É possível que o título desse artigo tenha feito você pensar no MASP (Museu de Arte de São Paulo), mas não é dele que quero falar aqui (apesar de achá-lo um dos melhores do Brasil…).

Quero te apresentar uma ferramenta pouco conhecida que pode te ajudar enormemente no ganho de produtividade pessoal, profissional e de estudos: o MASP – Método de Análise e Solução de Problemas.

Como o próprio nome diz, essa é uma metodologia estruturada para te ajudar a resolver os seus problemas. É especialmente útil quando seu problema parece confuso e você não consegue entendê-lo logo de cara.

Nesse momento eu quero que você pense em um problema que está te atrapalhando.

Vale tudo. Pode ser a necessidade de evitar retrabalho nas suas tarefas diárias; a dificuldade de aumentar a produtividade no estudo; ou ainda um relacionamento familiar que te faz sentir um peso grande.

Enquanto você aprofunda a ideia, eu explico a origem do MASP – Método de Análise e Solução de Problemas.

Trata-se de um método gerencial oriundo da Gestão da Qualidade Total (TQM) japonesa. Você confia na capacidade japonesa de solucionar problemas e melhorar a qualidade em tudo? Pois o método que está por trás é o MASP.

Ele nasceu com o nome de QCStory com o objetivo de detalhar as etapas do ciclo PDCA (Plan, Do, Check, Act) para atuação gerencial na resolução de problemas.

Apesar de ter sido criado para o contexto empresarial, ele pode ser utilizado perfeitamente por qualquer um para ajudar a resolver qualquer problema da vida de forma efetiva.

Para fazer o MASP agir na melhoria de sua produtividade e qualidade de vida, é preciso seguir um passo-a-passo relativamente simples, com oito etapas. Ainda assim, é preciso que você saiba que não pode pular nenhuma das fases!

Vamos começar a aplicar o MASP desde já na sua resolução de problemas? Vou apresentando a ferramenta e mostrando como utilizei na minha própria vida. Recomendo que você siga o roteiro para conseguir resolver os seus problemas…

1. Identificar o problema

MASP - Método de Análise e Solução de Problemas

Em primeiro lugar, você precisa saber qual problema que pretende tratar. Esse é o primeiro passo do MASP.

Lembre-se do problema que eu pedi para você pensar no início do texto. O momento é de buscar defini-lo claramente.

Pegue uma caneta e papel (ou abra um documento no editor de textos) e comece a descrever o problema de forma bastante objetiva. Para ajudar a caracterizá-lo, é fundamental que reconheça sua importância.

Assim, posso definir um problema que já tive: a dificuldade de falar diante de câmeras, o que atrapalhava imensamente minha capacidade de desenvolver minha carreira como professor e pesquisador – o que eu julgava muito importante.

Para que você tenha uma noção: certa vez passei meses me aprofundando num estudo acadêmico e, quando terminei, fui entrevistado por uma jornalista que me perguntou “seu estudo fala sobre o que?”, e eu travei, sem resposta…

2. Identificar as características específicas

Uma vez definido o problema e sua importância, é hora de observá-lo para identificar suas características específicas. Esse é o segundo passo do MASP.

No meu caso, eu tive que fazer uma auto-observação. Vi que era só olhar para uma câmera filmando que eu travava. Uma câmera fotográfica, por si só, e eu já me sentia exposto. Percebi ainda que, a mera gravação de um áudio com a minha voz me incomodava.

Mas por que isso tudo?

3. Identificar as raízes do problema

MASP

O próximo passo do MASP busca justamente identificar as causas para o problema, por meio de uma análise. Esse é o terceiro passo do método.

No meu caso, precisei olhar para dentro até perceber que o registro das minhas palavras me incomodava, pois eu tinha medo de falar uma bobagem grande e aquilo ficar registrado para sempre.

Minha voz me incomodava: muito grave, muito diferente do que eu mesmo escuto quando eu falo.

Além disso, minha aparência também me constrangia: acne frequente no rosto e minha cicatriz no lábio chamariam atenção negativamente.

Era um grande medo de ser criticado por milhares de juízes ferozes que me bloqueava e tirava toda a minha intimidade com a câmera.

4. Criar um plano de ação para bloquear as causas

Agora que você já sabe quais as causas para o problema, chega-se ao quarto passo do MASP: criar um plano de ação para bloquear as causas.

No meu caso, defini que eu teria que me acostumar com a câmera. Ela teria que virar minha amiga.

Como fazer isso?

Gravando vídeos simples de mim mesmo com o celular. vendo meus vídeos. Criando intimidade com minha própria imagem e o som de minha voz, para ter mais segurança e menos medo dos juízes. Esse foi o plano que construí com base no MASP para solucionar o meu problema.

5. Executar o plano de ação

MASP - Plano de Ação

A partir daquele ponto, com um plano de ação pronto, chega a hora de executar o plano (quinto passo do MASP).

Comecei a me gravar com o celular. Fiz testes de gravação com a webcam do notebook. Pedi para me gravarem e assisti aos vídeos. Comecei a me acostumar com a imagem e o som.

Critiquei meus próprios vídeos como nunca, mas comecei a ver que não tinha nada demais ali. Era só ter segurança de que a câmera seria minha amiga e, de repente, eu passei a olhar para os fundos da lente e imaginar centenas de amigos e amigas que estavam interessados em me ouvir e me ver. E não críticos ferozes que me condenariam por qualquer passo em falso.

A execução do plano deve trazer sempre um ganho muito objetivo: bloquear as causas do problema.

Foi isso que consegui: intimidade com um público desconhecido, e certeza de que poderia falar com segurança para a câmera, pois esse registro era fundamental para que o meu recado pudesse ser passado a diante.

6. Verificar se o bloqueio das causas foi efetivo

O sexto passo do MASP consiste na verificação sobre se o bloqueio das causas foi efetivo.

Como eu fiz isso, no meu caso?

Resolvi começar a gravar videoaulas. Primeiro fazia isso no conforto de um estúdio, onde poderia gravar, pausar, errar, e regravar. O resultado foi impressionante: meu grau de conforto subiu imensamente! Não tinha mais vergonha ou medo! Os meus amigos anônimos estavam lá, no fundo da lente, e eu os estava ajudando.

Dei um próximo passo e fiz o teste maior: comecei a fazer transmissões ao vivo. Tive muito medo no início, mas logo percebi que a amizade que nos unia – eu e os que me assistiam – era a base para aquelas transmissões.

Hoje, quando faço transmissões ao vivo, o que sinto é uma energia imensa vinda de milhares de amigos do Brasil inteiro, que me abastece para ajudá-los ainda mais.

7. Padronizar para prevenir a reincidência do problema

MASP - Padronização

Após realizada essa verificação, chega-se ao sétimo passo do MASP: a padronização para prevenir a reincidência do problema.

No meu caso, a única coisa que poderia fazer para prevenir a reincidência do problema era manter a prática de assistir ao menos uma parte de minhas transmissões, o que continuei fazendo.

Além disso, fico sempre atento aos comentários das pessoas que me assistem ao vivo: é uma forma de perceber se estou indo no caminho certo ou não para ajudar aqueles que acompanham minhas transmissões.

8. Revisão do MASP para planejar novas melhorias

Por fim, uma vez padronizado o processo de melhoria, chega-se ao último passo do MASP: a revisão do processo para planejar novas melhorias.

É hora de revisar tudo o que foi feito para verificar se algo poderia ter sido diferente e melhor.

O que percebi é que sempre é possível fazer as coisas de uma forma melhor.

Reveja o processo, documente tudo, e deixe guardado em algum lugar. Se alguma vez enfrentar a mesma dificuldade, poderá utilizar o roteiro anterior como base para melhorá-lo e enfrentar o problema de uma forma superior.

Se você ainda não preparou a resolução de seu problema com o MASP, mãos à obra! Você verá que funciona! Coloco abaixo o roteiro resumido:

masp

Espero que essa técnica te ajude como tem me ajudado! Se você gostou do texto, ou se tem alguma dúvida, deixe um comentário logo abaixo que eu responderei!

Receba as atualizações

Publicado por Carlos Xavier

Carlos Xavier adora desafios e vive encontrando espaço em sua vida corrida para realizá-los. Seja emagrecer 10kg em três meses, trabalhar no exterior ou aprender windsurf, encara e enfrenta sem medo seus desafios. Lifehacker por natureza.

9 Comentários

  1. Sensacional! Me ajudou muito, era o que eu estava precisando para reorganizar meus estudos. Grande abraço!

    Responder
  2. Que bacana, e o seu problema é (era?) um problema que eu também tenho… vou correr atrás da solução… valeu pelas dicas! Abração!

    Responder
  3. Muito bom, Carlos. Nada melhor do que dissecar o problema para conseguir solucioná-lo. Vou aplicar este método, com certeza. Obrigado pelas explicações. Abraço.

    Responder
  4. Gostei! Vou colocá-lo em prática! Simples que ser realizado.

    Responder
  5. Olá Carlos tenho um problema parecido. Excesso de timidez diante de um público por exemplo na aula durante a faculdade nunca me espinho com medo de errar. Mas sei que isso me prejudica em muitas áreas…vamos la tentar!!

    Responder
    • Olá Carlos tenho um problema parecido. Excesso de timidez diante de um público por exemplo na aula durante a faculdade nunca me esponho com medo de errar. Mas sei que isso me prejudica em muitas áreas…vamos la tentar!!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *