O décimo sexto dia do curso em áudio Personal Power, de Anthony Robbins, é uma espécie de revisão das duas semanas anteriores, com foco em dois assuntos: auto-sabotagem e auto-confiança.

A primeira metade da aula de 45 minutos repisa os conceitos de auto-sabotagem explicados no dia anterior, porém desta vez com uma abordagem mais ampla do que a simplesmente financeira.

Robbins repete o fundamento do curso, de que mesmo quando nos auto-sabotamos estamos fazendo aquilo – conscientemente ou não – com um bom intento, o de buscar prazer e evitar dor.

O autor recomenda ainda que não façamos do termo auto-sabotagem um bicho de sete cabeças, dando exemplos de pessoas que pediram consultoria a ele por estarem se “auto-sabotando” quando na verdade apenas estavam deixando de fazer alguma coisa simples.

A segunda e mais interessante parte da aula foca em como adquirir uma auto-confiança ilimitada. Robbins afirma que auto-confiança não é uma característica inata, que a pessoa ou tem ou não tem. Ela é um hábito e, portanto, pode ser desenvolvida.

Salto de auto-confiança

Se você tiver auto-confiança, vai conseguir.

Para tanto, é preciso compreender o caráter extremamente subjetivo da auto-confiança. Não há nada no mundo exterior que determine que alguém possui auto-confiança ou não. Apenas o próprio indivíduo cria essa limitação (ou esse poder, dependendo do caso).

O autor explica três formas de desenvolver a auto-confiança. A primeira delas é por meio da alteração da própria fisiologia: mantendo uma postura mais ereta, a cabeça mais levantada, o voz firme, a respiração profunda.

A segunda é controlar nosso foco mental. A maneira mais efetiva de se fazer isso é mudando as perguntas que nós nos fazemos. Em vez de se questionar “O que vai acontecer se eu falhar?” ou “Por que eu sempre arruino as coisas?” experimente perguntar-se “Qual a melhor maneira de realizar essa ação agora mesmo e ainda aproveitar o processo?”.

A terceira e última maneira é alterando suas crenças fundamentais. Em vez de acreditar em algo como “Eu nunca fiz isso antes e não é agora que vou conseguir fazer” para uma crença mais confiante, como “Se eu consigo imaginar, eu consigo fazer˜. Compreenda que o passado não é igual ao futuro. Não é por que algo deu errado antes que vai voltar a se repetir no futuro. Muitas vezes os traumas são os grandes responsáveis por uma baixa na auto-confiança.

Exercícios do dia 16

Relembre os seus grandes sucessos na vida e escreva um parágrafo descrevendo cada um deles. Tenha esses exemplos à mão e use sempre que precisar se lembrar que sempre há um caminho para atingirmos nossos objetivos!

Receba as atualizações

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *