Final de 2014, entre o Natal e o Ano Novo.

Você olha para trás e tenta se lembrar de tudo o que havia prometido no final de 2013. Faz uma breve retrospectiva e vê que terá que prometer tudo novamente para 2015.

Você havia prometido que 2014 seria o ano do menos.

Menos televisão, menos tempo em frente ao computador, menos cliques nas notícias no Ego que dizem que a subcelebridade do momento acaba de tirar uma foto em frente ao espelho de casa.

Menos açúcar consumido, menos carboidratos inúteis, menos desculpas para não tirar a bunda da cadeira e ir fazer algum exercício físico.

Menos tempo preocupando-se com o que os outros vão pensar, menos reclamações mentais contra o chefe ou o emprego, menos tempo no trânsito, menos tarefas sem sentido para executar.

Você havia prometido ser menos ranzina, menos egoísta, menos autocentrado. Havia jurado que teria menos preocupações, menos compras supérfluas, menos dívidas no cartão de crédito.

Eu sei, você tinha as melhores intenções do mundo ao final de 2013. Colocou direitinho na sua cabeça como 2014 seria um ano diferente, em que ia fazer e acontecer.

O que aconteceu, então?

O que sempre acontece. A vida.

Transformar hobby em trabalho não é fácil

A vida.

Com seus dias e noites repetidos, com sua rotina de casa-trabalho-casa, com um interminável trânsito no meio do caminho.

Aconteceu o Big Brother 2014, aconteceu a Copa do Mundo, aconteceram as Eleições, as coisas não se alinharam como você gostaria. O seu Um Dia não chegou em 2014.

E assim o seu trabalho dos sonhos continuou onírico, o corpo ideal continuou distante, as dívidas continuaram crescendo.

Agora você olha para trás e vê que está exatamente onde estava ao final de 2013. Faltou um método.

Bate um sentimento de tristeza, mas também de esperança, pois 2015 está aí na frente e você tem uma nova oportunidade para sonhar novamente e acreditar que tudo vai mudar.

A oportunidade que surge na verdade todos os dias quando o sol nasce e você tem a chance de fazer a diferença naquele dia, somente naquele dia.

Feliz Ano Novo! Menos um.

Está gostando deste texto?

Receba as atualizações

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *