Diz a sabedoria popular que no longo prazo estaremos todos mortos.

Sendo verdadeira a assertiva, qual o sentido que há em ficar fazendo planos e estabelecendo metas para cinco, dez, vinte anos?

John Lennon certa vez afirmou que a vida é aquilo que passa enquanto estamos fazendo planos. O beatle provavelmente se referia a pessoas que estão sempre pensando no próximo passo, sem nunca desfrutar do presente.

É verdade que isso é um erro. Mas também é verdade que deixar a vida totalmente ao acaso, no melhor estilo Zeca Pagodinho, também não parece ser um grande acerto.

A vida é aquilo que acontece enquanto estamos fazendo planos. (John Lennon)

Bruce Lee parece ter matado a charada ao afirmar que, algumas vezes, os objetivos não são traçados necessariamente para serem cumpridos.

Nossos planos devem na verdade apenas estabelecer um horizonte, um norte para onde seguiremos. Funciona mais ou menos como um mapa que contém onde estamos e aonde queremos chegar, porém com diversos caminhos em aberto que podem ser percorridos.

Dessa forma, não jogue fora seus planos de longo prazo. Apenas os trace de forma que seja flexíveis o bastante para se adaptar às mudanças que inevitavelmente a vida trará.

Receba as atualizações

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *