Depois de falar sobre os 7 erros que te impedem de enriquecer no dia 13 no curso em áudio Personal Power 2, Anthony Robbins continua no tema finanças no dia 14, explicando como eliminar a auto-sabotagem financeira.

Robbins retoma aqui o conceito explicado no dia 2 sobre o impulso humano de fazer tudo para evitar dor e buscar o prazer. A explicação passa pela própria história do autor, que diz que depois de fazer muito dinheiro no início da carreira como escritor e palestrante motivacional, acabou perdendo boa parte da fortuna.

Ele explica que começou a sabotar-se, deixando de cumprir compromissos profissionais pelo fato de estar associando dinheiro a sofrimento. Isso porque, apesar de estar ganhando muita grana na época, sua vida estava completamente tomada por problemas profissionais.

Essa associação não é incomum. A maioria das pessoas diz que gostaria de ganhar rios de dinheiro, mas inconscientemente tem medo do que virá junto com toda essa abundância. São questionamentos como: se eu tiver tanto dinheiro, nunca saberei se as pessoas estão comigo por gostarem de mim ou da grana. Ou, se eu tiver tanto dinheiro, posso ser sequestrado. Ou terei que trabalhar demais. Ou não terei tempo para minha família. Ou, é correto ter tanto dinheiro com tanta gente no mundo passando fome?

A saída, segundo Robbins, é libertar-se da ilusão de que vão já não é rico. O curso afirma que riqueza não é somente dinheiro. É um estado mental de abundância que envolve muito mais atitude do que pedaços de papel na carteira. Mais ou menos o que T. Harv Eker afirma em Os Segredos da Mente Milionária sobre o mindsetting dos ricos.

A auto-sabotagem é positiva

Tio Patinhas

É tudo uma questão de mindsetting.

Em outras palavras, o que Anthony Robbins afirma é que tudo aquilo que fazemos, inclusive a auto-sabotagem, é realizado com uma boa intenção. Trata-se do nosso cérebro buscando algum benefício de prazer em nossas ações.

Ter muito dinheiro é, para a maioria de nós, algo desconhecido. E o cérebro tende a temer o desconhecido, preferindo sempre ficar em uma zona de conforto.

Como em outras lições do curso, o autor afirma que o que devemos fazer é associar mais dor a não ter dinheiro do que a ter, de forma a manipular a relação dor-prazer ao nosso favor. Ou melhor, a favor de uma conta bancária recheada.

Exercícios do dia 14

  1. Identifique qualquer tendência que você tenha a sabotar-se
  2. Sinta-se bem pelo fato de seu cérebro estar tentando ajudá-lo a evitar a dor e buscar o prazer
  3. Obtenha uma alavanca para fazer uma mudança
  4. Interrompa antigos hábitos
  5. Ensaie alcançar o sucesso que você quer e sinta o prazer de estar sendo bem sucedido até que o novo padrão esteja condicionado

Receba as atualizações

1 Comentário

  1. Estou saindo da roda do casa-trabalho-casa,vou mudar essa história.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *