O terceiro dia do áudio-curso Personal Power 2, de Anthony Robbins, é dedicado a explicar o que são neuroassociações. Esse termo complicado refere-se às associações que fazemos no nosso cérebro entre eventos externos e estados emocionais.

Sabe quando toca uma música e você se lembra de algo ou de alguém? Esse é um exemplo perfeito de neuroassociação. Um evento externo, neste caso um som, faz ativar no seu cérebro um sentimento passado.

O que controla nossas vidas é o significado que atribuímos a cada coisa. Nada tem em si um significado intrínseco, exceto aquele que nós mesmos atribuímos. Por isso, a chave para controlar sua vida é condicionar seu cérebro a associa prazer às atitudes que você precisa tomar para atingir suas metas.

Pensamento positivo não funciona, pelo simples fato de que você tem que pensar antes! Somos criaturas de emoção e não de lógica. Quando algo acontece, nós estamos já no automático reagindo. Já será tarde demais para pensar positivo.

Cérebro azul

Outro exemplo. Se você associa dieta a um sacrifício extremo, à privação de tudo o que gosta, são mínimas as chances de o seu regime dar certo. Por outro lado, se você associa dieta a ficar mais magro, mais saudável, mais bonito, crescem as chances de tudo correr bem.

Como criar neuroassociações

Nós estamos sempre criando neuroassociações. Quando estamos em um estado emocional alterado (para o bem ou para o mal), o que acontece ao nosso redor pode ficar definitivamente associado àquela emoção. Isso acontece com músicas, cheiros, sinais visuais, locais etc.

Para criar deliberadamente uma neuroassociação, precisaremos nos colocar em um estado emocional alterado e linkar algo a isso. Estaremos criando o que os especialistas chamam de uma âncora.

Quem faz isso muito bem é a publicidade. Tony Robbins dá no curso o exemplo do cigarro. Um produto que faz mal a saúde, fede, não dá barato… mas mesmo assim é consumido por milhões de pessoas todos os dias! Como isso é possível?

A tática usada pela indústria do cigarro foi sempre associar o produto a um estilo de vida cool ou chique. Repare como nos filmes antigos (e até em alguns atuais) como parecia ser legal quem estava fumando. Quem não lembra do cowboy da Marlboro?

Os comerciais nos colocam em estados alterados mostrando cenas de um estilo de vida excitante, cenas de muito prazer, e no final mostram o produto. Isso acontece repetidas vezes, até que nosso cérebro começa a associar aquele produto ao prazer.

Nós devemos fazer “comerciais” na nossa própria mente. Associar prazer a ler mais, a se exercitar todo dia, a buscar independência financeira etc. Isso será explicado em detalhes no dia 4, próxima aula do curso.

Exercícios do dia 3

  1. Liste três neuroassociações que você fez no passado e que mudaram sua vida para melhor.
  2. Faça o mesmo com outras três, sendo que tenham mudado sua vida para pior.

Receba as atualizações

1 Comentário

  1. É um pouco “ruim”, ver que o autor que fez o review odeia pensamento positivo, sério ele acha qualquer brechinha que o Anthony Robbins diz para falar sobre isso de forma muito “puxando sardinha” pro seu lado.

    Mas é aquele papo de foco, não é mesmo? Rs.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *