Dor e prazer são os temas do segundo dia do áudio-curso Personal Power 2, de Anthony Robbins. Antes de entrar no assunto, o curso faz uma revisão do dia anterior e pergunta se você fez o exercício proposto. Se não fez, deve parar o áudio e só prosseguir depois que tiver feito.

As perguntas do segundo dia são: Qual a força que nos controla? Por que não fazemos o que sabemos que devemos fazer?

Segundo Tony Robbins, tudo o que fazemos (ou deixamos de fazer) na vida é controlado por dois desejos, nesta ordem: O desejo de evitar a dor e o desejo de obter prazer.

Se você não está fazendo alguma coisa, é porque seu cérebro associa mais dor do que prazer no ato de fazer essa coisa. Isso também é conhecido como procrastinação, que seria exatamente o oposto de Personal Power (ou Poder Pessoal, a habilidade de agir e produzir resultados).

Procrastinamos porque pensamos que agira vai ser mais doloroso do que ficar sem fazer nada. Às vezes procrastinamos tanto que o processo se reverte: chega um ponto em que temos que agir, pois não agir torna-se mais doloroso do que tomar uma ação.

A balança da dor e prazer

Como controlar sua vida controlando dor e prazer

A necessidade de evitar dor é um mecanismo de sobrevivência dos seres humanos, é algo biológico. Por isso, ela é um maior motivador para as pessoas do que a necessidade de ganhar prazer. Por vezes o cérebro associa dor tanto a fazer algo como a deixar de fazer. Nesses casos, acaba vencendo sempre aquela que achamos que é a maior dor.

Mesmo sendo algo biológico, é possível mudar. O caminho é alterar nossas associações internas em relação a dor e prazer. Se não, mesmo que nos forcemos a fazer as coisas que queremos, cedo ou tarde acabaremos nos sabotando. Quem já começou uma dieta entusiasmado, perdeu muito peso e depois recuperou tudo sabe bem o que é isso.

É mudando nossas associações que a publicidade consegue alterar nosso comportamento. Os comerciais mostram cenas de extremo prazer, qualidade de vida, bem-estar e no final associam um produto àquela sensação. Isso em apenas 30 segundos, repetidas vezes. Com o tempo, nosso cérebro vai associando aquele produto à sensação de prazer. Se essa associação for maior do que a dor em gastar dinheiro, acabamos não pensando duas vezes quando vemos o produto na prateleira.

Nossa realidade é baseada no que focamos. Cada pessoa tem um mundo próprio dentro da cabeça. Se aprendermos a mudar o foco, tirando-o da dor ou prazer imediato e pensando na dor ou prazer a longo prazo, podemos mudar o que quisermos em nossas vidas.

Assim, em vez de pensar na dor que terá ao tomar determinada atitude, pergunte-se qual será o preço final se você não agir. O que acontecerá com seus sonhos, com suas metas, com sua vida? Qual a dor maior: evitar comer uma banana-split ou acabar preso em uma cama de hospital quando estiver velho por conta da quantidade de açúcar e gordura que ingeriu durante a vida?

Use a dor e o prazer em vez de deixar a dor e o prazer usarem você!

Exercícios do dia 2

  1. Escreva quatro ações que você sabe que deveria estar fazendo agora mesmo
  2. Liste a dor que você associa a cada uma das ações e que está impedindo você de agir. Seja emocional, não apenas racional.
  3. Liste o prazer que você ganha ao não fazer essas ações.
  4. Para cada uma dessas ações, escreva um parágrafo respondendo o que vai lhe custar se você não tomar essas ações. O que você vai perder na vida? Qual será o preço a longo prazo?
  5. Novamente, para cada uma delas, escreva todo o prazer que você obterá se agir. Quais serão os benefícios? Como isso vai melhorar a qualidade da sua vida? Como isso vai criar mais felicidade, sucesso, liberdade ou orgulho?

O áudio-curso Personal Power 2 pode ser adquirido através do site de Anthony Robbins, apenas em inglês.

Receba as atualizações

2 Comentários

  1. “Se aprendermos a mudar o foco, tirando-o da dor ou prazer imediato e pensando na dor ou prazer a longo prazo, podemos mudar o que quisermos em nossas vidas.”

    Essa parte resume tudo.

    Responder
  2. Amei o conteúdo disponibilizado, seu trabalho é maravilhoso, uma inspiração e um exemplo que com boa vontade podemos ajudar pessoas que nem imaginamos que poderíamos ajudar!!! Parabéns!!!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *