Esse é um desafio fantástico. Pois não adianta nada fazer planos mirabolantes para toda vida pessoal e profissional, se você não consegue nem Parar de Fumar!

Não vamos discutir porque você fuma, existem mil justificativas para esse hábito. O objetivo aqui é fazer você parar de fumar cigarro. Assim como fiz há oito meses. Você pode usar qualquer recurso e escolher o que mais se adapta ao seu perfil e nível de dependência, mas alguns aspectos estão presentes na maioria dos casos.

1º – Ninguém para de fumar fumando.

Largar o cigarro aos poucos não rola, use balas, adesivos, doces, água..qualquer coisa, mas não fume. A parada imediata é mais difícil mas muito mais eficaz. A parada gradual em algum momento vai ativar em seu cérebro o mecanismo da compensação, não é intencional é instintivo. Você vai diminuindo a quantidade durante a semana e quando chega aquele dia da cerveja com os amigos: “Não fumei nada a semana inteira, hoje posso fumar mais”. Assim todo seu esforço vai por água abaixo e você tem que recomeçar do zero.

2º – Substituição de hábitos.

Imagine se cada vez que seu cachorro fizer xixi no sofá você recompensá-lo com um belo osso, ele nunca vai parar de mijar no sofá. É assim que o cigarro age sobre nós. Uma recompensa momentânea. A princípio, qualquer vício é ruim. Mas fumar é pior que comer doces ou navegar na Internet. Portanto, recomendo que no começo você substitua o hábito de fumar por alguma outra coisa “menos pior”.

3º – A dependência química.

Seu futuro brilhante.

Eu odeio esse termo. Existem testes que compravam que o organismo acostuma com a nicotina e etc. Mate esse ideia se você deseja parar de fumar. A muleta da dependência química é estatisticamente irrefutável, nós somos dependentes químicos do ar, da água e de alimentos. O velho dilema do ovo e da galinha vai aparecer aqui: Você fuma pois é dependente químico ou é dependente químico porque fuma?? A correlação é altíssima. Mas não tem sentido prático. Seria como dizer que as mortes dependem dos hospitais, ou que os policiais dependem dos bandidos. Quando você assume essa condição de dependente químico, dificulta ainda mais a situação. E convenhamos, você depende de comida, água, carinho…agora, depender de nicotina. E se você insistir que é dependente químico. Uns 3 cigarros por dia no máximo são suficientes para sua “química” funcionar.

4º – As pessoas ao seu redor.

Reconheça, ouça e peça ajuda. No meu caso e de outras pessoas que conheço, as companhias foram fundamentais para abandonar um vício. Quando você reconhece o péssimo hábito, não vai achar ruim que falem sobre isso. Se você fica irritado é um atestado de que está errado e você é infantil em não ouvir os outros. Além da família e amigos. A companheira (mulher, namorada, ficante) são peças chaves que vão ajudar nesse desafio.

Receba as atualizações

Publicado por

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *