Um livro curioso que acabo de ler é O Dharma de Guerra nas Estrelas, de Matthew Bortolin, que apresenta a famosa saga cinematográfica de George Lucas sob uma perspectiva budista.

Bortolin, que é monge, mas também é fanático pela série, mostra como a filosofia oriental está presente em praticamente todo o conceito que George Lucas criou em elementos como A Força, a sabedoria do Mestre Yoda, a ausência de um Deus, a importância da atenção ao momento presente etc.

“Um ser humano é parte de um todo chamado por nós de “Universo”, é uma parte limitada no tempo e no espaço. Ele experiencia a si mesmo, seus pensamentos e sentimentos, como alguma coisa separada do resto ─ uma espécie de ilusão de ótica de sua consciência. Essa ilusão é uma forma de prisão para nós, restringindo-nos aos nossos desejos pessoais e à afeição por umas poucas pessoas próximas. Nossa tarefa deve ser a de nos libertarmos dessa prisão alargando nossos círculos de compaixão para envolver todas as criaturas vivas e o todo da natureza em sua beleza.” Albert Einstein, citado em O Livro Tibetano do Viver e do Morrer

Lucas também é budista, então não é de se admirar tal influência. No livro, Bortolin vai apresentando conceitos da filosofia budista que estão inseridos nos seis filmes da série. A atenção centra-se mais sobre os Jedi, incluindo Anakin, Luke, Obi-Wan Kenobi, Qui-Gon Jinn e – claro – Yoda.

Para quem não conhece budismo

Mestre Yoda de Star Wars

Try not. Do or do not. There is no try. ~ Mestre Yoda

O livro não é lá muito introdutório para quem não conhece budismo. Do mesmo jeito que quem não viu os filmes não aproveitará muito do livro, quem for praticamente zerado em conhecimentos sobre budismo não vai tirar tanto proveito. Isso não quer dizer que precise ser um especialista. Um pouco de conhecimento sobre as quatro nobres verdades e o nobre caminho óctuplo são suficientes.

“Se existe alguma religião que estaria à altura das necessidades científicas modernas, esta seria o Budismo.” Albert Einstein

Eu não sou fanático por Guerra nas Estrelas como muitos, mas gosto dos filmes. Também acho muito interessante a filosofia budista, na verdade acho a mais sensata de todas as eudaimonias que conheço. Por isso, gostei bastante do livro e o recomendo para quem já viu os filmes e se interessa em saber mais sobre a natureza insatisfatória da vida.

No mais, o livro termina com um anexo com um “Manual do Padawan”. Sempre quis ter algo com esse título :)

Receba as atualizações

Publicado por Walmar Andrade

Criador do Mude.nu, Walmar Andrade é bacharel em Comunicação Social, com extensão em jornalismo on-line (UFPE), MBA em Planejamento, Gestão e Marketing Digital (FECAP-SP) e Master en Comunicación Empresarial (INSA-Barcelona). Escreve sobre comunicação e marketing digital no blog Fator W.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *