Espelhos por todo lado. Pessoas suadas levantando peso. Música bate-estaca nas alturas. Levanta, abaixa. Levanta, abaixa. Quatro séries de dez.

Não há dúvidas, você está na academia de ginástica.

Esse moderno templo sagrado do culto ao corpo onde milhões de brasileiros passam pelo menos três horas por semana dedicando-se a ou ganhar mais saúde ou simplesmente ficar mais magro, mais forte, mais flexível.

O Brasil é o segundo país com o maior número de academias de ginástica no mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos, segundo dados do Sebrae em agosto de 2014.

Mas enquanto o número de academias na terra do Tio Sam está estagnado, por aqui a quantidade de academias cresce a uma taxa de quase cinco mil por ano. Ou seja, em pouco tempo seremos o país com mais academias no mundo!

Isso é bom? Sim. Um povo que cuida da própria saúde é algo a se louvar.

Porém, há um outro lado nessa história.

O das pessoas que detestam academia de ginástica. Aquelas que até já tentaram, mas não suportam entrar no ambiente espelhado de música alta com pessoas de regata e suplex por todo lado.

Muitas pessoas usam isso como desculpa para não praticar exercícios físicos. Dizem algo como “eu não faço exercícios porque detesto academia”.

A questão é que hoje existem tantas academias no Brasil e tanta gente praticando musculação que parece que essa é a única maneira de se vencer o desafio de Entrar em Forma.

Este post foi escrito para provar o contrário. Vamos analisar em qual caso você se enquadra.

Você odeia academia, mas gosta de fazer exercício

academia-praia

Este é o caso mais fácil de ser resolvido. Tudo o que você tem a fazer é encontrar uma forma de se exercitar fora do ambiente da academia: pode ser no parque, na praia, ou até mesmo em casa.

Há algum tempo, falamos sobre a calistenia, uma forma de se exercitar utilizando apenas o peso do próprio corpo. Também já falamos como você pode malhar em casa.

Se você é realmente iniciante, sugerimos que contrate um profissional de educação física por alguns meses para que ele monte um treino e oriente pessoalmente alguns exercícios ao ar livre.

Ou, se preferir, você pode escolher programas de treinamento on-line, por vídeo ou até mesmo em ambientes específicos, como:

  • CrossFit: febre no mundo inteiro, o CrossFit é um programa de treinamento que trabalha força e condicionamento, no qual os exercícios procuram englobar todos os movimentos corporais exercidos nas mais diversas modalidades esportivas com a finalidade de desenvolver as 10 aptidões físicas reconhecidas pela Sociedade Mundial de Fisiologistas do Exercício: resistência cardiorrespiratória, resistência muscular, força, flexibilidade, potência, velocidade, coordenação, agilidade, equilíbrio e precisão.
  • Insanity Workout: programa de aulas em dez DVD’s criado pelo personal trainer americano Shaun T. para ser feito sem a ajuda de aparelhos, utilizando apenas o corpo. O projeto, que dura um pouco mais de dois meses, deve ser praticado seis vezes por semana. São trinta dias de aulas para perder gordura e outros trinta para ganhar massa muscular, com um intervalo de uma semana de exercícios mais leves no meio.
  • Freeletics: criado por um trio de alemães, foi trazido ao Mude.nu por meio do nosso fórum pelo Lucas Estorino. Este programa também usa apenas o peso do corpo e recomenda uma grande quantidade de repetições com pouco ou nenhum intervalo. Os resultados publicados pelos seguidores são impressionantes.

Esses são apenas alguns dos programas de treinamento para quem quer fazer exercícios como se estivesse na academia, mas sem estar na academia.

Porém, esse é apenas o caso da minoria das pessoas. A maioria que não curte academia, na verdade não curte mesmo é fazer exercícios. Vamos analisar esse caso.

Você não gosta mesmo é de fazer exercícios, mas gosta de esportes

academia-corrida

Se pararmos para pensar, os exercícios de academia ou mesmo os que citamos acima não são lá muito atraentes: levantar e abaixar o peso, repetir tal movimento, contar séries e repetições. Se você não tiver um grande foco no resultado, pode acabar se entediando.

A melhor maneira de resolver isso é por meio dos esportes de competição.

Aqui, em vez de se exercitar apenas por se exercitar, você estará na realidade praticando um esporte e competindo com outras pessoas, ou até com você mesmo.

Quando analisamos a lista de possibilidades, acabamos de imediato com a desculpa de que alguém não faz exercícios só porque não gosta de academia. Veja alguns dos esportes que você pode praticar competindo:

  • Natação
  • Polo aquático
  • Saltos ornamentais
  • Atletismo
  • Badminton
  • Basquete
  • Boxe
  • Canoagem
  • Caiaque
  • Ciclismo
  • Esgrima
  • Futebol
  • Futsal
  • Ginástica artística
  • Handebol
  • Hipismo
  • Hóquei
  • Judô
  • Jiu-jitsu
  • Pentatlo
  • Triatlo
  • Remo
  • Taekwondo
  • Tênis
  • Tênis de mesa
  • Arco e flecha
  • Vôlei
  • Vôlei de praia
  • Vela
  • Beisebol
  • Patinação
  • Skate
  • Golfe
  • Rugby
  • Softbol
  • Surfe
  • Corrida
  • Artes Marciais

Nem todos estão acessíveis sempre (por exemplo, se você mora em uma cidade sem praia fica difícil praticar surfe rotineiramente), mas com alguma pesquisa você pode encontrar um esporte de que goste para começar a competir.

Não necessariamente você precisa entrar em uma competição oficial. Disputar contra outras pessoas é bom, mas lutar contra si mesmo para baixar o tempo na natação, na corrida ou na canoagem pode ser tão instigante quanto.

Você não gosta nem de exercícios nem de esportes

academia-danca

O último caso é o mais difícil. Se você não gosta nem de exercícios físicos (dentro ou fora da academia) nem de esportes, o que lhe resta?

Atividades lúdicas ou cotidianas.

O que vai sobrar nesse caso são atividades que você pratica movimentando o corpo, mas sem achar que está praticando exercícios físicos programados.

Por exemplo: dançar, brincar com crianças, trabalhar em pé, jogar videogame no Kinect ou Wii, trocar o carro pela bicicleta ou ir a pé para o trabalho, jogar capoeira, fazer standup paddle, subir de escadas em vez de elevador…

Você pode pensar em diversas coisas que coloquem o seu corpo em movimento por pelo menos 30 minutos três vezes por semana. Esse é o mínimo necessário para você não ser considerada uma pessoa sedentária.

Mas será que só com essas atividades é possível entrar em forma? Se acha que não, leia o próximo tópico.

Pouca importa o exercício

Sempre falamos isso no Mude.nu, mas poucas pessoas prestam atenção: para vencer o desafio de Entrar em Forma, o exercício que você faz é o que menos importa. Ele responde por apenas 20% dos seus resultados.

E os outros 80%, de onde vêm?

Da alimentação.

Não nos entenda mal: exercícios são essenciais para a construção de uma boa saúde e para um corpo em forma. Porém, de nada eles adiantarão se você vive comendo pão, açúcar, pizza e refrigerante nos momentos em que não está se exercitando.

Por isso nossa recomendação para quem não tolera academia de ginástica é focar-se muito na dieta e apenas escolher algo que ponha o corpo em movimento de vez em quando, umas três vezes na semana.

Siga esse protocolo e em breve você será mais um dos que conseguem vencer esse desafio.

Receba as atualizações

1 Comentário

  1. Ótima postagem, tomara que muitas pessoas leiam e reflitam. Existe um grande tabu sobre exercícios fora da academia. O bom é que cada dia que passa cresce o número de praticantes de atividades fora de academias. Obrigado pela sitação, fiquei feliz em ver meu nome e saber que de alguma forma estou contribuindo com objetivos/sonhos de outras pessoas. Ainda estou a praticar o Freeletics e recomendo muito! É uma atividade que você aprende a superar além dos limites físicos, aprende a superar barreiras da mente( SIM EU CONSIGO ), pensamentos negativos de que você não consegue vão ficando para trás. Outro ponto é sobre a alimentação, que concerteza faz muita diferença, recomendo fortemente a leitura do livro do mude.nu Ano novo corpo novo.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *