Um turbilhão de pensamentos correm na sua cabeça. De repente, você olha pela portinha e está a 10 mil pés de altitude. Em um momento, todas aquelas centenas de ideias frenéticas que surgiam e desapareciam transformam-se em uma só: Que porra estou fazendo aqui?!

Felizmente, não há tempo para pensar em mais nada. Você salta. Salta para o nada, salta para sentir um pico de adrenalina, salta para provar que pode. Salta para sair da roda.

“O momento mais foda é de quando a porta do avião abre até o momento em que você deixa o avião”, garante Matheus Zeuch, um recém-formado no curso de Accelerated Free Fall.

Vem a queda livre. Quarenta segundos. Duzentos quilômetros por hora. Três mil metros de altitude. Sem medo.

Ele garante que o medo fica no avião.

“O mais legal é que a coisa é muito clara e nítida: o medo não te acompanha no salto, ele fica no avião! E isso faz com que a queda livre seja melhor ainda”, continua Zeuch. “A sensação de queda livre é difícil de descrever. É uma sensação gostosa. Rola uma puta adrenalina, mas é diferente, você curte demais!”.

Ainda há mais um momento tenso. Os três segundos entre você puxar a cordinha e o paraquedas abrir completamente. “Eu achei que era algo rápido”, confessa ele.

Primeiro salto

Se você é como eu, que nunca saltou de paraquedas, deve ter mil alucinações de como é essa sensação que o Matheus passa aí no vídeo (segundo salto dele).

“Minha impressão era muito diferente da realidade, e eu poderia facilmente dizer que a realidade dá de dez à zero! Eu imaginei que seria algo como andar na montanha russa mais radical do planeta, mas é diferente”.

Embora só tenha dado o primeiro salto em maio de 2011, Matheus foi radical: saltou sozinho desde a primeira vez.

“Eu fiz o curso Accelerated Free Fall e nesse curso você começa saltando com dois instrutores te segurando, um de cada lado, e cada um com seu próprio equipamento. É você quem sai da porta do avião, é você quem solta o avião, é você quem comanda o paraquedas, é você quem navega e é você quem pousa. Os instrutores estão lá apenas para te orientar, mas você faz tudo sozinho. Depois do terceiro salto do curso você salta apenas com um instrutor, que neste momento apenas te observa, e você já está inclusive em queda livre sozinho. Como eu não repeti nenhum dos 7 níveis, meu oitavo salto já foi absolutamente sozinho. Estou com 14 saltos agora”, conta ele.

Para quem não quer arriscar tanto, o salto duplo é o caminho. Nele você salta “amarrado” com o instrutor, que comanda praticamente tudo. Exceto o seu medo.

“Sentir medo é natural, eu sinto em cada salto e meu instrutor com milhares de saltos também sente. Mas paraquedismo é um esporte seguro”, garante Matheus.

Quanto custa a brincadeira

Praticar paraquedismo não é algo barato, especialmente se você quiser se formar e saltar constantemente.

Mas dar um salto duplo está longe de ser caro. No Rio Grande do Sul, custa em média R$ 630, com direito a filmagem profissional.

Os cursos variam muito de preço. Mas depois que você se forma e vai saltar sozinho, cada aventura vai sair por cerca de R$ 100 a R$ 150.

“Não é nem de perto um esporte barato, mas mesmo assim eu recomendo as pessoas juntarem dinheiro para fazer pelo menos um salto duplo para experimentar. É uma experiência inesquecível”, finaliza Matheus.

Se você se interessar, pode ler muito mais sobre o assunto no blog que o Matheus criou sobre paraquedismo, o PQD BR.

E aí, vai encarar o desafio de Saltar de Paraquedas?

Receba as atualizações

Publicado por Walmar Andrade

Criador do Mude.nu, Walmar Andrade é bacharel em Comunicação Social, com extensão em jornalismo on-line (UFPE), MBA em Planejamento, Gestão e Marketing Digital (FECAP-SP) e Master en Comunicación Empresarial (INSA-Barcelona). Escreve sobre comunicação e marketing digital no blog Fator W.

7 Comentários

  1. DEMAIS!!! Ficou muito bom o post Walmar, legal! Eu fiz mais um salto no último domingo, está cada vez melhor!

    Pra quem nunca saltou e quer saltar, tem meu total apoio! É demaaaaais!!!

    Quem quiser ver o vídeo completo com os meus 7 níveis do curso, aí vai o link:
    Skydiving AFF levels 1 to 7.

    Abraço!
    MZ

    Responder
  2. Tenho muita vontade saltar de paraquedas, acredito que deve ser uma das coisas mais emocionantes que da para se fazer.

    Bom ta ai mais um motivo para eu querer me tornar rico.

    Responder
  3. Bom a não sei se é tão barato assim, pois a ultima vez e a primeira paguei R$ 850,00 reais e sozinho com queda de 45 segundos. Bom se for 100 a 150 me passa aih que salto de novo.!

    Responder
  4. É o melhor esporte q já fiz.. Olha q já passei por Rapel, Rafting, Parapente mas o paraquedas é incrível, gostoso demais, é saltar uma vez e viciar com certeza! Façam isso antes de morrer vale muiiito a pena cada centavo gasto!

    Responder
  5. Amei o relatos, alguém tem um contato aqui em Salvador?
    Se puder passa o nome de uma escola séria e confiável quero vencer meu desafio!

    Responder
  6. Formei-me em paraquedismo em 1986, na Escola Superior de desembarque e Assalto de Riazan (ex URSS). Gostei dos comentários dos iniciantes. Na realidade o 1º salto é imprenciomante. Tive bastante experiência nos saltos. Gostaria ainda encontra colegas desta escola espalhados pelo mundo. Petroy- Luanda

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *