Uma das razões pelas quais sofremos tanto é nossa tendência a querer sempre receber.

Queremos receber mais atenção, mais elogios, mais fama, mais dinheiro. Vivemos e percebemos o mundo como se ele fosse centrado em nós mesmos.

Quando vemos uma fotografia em que estamos presentes, olhamos primeiramente para nossa própria imagem. Vivemos e agimos considerando o que os outros vão pensar de nós, como se nosso desempenho fosse o centro das atenções dos demais.

Uma maneira bastante eficiente de reduzir o sofrimento e ampliar a felicidade é mudar o nosso foco. Em vez de estar querendo sempre receber, sempre sugar algo da situação em que estamos, devemos procurar dar mais do que receber.

Mais do que um verso na Oração de São Francisco, isso deve ser uma prática constante em nossas vidas.

Digo prática porque, para a maioria de nós, não é “natural” oferecer mais do que receber. Estamos fortemente habituados a querer tirar vantagem, buscar algo, conseguir alguma coisa.

Ofereça-se

Oferecer sua plena presença, procurar dar mais do que receber, pode gerar mudanças significativas na sua vida e na vida das pessoas que mantêm contato com você.

Nos relacionamentos com os outros, você dar atenção e fazer a outra pessoa sentir-se especial é a chave para a construção de novas amizades. Dale Carnegie elaborou toda sua obra em torno desse conceito.

Nos casos amorosos, isso é ainda mais verdade. Tudo o que um parceiro precisa é de atenção. Amor incondicional é você amar o outro sem colocar nenhuma condição para isso. Em vez de “vou amá-la se ela demonstrar interesse”, a postura adequada seria “vou amá-la não importa o que aconteça”.

Na carreira, oferecer mais do que receber é o caminho mais exato para ser bem-sucedido. As boas empresas oferecerão os melhores cargos para aqueles funcionários que estão ali pensando em dar o melhor de si e não para aqueles que pensam apenas no quanto vão ganhar em troca. Trabalhe oferecendo o seu melhor, sem condicionar isso a nada, e veja os resultados aparecerem.

No trato com o dinheiro, a regra também vale. Todos os grande empreendimentos obtiveram êxito ao focar em oferecer o melhor aos clientes. Praticamente todas as pessoas bem-sucedidas financeiramente doam parte de seus ganhos para quem precisa. Se você não tiver condições de dar dinheiro, dê outras coisas de valor: seu tempo em trabalhos voluntários, sua atenção, suas habilidades.

Na saúde é a mesma coisa. Quem faz uma dieta ou exercícios pensando apenas no que vai obter como resultado, perde toda a jornada rumo aquele resultado. Geralmente, essas pessoas abandonam o processo no meio do caminho, pois estão querendo receber resultados espetaculares sem oferecer esforço em troca.

Troque carência por compaixão

Querer receber sempre é um ciclo vicioso que reflete nossas carências. Tornamo-nos um buraco negro que está sempre querendo sugar mais, nunca satisfeito com o que já recebeu e nem um pouco preocupado em oferecer nada em troca.

O experimento que propomos aqui é você mudar sua postura de sugador para doador. Force-se a adotar uma postura mais aberta e generosa, sem esperar nada em troca. Em última análise, pense que ser generoso é muito melhor do que ser carente.

Não se preocupe com o que a vida tem a oferecer para você e sim com o que você tem para oferecer à vida. Dê atenção às pessoas, elogie o que merece ser elogiado (mesmo pequenas coisas), ofereça sua presença, faça mais do que a sua obrigação, doe tempo ou dinheiro.

Quando você dá o melhor de si, sente-se satisfeito. Você não espera nada das pessoas, não está mais preocupado em receber. Você deixou de ser egoísta.

No final, você provavelmente receberá muito mais do que recebia quando adotava o papel do sugador. Mas perceberá que o prazer maior vem de oferecer-se aos outros.

Receba as atualizações

3 Comentários

  1. putz, isso é Malkuth shebe Chesed ou uma linda coincidência?

    Responder
  2. Oferecer mais do que receber, uma grande virtude | mude.nu http://t.co/RlTNk14

    Responder
  3. A ideia é boa, mas não sei se ela funciona da forma como abordado no texto. Devemos sim ser seletivos com o que doamos.
    No amor, no trabalho, nas amizades, podemos ser explorados e criar uma mania de vítima se dermos sem discernimento. Dar demais para situações que não merecem e de menos em situações positivas não vale a pena.

    Acredito sim, que se queremos algo devemos doar. Assim vibramos na frequência do que queremos. Dar amor atrai amor, dar carinho atrai carinho e etc. Mas devemos estar sempre de olho em como nos sentimos quando DAMOS, se nos sentimos mal ou criamos expectativas sobre os outros, não é uma doação verdadeira.

    Acredito que devemos dar para os que estão abertos a receber. Devemos saber usar nosso estoque de energia!

    GRANDE ABRAÇO!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *