O áudio curso Personal Power 2, de Anthony Robbins, chega à metade tratando de um tema bem específico: âncoras.

Uma âncora, em psicologia, é algo que leva você a determinado estado emocional. Sabe quando você escuta uma música que lembra determinada situação? Ou quando sente um cheiro e lembra de alguém? Ou quando se sente com raiva se alguém fala com você de determinada maneira?

Esses são alguns exemplos de âncora. Geralmente, as âncoras são criadas ocasionalmente. Na aula do dia 12, Tony Robbins dá instruções de como podemos criá-las deliberadamente.

Âncora de navio

Quando uma âncora é criada, você está em um estado emocional alterado e algo bem específico acontece. Por exemplo, digamos que você terminou um namoro e logo depois ouviu uma música. É possível que, toda vez que ouvir essa música, lembre-se do fim do namoro e fique triste (ou aliviado, se for o caso).

Para criar uma âncora deliberadamente, portanto, precisamos seguir dois passos:

  1. Entrar em um estado emocional alterado
  2. Fazer algo bem específico no mesmo instante

Em um exemplo prático, você pode colocar sua mente em um estado de total disposição. Sinta-se como se tivesse energia para mover o mundo, coloque seu corpo na postura correta, respire profundamente. Quando você sentir que está no ponto, faça algo bem específico: bata palmas de determinada maneira, ou estale os dedos junto aos ouvidos, ou diga algo diferente em um tom de voz marcante.

Faça isso repetidas vezes, por alguns dias, e depois experimente se a âncora está criada. Para tanto, basta fazer o gesto específico e ver se você se sente com bastante energia (ou o que quer que tenha feito).

A ideia de saber criar âncoras é fazer com que saibamos acionar os botões do nosso cérebro. Em vez de ficarmos reagindo ao que acontece no ambiente, deixando nosso estado emocional como fruto do acaso, podemos manipular isso.

Exercícios

O exercício de hoje é criar uma âncora positiva:

  1. Escolha uma emoção que você gostaria de poder acionar na ponta dos dedos
  2. Imagine-se em uma situação que você tenha sentido essa emoção e realmente sinta-a novamente
  3. Ancore esse sentimento a um gesto bem específico
  4. Repita durante alguns dias até que sentimento e gesto estejam definitivamente ligados no seu cérebro

Lembre-se de que a emoção tem que ser sentida com real intensidade e que o gesto deve ser bastante específico.

Receba as atualizações

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *