Se você é descendente de japoneses ou tem um cônjuge de origem oriental, pode um dia encarar no Japão o desafio de trabalhar e Morar fora do Brasil.

De 2005 a 2007, eu tive essa experiência de trabalhar em uma empreiteira no Japão e até hoje sinto que foi uma das melhores e mais transformadoras de minha vida. Vou listar algumas dicas, baseadas em minha percepção e em seguida sugerir um link de uma empresa séria, que pode resolver todas as questões legais caso você decida mesmo ser um Dekassegui.

Dekassegui (出稼ぎ dekasegi) ou Decasségui é um termo formado pela união dos verbetes na língua japonesa 出る (deru, sair) e 稼ぐ (kasegu, para trabalhar, ganhar dinheiro trabalhando), tendo como significado literário “trabalhando distante de casa” e designando qualquer pessoa que deixa sua terra natal para trabalhar temporariamente em outra região ou país. (Wikipedia)

Em dezembro de 2005, cheguei a Izumo-Shi, uma cidade japonesa na província de Shimane-Ken com cerca de 90 mil habitantes, poucos deles brasileiros. Depois morei em Minokamo-shi e Kani-shi, na província de Gifu-ken. Conheci Hiroshima (a primeira cidade do mundo a sofrer um ataque com bomba nuclear) e passei um réveillon em Tokyo com pessoas do mundo inteiro. A história de vida das pessoas vai determinar os objetivos e estilo de vida que cada um quer levar ao trocar de país. Tenho amigos que foram pra Austrália, China e conheceram o Japão inteiro. Conheci muitas famílias e gerações que cresceram no Japão, mas em meu caso, as principais percepções foram:

Decasségui trabalhando no Japão

Há vagas

1. Você vai ficar um tempão sozinho: Como a carga de trabalho é alta, fica difícil no inicio estabelecer qualquer rotina social, portanto é provável que você tenha que ficar em casa sozinho. Então, meu amigo, prepare-se para muita meditação, leitura e filmes. Você será sempre sua melhor companhia. Existe um espécie de egoísmo competitivo muito feio entre brasileiros que convivem no Japão. É complicado explicar, mas você vai sentir. Inveja e casos de traição são comuns.

2. A cultura e história do oriente são incomparáveis: Não adianta ficar o tempo todo comparando as situações sócio-econômicas. Você vai perceber que na maioria das vezes o Brasil é muito pior, e vai ficar sonhando “ah, se no Brasil fosse assim…” Desde a educação e respeito das pessoas nas ruas até o preço do salmão. Cada característica de outro país foi determinada por um série de fatores que não podem se aplicar por aqui. Compare-se somente a si mesmo.

3. O dinheiro é abstrato: A moeda japonesa é o iene, ele é bastante desvalorizado e não existe conversão direta para o Real. Portanto devemos converter em Dólar Americano ao enviar dinheiro ao Brasil. Uns optam por guardar dinheiro, eu optei por enviar remessas mensais. Detalhe: quando cheguei ao Japão, US$ 1,00 comprava R$ 2,75 reais. Na época da minha volta ao Brasil, a cotação era R$ 1,79. Portanto, a mesma quantidade de trabalho comprava muito menos coisas aqui.

4. Intensidade de Comportamentos: Seus comportamentos serão testados no Japão. Por passar muito tempo sozinho, você pode usar muitas muletas psicológicas que se tornarão hábitos. Cuidado. A principio você vai comer mais, fumar mais, comprar mais, odiar muito mais seu trabalho. Depois pode ser difícil se readaptar ao Brasil. Conheço muitos exemplos de pessoas que não conseguem mais voltar a morar aqui.

5. Tenha uma pessoa de referência: Como falei no inicio, não fiz um programa de intercâmbio ou turismo internacional, portanto essas são algumas de minhas percepções. A situação muda e hoje existem empreiteiras recrutando Programadores e Desenvolvedores (pagando 1,8x mais por hora de trabalho).

Como ir morar no Japão

As empreiteiras fornecem todo suporte. Eu fui sabendo que iria encontrar meu irmão. Recomendo que tenha alguém de confiança que esteja lá para auxiliá-lo nos primeiros meses.

Abaixo alguns sites com empresas sérias.

  • Avance Corporation: A Avance Corporation, uma das mais conceituadas fornecedoras de mão-de-obra do Japão, está sediada em Aichi-ken. Entre seus principais clientes, destacam-se grandes empresas como a Murata Corp.
  • TGK RH: O grupo TGK TRAVEL, atuando há mais de 20 anos no mercado, atende as áreas de turismo, recrutamento e seleção de pessoas. Tem como filosofia a busca permanente do respeito, responsabilidade, ética e transparência, imprimindo em todas as suas ações dinamismo, rapidez e o suporte adequado. O braço do grupo TGK RH especializa-se em recrutamento, seleção e consultoria para pessoas interessadas em trabalhar no Japão.

Se alguem já teve essa experiência, talvez se identifique com alguns pontos do texto. Pra quem tem vontade de ir, vale ficar atento, pois como já foi dito por aqui fugir para outro país não vai resolver seus problemas.

Sobraram dúvidas? Podem perguntar na caixa de comentários que eu respondo!

Receba as atualizações

Publicado por

30 Comentários

  1. fala andre e um prazer falar com vc , meu nome e mariel tenho 22 anos sou sushimam e moro em volta redonda , meu desejo e aprender mais sobre a culinária japonesa , aqui no brasil trabalho em uma franquia com o nome de clik sushi , minha duvida e se um diploma de mestre pode me ajudar ai ? me adiciona no face marielfabuloso@gmail.com , pra gente conversar sobre isso cara vlw

    Responder
  2. mariel santos

    Responder
  3. Bom Dia André,
    Me chamo Wilians Cunha sou, brasileiro e sou casado com uma nissei.
    Estamos pensando(e pensando muito) em ir trabalhar no Japão, porém estou com um pouco de receio, pois sou brasileiro, sem nenhuma descendencia japonesa, meu maior medo é de não me adaptar ao ritmo de trabalho no Japão, pois mesmo não tendo medo de trabalhar, lá e muito diferente daqui nesse quesito certo?, teria algumas informações sobre isso? Muito obrigado e parabéns pelo post.

    Responder
    • Wilians,
      Boa tarde.
      Sou neta de japoneses e casada com um brasileiro.
      Pretendemos ir para o Japão neste ano.
      Podemos trocar informações e quem sabe nos apoiar.
      Me adiciona no Facebook. Meus dados estão aí.

      Responder
      • Legal! vcs estão pretendendo ir quando?

        estamos indo agora no final do mes, mais tardar começo do mes que vem.
        estamos indo para Izumo, em Shimane – Ken

        Responder
        • Olá, Williams! Eu e meu marido tbm estamos querendo voltar ao Japão ainda este ano e provavelmente trabalhar na mesma fábrica pra onde vc foi… Se puder nos contar suas impressões do serviço, por qual agência vc foi e por qual empreiteira ficaríamos mto gratos… Se preferir responder por email, meu endereço é crislumy@yahoo.com.br quem sabe seremos colegas de serviço…
          Abç e boa sorte!!!
          Cristine

          Responder
      • Olá Jaqueline, bom a tarde.
        Posso tambem lhe adicionar para trocar informações?
        Quero ir , porém sou não descendentes estou procurando formas para ir, trabalho com informatica, e sei que o mercado lá é alto montagem e tudo mais nisso, já pesquisei bastante e ainda estou, porém quanto mais informações melhor e vocês já estarão lá, pode me dar dicas ou algo que me ajude, se possivel e não tiver problema é claro.

        Muito obrigado

        Responder
  4. Olá, André.
    Primeiramente, digo que achei bem interessante o post e adorei as dicas.
    Fui como arubaito recentemente e posso dizer que muita coisa que você disse é verdadeira, outras eu não tive a oportunidade de presenciar, já que fiquei por 3 meses somente.
    E gostaria de saber se você achou que valeu a pena o serviço e a remuneração? E se você teve dificuldades para se adaptar ao Brasil e quais foram as maiores dificuldades para se adaptar ao Brasil?

    Obrigada desde já.
    Isis Mayumi.

    Se preferir pode responder para o email : isismayumi@hotmail.com

    Responder
  5. Bom , adorei o post , mas queria saber se existe alguma empresa que contrate alguem que nao tem japones fluente. grata!

    Responder
    • Priscilla, não sou do blog, mas respondendo sua pergunta: sim, muitas empresas contratam quem não fale japonês fluente. Eu mesmo fui sem saber nada de japonês e me dei bem, o que pode acontecer é que para facilitar o contrato você precise de uma empreiteira, mas para trabalhar lá não precisa ter fluência no idioma.

      Qualquer duvida entre em contato.

      Isis Mayumi
      isis_coruja@hotmail.com

      Responder
  6. Olá, eu quero me tornar mangaká no Japão. Queria saber em que região do Japão seria melhor para começar minha carreira. Agradeço desde já Aguardo sua resposta

    Responder
  7. Olá trabalho na área de informática (Programador, Analista de sistemas) aqui no brasil gostaria de saber se consigo atuar em minha área no Japão.

    Responder
  8. PESSOAL LEIAM COM ATENÇÃO:
    Morar no Japão é o fim da picada, e trabalhar lá pior ainda, eu tive essa experiência e não recomendo para ninguém, lá só sobra bucha para trabalhadores estrangeiros latinos em geral, os melhores empregos lá só quem ocupa as vagas são japoneses, americanos, canadenses e europeus em geral, agora brasileiros, peruanos, argentinos, colombianos, etc… só pegam as buchas, e o pior você prejudica a sua saúde trabalhando só com serviços sujos, pesado, e correndo até risco de pegar uma doença mais grave se trabalhar com químicas, ou correndo o risco de se acidentar se for para autopeças, componentes eletrônicos é o mais leve e limpo, mas em compensação você não consegue guardar nada de dinheiro, e em qualquer que seja o seu serviço bucha, você ainda gasta uma grana com shakai hoken que é o seguro saúde porque é obrigatório, o imposto lá agora é de 8% e ta indo pra 10% no final desse ano de 2015. resumindo quem ta indo pra lá ta indo só pra morar e comer mesmo, e ainda muito mal, porque nem o país e nem os empregos, não oferecem pra você uma perspectiva de futuro e nem crescimento profissional, pois as empreiteiras te enchem de promessas e falsas realidades, muitas fantasias, e falam aqui no Brasil que você vai ganhar 400.000 yenes lá se for solteiro, e de 600a800mil yenes se for casal, mas chega lá não ganha nem a metade disso porque o tanto de descontos que vem até desanima, e pra você pagar a sua passagem se for financiada pior ainda, vai ficar 6 meses preso em uma empreiteira ate quitar tudo, e pior tendo que aguentar um serviço bosta que você pode nem conseguir se adaptar, e tem também a fantasia de quem nunca foi para o Japão e sai do Brasil imaginando que vai morar em um lugar igual tokyo ou perto, mas quando cega lá descobre que vai morar em uma biboca, interiorzão atrasado e bem afastado, isso sem falar no preconceito que há contra brasileiro, pois já vi vários casos lá, fiquei 2 anos lá, e me arrependo, pois nesses 2 anos que fiquei lá teria crescido muito mais se tivesse ficado aqui no Brasil, fica a dica, se quiser quebrar a cara pode ir, depois não diga que você não leu meu comentário aqui. boa sorte!

    Responder
  9. Boa noite! Td bem? Meu nome é Raquel estou com muita vontade de ir na verdade estou tentando tirar meu visto! Gostaria de trocar uma idéia com VC pois tenho dois trabalhos em vista! Será que podemos conversar?? Obrigada

    Responder
  10. Oi me chamo Rafael e eu tenho muitas dúvidas, sabe eu queria morar no Japão mais sou do estado do Pará de itaituba, eu queria saber como fasso para fazer minha primeira viagem e já fica morando lá permanente

    Responder
  11. Eu ainda vou, e tenho amigos não descendentes de japoneses que estão lá há 4 anos e não querem mais voltar pro Brasil. Ralam muito, mas sabem usar o dinheiro, não gastam em baladas e consumismo. Compraram carro usado, passeiam nas folgas, conseguem viver bem melhor do que aqui. Falam muito bem da cultura do país, da educação da maioria dos japoneses, de como as coisas funcionam bem, como é o atendimento nos bancos, nos serviços públicos, no comércio… Quanto ao preconceito, existe em qualquer parte do mundo, mas no Japão isso foi causado por uns brasileiros e outros estrangeiros de merda que aprontaram por lá e queimaram o filme dos demais.

    Responder
  12. Muito interessante essa matéria! Você disse que hoje estão pagando melhor para programadores e desenvolvedores, qual site você indicar para busca destas vagas?

    Responder
  13. olá
    cara to pensando em ir para o japao a trabalho,
    quero saber se realmente for trabalhar no japao da pra voltar ao brasil com bastante dinheiro preciso de umas dicas vlw

    Responder
  14. Olá, sou uma garota brasileira sem descendencia japonesa,porém, quero morar no Japão, mas não sei como posso fazer o ensino médio lá! Algum de vocês sabe como posso ir morar lá para estudar? (Lembrando que não sei japonês )

    Responder
    • Emily,sua família irá junto certo? Pois se não forem e você for só pra estudar será um pouco difícil ,pois todas as escolas lá pagam uma certa taxa,mesmo sendo pública .Sobre nihongo,existe várias escolas destinadas a brasileiros ,mas caso queira entrar em uma japonesa é melhor começar a aprender o japonês .Beijos e boa sorte

      Responder
  15. oloko meu tu falou tudo em poucas palavras ,desde a chegada a estadia o comeco meio e fim

    Responder
  16. Adorei seu depoimento, realmente é assim…
    Mas vim só para deixar um recado sobre a TGK, estão trazendo pessoas para o Japão e chegando aqui não estão dando a assistencia necessária, tem familia que está sem trabalho há 1 mes desde a chegada, não indico essa empresa, meu irmão ligou no escritorio deles em SP e não gostou do atendimento, com certeza deve ter mudado muito desde a sua vinda!
    Abraço

    Responder
    • Patricia, tudo bem? Você ainda tem informações negativas da TGK? Saberia me dizer se o grupo Nishikawa Sangyo está com problemas de colocação ainda? Estou quase fechando contrato com eles e gostaria de saber.
      Grato.

      Responder
  17. Tenho muita vontade de morar no Japão mas não sou descendente, tenho muitos amigos que moram lá.
    Como faço?

    Responder
  18. Cara Patrícia ,

    Aqui quem está escrevendo é o Armando Shinozaki da TGKRh, gostaria de esclarecer a questão que foi levantada pela Srta com relação ao problema ocorrido em Gifu, realmente é verdade que quatro casais que foram encaminhados para a Nishikawa Sangyo , uma de nossas parceiras, tiveram problemas na sua colocação , a Nishikawa não conseguiu dar conta da demanda e infelizmente não fomos informados , quando finalmente tomamos conhecimento do que estava acontecendo entramos em contato imediatamente com todos os casais e oferecemos possíveis recolocações , e tomamos todas as medidas cabíveis para solucionar o problema . Esta foi a. Primeira vez que ao longo desses quase 26 anos aconteceu fato parecido , sentimos muito o ocorrido, mas acredito que tudo tenha se solucionado de maneira satisfatória , desde então continuamos trabalhando , felizmente, sem nenhuma ocorrência.

    Responder
    • Caro Armando, tudo bem?
      Poderia me informar se atualmente o problema de colocação da Nishikawa continua? Vocês possuem empregos disponíveis com esta empreiteira?
      Pretendo viajar com a família e esta informação seria determinante, pois li alguns relatos negativos desta empreiteira.

      Responder
  19. não sou descedente de japoneses essas empresas só recrutam pessoas com descendência????

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *