que podemos criar um verdadeiro “breakthrough”: um novo estado com uma nova estória e com a estratégia que já funcionou para outros.

Receba as atualizações

3 Comentários

  1. Perfeito este texto, essa mentalidade! é como se acendesse uma luz, uma verdade que sempre esteve ali mas eu não via.

    Responder
  2. Muito bom texto. Parece simples, é simples, e a execução só depende de nós (a parte difícil).

    Foi muito bom ler este texto.

    Responder
  3. Estar presente. Didicar-se de corpo e alma ao papel que atua na vida. Atuar nesse caso significa ser você, a melhor versão que possa imaginar de você mesmo.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *