O que depende de mim na vida? Alguma coisa? Será que sou só um tronco que desce o rio da vida, ou navego esse mesmo rio com meu barco motorizado, enfrentando as mesmas correntezas, mas chegando exatamente aonde quero?

Como professor, recebo vários emails de pessoas que precisam de ajuda. Ajuda não só para entender o conteúdo que eu busco passar, mas também para organizar a vida, as ideias, e ajudá-las a construir o futuro.

Leio e faço questão de responder todos eles, pois é esse o papel que me proponho a ter na sociedade: ajudar as pessoas a conquistarem seus sonhos.

Um desses emails me tocou de maneira especial.

Nele, uma jovem com ensino médio completo me perguntava se ela poderia ser competitiva em concursos públicos para cargo de nível médio, já que a maior parte dos aprovados costuma possuir nível superior, mestrado ou até mesmo doutorado.

Esse email me tocou especialmente porque já estive em situações que sentia que as pessoas eram superiores a mim. E precisei de tempo e muito estudo para entender o que estava acontecendo, para só então conseguir superar esse sentimento.

Às vezes era o amigo concursado em um cargo de alto nível (e alto salário). Outras, o amigo professor que parecia ter nascido pronto. De qualquer modo, encontrava uma desculpa para me dizer que aquilo era difícil ou quase impossível para mim.

Demorei a perceber que, no fundo, a vida que levo só depende de mim!

Por que meu resultado só depende de mim

Você pode não saber, mas esse tipo de angústia é muito mais comum do que você imagina, e tem relação com várias áreas da vida.

No nosso pensamento, às vezes algumas ideias vem e vão. Pensamentos como:

  • Se minha ideia fosse boa mesmo, alguém já teria feito, afinal de contas, há tanto empreendedor capaz no mercado…
  • O meu colega de trabalho que já morou no exterior e fala três línguas estrangeiras – como concorrer com ele?
  • Ahh…. ela tem tempo demais para malhar… seria impossível eu conseguir ter esse corpo…
  • Esse pessoal que estuda pra concurso público só faz isso… Como é que eu, tomado pelo trabalho e pela família, vou conseguir concorrer?

Pensamentos desse tipo, assim como aquela comparação que a jovem me mandou de sua vida com a suposta concorrência, possuem algo em comum: uma tendência natural a subestimar nossa própria capacidade e superestimar a capacidade dos outros apenas com base nas aparências.

É normal que façamos isso: trata-se de uma forma psicológica de se proteger do infortúnio e assumir o controle de nossa vida – só que da forma errada.

Um ciclo vicioso

O “mecanismo do mal” é o seguinte:

  1. Eu tenho medo da infelicidade, do fracasso, da perda.
  2. Eu olho outras pessoas e vejo apenas o que elas querem me mostrar (a felicidade, o sucesso, o ganho).
  3. Eu imagino que a vida delas é melhor do que a minha (já que eu conheço minhas próprias fraquezas e dificuldades, mas não conheço às dos outros).
  4. Como a vida das outras pessoas “é melhor”, elas terão mais facilidade para atingir o sucesso.
  5. Com isso, minhas chances de sucesso são menores.
  6. Se minhas chances são menores, vou baixar minhas expectativas, para não sofrer no futuro.
  7. Você acha que está assumindo o controle de sua vida e, para isso, baixa suas expectativas ou até desiste de coisas difíceis.

O mecanismo pode até parecer positivo para alguns (acredite, não é!), mas ele faz com que você perca completamente sua autoeficácia. Com esse mecanismo aquela frase na mente, “depende de mim, só de mim”, vai por água abaixo…

O que é a autoeficácia e como ela pode te ajudar

Depende de mim

Deixa eu te contar o que é a autoeficácia e como ela funciona.

Autoeficácia é a crença de que você será capaz de fazer aquilo que quer fazer. Ela é a base para que você tenha um desempenho superior em qualquer coisa que quiser fazer na vida.

Quando você acredita que seu objetivo será realizado, seu nível de esforço sobe imensamente.

Você sacrifica coisas menos importantes e mantém o foco naquilo que quer atingir de verdade.

Você se dedica até conseguir o resultado que tanto deseja: seja a aprovação no concurso público, abrir o próprio negócio, emagrecer de vez, ou conseguir uma promoção. Você vira piloto de sua vida para voar de verdade.

Anos de estudo, tempo, dinheiro, experiência… tudo isso só contribui para que a pessoa tenha mais autoeficácia. Sabendo disso, você não precisa de mais nada para ativar a autoeficácia que está dentro de você.

Teoria da Autoeficácia

A Teoria da Autoeficácia afirma que ela pode ser desenvolvida por meio de:

  1. Maestria prática: é a insistência na realização de atividades para que, com a experiência, você passe a acreditar que consegue bons resultados.
  2. Observação: prestar atenção em como as pessoas que atingiram os mesmos objetivos que você fizeram para chegar lá. Vale também estudar as técnicas existentes e fazer cursos especializados que te mostre como seu objetivo pode ser atingido.
  3. Persuasão verbal: palestras e cursos motivacionais tem um valor imenso, por conseguir convencer que você vai conseguir. Ao estar convencido, suas ações serão direcionadas para o sucesso, e ele virá.
  4. Excitação emocional: emoções positivas ligadas ao sucesso geram a força para melhorar a autoeficácia. Você pode buscar desenvolver excitação por meio da competição saudável com amigos, ou com uma promessa para si próprio sobre um presente espetacular que dará para si próprio quando conquistar seu objetivo.

Talvez você possa estar pensando: será que só depende de mim mesmo? Será que não vão me atrapalhar? Será que a concorrência é baixa mesmo?

Talvez esteja pensando até mesmo: “o Carlos é meio doido de achar que só depende de mim”…

O que lhe digo é o seguinte:

A diferença entre as pessoas que já chegaram lá e as pessoas que ainda não chegaram está na capacidade de perceber que os resultados só dependem delas próprias, e de mais ninguém. Se você quer, você consegue, e ponto final.

Por mais dura que seja, a verdade é que a vida que você tem hoje é o resultado direto das suas ações até aqui. Nem um milímetro a mais ou a menos. A responsabilidade é toda sua, para o bem e para o mal.

A frase pra você colocar na sua cabeça é:

Depende de mim, só de mim!

Conte comigo para chegar lá!

Vamos juntos!

P.S: A resposta que eu dei para a moça foi bem simples, verdadeira e resumida: “Se esforce. Ter nível superior não coloca absolutamente ninguém acima ou abaixo de você. Cada um vai conseguir atingir seus objetivos com base apenas no seu próprio esforço”.

Receba as atualizações

Publicado por Carlos Xavier

Carlos Xavier adora desafios e vive encontrando espaço em sua vida corrida para realizá-los. Seja emagrecer 10kg em três meses, trabalhar no exterior ou aprender windsurf, encara e enfrenta sem medo seus desafios. Lifehacker por natureza.

11 Comentários

  1. Olá meu nome é glaucia eu sou uma pessoa igual a sua mensagem bem determinada guando quero
    Palavras que pra mim são de alta confiança
    Eu posso
    Eu quero
    Eu vou conseguir
    Isso pra mim é fundamental

    Responder
  2. Trabalhei na PUC. A diferença entre uma pessoa diplomada e você é que: pais dela pagaram por quatro anos mensalidades absurdas para ela se sentar numa cadeira e pegar o “canudo” no final. Nestes quatro anos, ela estudou disciplinas que nada têm a ver com o concurso e; sejamos honestas: se ela tem nível superior e se inscreve para nível médio: isso não é adversário!

    Responder
    • Oi Nanda!

      Compreendo sua visão, mas entendo que o foco é outro: na média, essas pessoas são mais velhas do que as que ainda não se formaram, possuem mais experiência de vida e, como conseguiram conquistar seu diploma, já possuem a autoeficácia melhor desenvolvida.

      A grande sacada é que, sabendo disso, qualquer um pode se permitir ter autoeficácia e concorrerá diretamente!

      Responder
  3. Parabéns, professor!

    Só depende de nós! Só depende de cada um!
    Obrigada pela mensagem!

    Responder
  4. Eu quero muito passar na prova prática do detran. Nas aulas era ótima. Baliza perfeita em um minuto e quarenta. Mas quando o examinador chama meu nome fico burra, e lá se foram três tentativas. Falo pra mim mesma que sou capaz, mas quando chega na hora é como se alguém falasse no meu ouvido: tu ñ vai passar, isso é perda de tempo… aí fico nervosa e o resultado é sempre mesmo.

    Responder
    • Oi Janaina!

      Você vai conseguir, é só uma questão de determinação e calma. Como a teoria da autoeficácia propõe: com a prática vem a perfeição.

      No mais, abandone essas vozes que te dizem que não vai conseguir e você já terá dado um grande passo. Respire fundo antes, que ajuda a dar tranquilidade.

      Espero notícias suas com seu sucesso! Acredito em você!

      Responder
  5. Gostei muito do artigo, você indicaria algum livro para aprofundar os meus conhecimentos sobre o assunto?

    Responder
    • Oi Caio!

      Desconheço livros que aprofundem o assunto em detalhes, pois essa é apenas uma das teorias para explicar a relação entre motivação e desempenho das pessoas. No futuro, falarei mais sobre as outras.

      Abraço!

      Responder
  6. Gostei do artigo, no entanto a frase que devemos colocar na nossa cabeça: “depende só de mim”, está equivocada. Talvez a maneira certa de pensar, seria, no que depender do meu esforço, farei o que estiver ao meu alcance. Quando colocamos a responsabilidade em nós, pelo que depende de terceiros, nos sentimos impotentes. Poxa depende só do meu esforço, todas as pessoas conseguem menos eu. Isso não é pessimismo, é ter a conciencia de que você vai conseguir, mais saber respeitar o tempo que leva pra chegar lá.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *