O conceito de liberdade financeira está claro para muita gente. Já o planejamento prático para chegar até ela muitas vezes escorrega em erros simples que poderiam ser evitados com um pouco mais de conhecimento.

O primeiro erro é esperar pelas “condições ideais”, como se tal coisa existisse.

Não espere você entrar na faculdade, sair da faculdade, arrumar um emprego, mudar de emprego, casar, ter filho, ou o que quer que seja, para começar a pôr em prática o seu plano de liberdade financeira.

Não espere nem por amanhã. Como disse Lao-Tsé, lembrando o conceito japonês de kaizen, uma jornada de mil milhas começa com um pequeno passo.

O segundo erro clássico é não pôr no papel um planejamento detalhado. Talvez seja duro para você ler isso, mas o fato é que dizer que vai juntar R$ 4 milhões dentro de 10 anos para obter um rendimento de R$ 10 mil ao mês sem trabalhar não é um planejamento detalhado.

É apenas um sonho específico. Se você não detalhar como vai chegar até lá, é muito provável que não avance muito nesses dez anos.

Sendo assim, vamos aos cinco passos práticos para elaboração de um plano de liberdade financeira.

1. Defina o quanto você precisa receber por mês, em valores de hoje

Liberdade financeira

O primeiro passo é definir quanto você precisa para sustentar você e sua família em valores de hoje.

Esse número varia muito, pois depende do nível de vida a que você almeja, do tamanho da sua família, da cidade onde vive etc.

O importante é pensar o seguinte: quanto eu precisaria receber de renda passiva por mês para viver com tranquilidade mantendo o nível de vida que tenho hoje, a ponto de me sentir seguro para deixar de trabalhar?

2. Defina em quanto tempo você quer alcançar sua liberdade financeira

Tempo e juros compostos foram definidos por Albert Einstein como a força mais poderosa do universo. Para ter um exemplo prático, pense em meros R$ 100,00 aplicados em uma aplicação simples que renda apenas 1% ao mês acima da inflação.

Você sabe em quanto esses R$ 100,00 transformar-se-iam dentro de 40 anos, mesmo se você não aplicasse nem um centavo a mais? Nada menos que R$ 11.864,77. Agora pense se você aplicasse R$ 100,00 todo mês…

Quanto mais tempo você tiver, melhor será. Por isso falamos no começo para não esperar nem para amanhã para começar a executar o seu plano. Seja realista, mas coloque alguma pressão em si mesmo.

Atingir a liberdade financeira aos 90 anos não vai lhe dar muito tempo para desfrutar o máximo da vida…

3. Calcule quanto você terá que investir por mês

Liberdade financeira - Plano

Sabendo quanto você quer tirar e quanto tempo terá para juntar, já é possível começar a calcular quanto você terá que investir todo mês.

Para isso, os outros dados que você vai precisar são:

  1. Quanto você já tem guardado: é o patrimônio líquido que você já tem hoje e que pode ser investido
  2. Rentabilidade real da aplicação: cuidado neste ponto. Se a aplicação diz que tem um rendimento de 1%, esse não é o rendimento real dela. É preciso subtrair daí o Imposto de Renda e também a inflação mensal.

A partir daí, você terá que dividir o valor da poupança desejada após o tempo definido pelo resultado da seguinte equação: (1 menos a taxa de juros elevado ao número de meses do período definido) menos 1, dividido pela taxa de juros.

Um exemplo prático. Digamos que uma pessoa quer ter uma renda de R$ 10 mil por mês sem trabalhar e já conseguiu juntar R$ 20 mil. Quanto ela terá que aplicar mensalmente para ter sua liberdade financeira dentro de 30 anos?

Supondo que o dinheiro esteja em uma aplicação que renda 1% ao mês, com 15% de imposto de renda e uma inflação média mensal de 0,4%, essa pessoa terá que aplicar R$ 2.386,39 todo mês pelos próximos 30 anos.

4. Compre ativos e encurte o caminho

Talvez você tenha se assustado com os números. Como fazer para encurtar o caminho? As alternativas são: ganhar mais, gastar menos, obter mais educação financeira e comprar mais ativos.

O que são ativos? Embora haja inúmeras definições para o termo, tudo o que você precisa saber é que um ativo é algo que coloca dinheiro no seu bolso. De outro lado, um passivo é tudo o que tira dinheiro de seu bolso.

Um imóvel é um ativo? Depende.

  • Se for o imóvel em que você mora, na verdade ele tira dinheiro do seu bolso. Então é um passivo.
  • Se for um imóvel que você possua e esteja alugado, ele é um ativo, pois coloca dinheiro no seu bolso.
  • Se for um imóvel que você tem mas não conseguiu alugar, é um passivo, pois tira dinheiro do seu bolso no momento em que você tem que pagar condomínio, IPTU e outras taxas.

A maior parte das pessoas compra apenas passivos, coisas que geram despesas para elas. Concentre-se em comprar ativos, mesmo que seja um pouquinho a cada mês, e você terá o caminho para sua liberdade financeira encurtado.

Os ativos que você deve comprar são, especialmente, títulos do tesouro direto, fundos imobiliários e ETFs.

5. Acompanhe o seu plano de liberdade financeira de perto

Liberdade financeira - Acompanhamento

Uma vez que você já tem montado o seu plano de liberdade financeira e sabe qual o patrimônio que terá que acumular, trate de acompanhar o seu plano de perto.

Anote seus gastos, faça balanços semanais ou mensais, procure oportunidades de investimentos. Faça o seu dinheiro trabalhar para você em vez de você trabalhar por ele.

Lembre-se sempre de acompanhar as taxas de inflação. Seguindo nosso exemplo, você quer ter daqui a 30 anos o equivalente a R$ 10 mil hoje. Isso porque R$ 10 mil, daqui a 30 anos, terá um poder de compra muito menor do que o que tem hoje.

Por fim, desfrute a jornada. Aprender a dominar o dinheiro pode ser uma jornada prazerosa.

Se você ficar apenas focando no objetivo final, sem aproveitar o caminho, irá sofrer durante todo o período e provavelmente vai abandonar o plano.

A dica final é: associe prazer a acumular riqueza, a aprender sobre investimentos e a ver seu patrimônio crescer.

Receba as atualizações

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *