Dezembro passado, depois de 20 anos devendo dinheiro, eu finalmente paguei todas as minhas dívidas (exceto a casa – ainda estou trabalhando nisso). Eu não fiz isso da noite para o dia. Levou muitos anos e eu cometi muitos erros. Mas com paciência e perseverança, eu atingi minha meta.

Ao longo do caminho, aprendi que para muitas pessoas (inclusive para mim mesmo), eliminar a dívida envolve três passos: 1) Parar de adquirir novas dívidas; 2) Estabelecer um fundo de emergência; 3) Atacar qualquer dívida existente.

Baseado na minha experiência e na de muitos leitores, eu compilei um guia resumido para sair das dívidas. As dicas a seguir funcionaram para mim. Elas podem funcionar para muitos outros em situação similar.

Parar de adquirir novas dívidas

Isso pode parecer óbvio, mas se suas dívidas estão fora de controle, é porque você continua contraindo novas dívidas.

O primeiro passo no caminho da liberdade das dívidas é parar de usar o crédito. Não financie nada. Corte seus cartões de crédito.

A última dica pode ser difícil. Mas não use desculpas – destrua seus cartões de crédito. Para de racionalizar que você precisa deles.

  • Você não precisa de cartão de crédito para uma rede segura;
  • Você não precisa de cartão de crédito para conveniência;
  • Você não precisa de cartão de crédito para progamas de bonificação.

Você não precisa de cartões de crédito. Se você está em débito, cartões de crédito são uma armadilha.

Eles apenas põem você em mais débito. Depois, quando suas dívidas forem pagas e suas finanças estiverem sob controle, você pode ter um cartão de crédito. Eu vivi sem um por dez anos e foi fácil.

Depois de destruir seu cartão, observe qualquer pagamento recorrente. Se você é membro de uma academia, cancele o plano. Se você automaticamente renova sua conta de World of Warcraft, cancele. Cancele qualquer coisa que automaticamente cobra o seu cartão. Pare de usar o crédito.

Uma vez feito isso, ligue para cada companhia de cartão de crédito. Não cancele seus cartões (exceto os que estão zerados). Em vez disso, pergunte por um melhor acordo. Seu banco pode não concordar com os termos, mas sempre há uma chance de um acordo. Nunca é demais perguntar.

Se seu débito é resultado de empréstimos estudantis e você não tem um problema de gasto, você pode não precisar tomar um desses passos drásticos. Mas se seu débito está crescendo, siga as dicas.

Estabeleça um fundo de emergência

Carteira velha com dinheiro

Depois, use o tempo para economizar. Isso pode parecer contra-intuitivo, mas se você não economizar antes de começar a pagar as dívidas, você vai lutar para cobrir despesas não esperadas. Não diga a si mesmo que você pode manter um cartão de crédito para emergências. Destrua seus cartões e economize dinheiro para as emergências.

Quanto você deve economizar? Idealmente, você deveria ter R$1.000,00 para começar. Se suas despesas são baixas, você pode começar com R$ 500,00. Esse dinheiro é para emergências apenas. Não é para a cerveja. Nem para as roupas. Nâo é para um Nintendo Wii. É para ser usado quando a máquina de lavar quebra ou quando você quebra o braço e perde o emprego.

Mantenha esse dinheiro líquido, mas não imediatamente acessível. Não amarre seu fundo de emergência a um cartão de débito. Não sabote seus esforços fazendo gastar dinheiro em coisas não essenciais uma tarefa fácil. Considere abrir uma conta para as economias. Quando uma emergência aparecer, você pode transferir esse dinheiro para sua conta regular. Ele vai estar lá quando você precisar, mas você não será capaz de gastá-lo tão facilmente.

Ataque os débitos existentes

Depois que você parar de usar o crédito, e depois de ter guardado um fundo de emergência, então vá atrás das suas dívidas. Ataque-as com vigor. Jogue tudo o que você puder contra elas.

Muitos especialistas recomendam pagar seus débitos mais altos primeiro. Obviamente, isso faz muito sentido do ponto de vista matemático. Mas se dinheiro fosse só matemática, você não estaria em dívidas. Débito é muito sobre emoção e psicologia, assim como é sobre matemática.

Existem pelo menos três abordagens para eliminar as dívidas. Psicologicamente, você pode pagar dívidas como uma bola de neve, que pode levar você a uma redução de débitos. Aqui está como funciona:

  1. Liste seus débitos do menor para o maior;
  2. Defina uma certa quantia de dinheiro para pagar as dívidas em cada mês;
  3. Pague o mínimo pagamento de todos os débitos exceto o menor de todos;
  4. Use todos os centavos restantes na dívida de menor valor;
  5. Quando esta dívida estiver resolvida, não altere a quantia mensal usada para pagar as dívidas, mas use todo o dinheiro disponível para a nova dívida de menor valor.

Eu adoro pagar dívida com bola de neve. Até eu descobrí-la, eu pensei que nunca sairia das dívidas. Apesar de ainda levar tempo para pagar suas dívidas, você começa a ver resultados quase que imediatamente.

Um terceiro método para eliminar dívidas é primeiro mirar nos débitos que lhe causam maior dor de cabeça. Você tem um empréstimo com sua irmã e seu cunhado? Você detesta o fato de que pegou dinheiro emprestado para um computador novo? Qualquer que seja o caso que lhe chateia mais, pague-o primeiro.

Não importa o método que você escolha para atacar suas dívidas, coloque o máximo de dinheiro que puder para atingir essa meta. Claro que você pode gastar aquele cheque de aniversário da vovó em uma noite com os amigos, mas vai fazer mais bem para você usá-lo para pagar as dívidas. Você vai ter tempo o suficiente para futuras aventuras. Por agora, use o dinheiro para sair das dívidas.

Outros truques e dicas

Você pode fazer outras coisas para melhorar sua situação financeira enquanto está trabalhando nesses três passos. Para isso, você deve gastar menor do que ganha.

Para começar, reduza seus gastos. Desenvolva hábitos frugais. O Zen Habits compartilha algumas excelentes dicas para uma vida frugal e você pode descobrir mais em outros sites. Algumas pessoas pensam que viver de maneira simples é equivalente a ser barato. Não é o caso. Frugalidade costumava ser um valor essencial na nossa sociedade, mas nós perdemos contato com esse ideal durante a era do crédito fácil. Frugalidade pode ser uma maneira divertida de esticar seu suado dinheirinho.

Enquanto você aprende a gastar menos, faça o que puder para aumentar os rendimentos. Se possível, venda algumas das coisas que você comprou quando entrou em dívidas. Isso pode ser doloroso, mas pergunte a si mesmo: você realmente usa aquele banco de exercícios? A sua coleção de DVD realmente faz algum bem? Use o Mercado Livre para fazer algum dinheiro com as coisas que você já tem. Considere um trabalho extra ou trabalhar mais algumas horas.

Finalmente, vá a biblioteca e pegue alguns livros sobre educação financeira.

A coisa mais importante é começar agora. Não comece amanhã ou próxima semana. Comece a eliminar as dívidas agora. Tenha paciência no começo. Não desanime se os seus esforços parecerem pequenos e insignificantes. Acredite em mim: a maioria de nós começou pagando as dívidas dessa maneira. Em tempo, seus esforços renderão frutos. Se você perseverar, vai ter se livrado das dívidas mais cedo do que pensa que é possível.

Traduzido de Zen Habits com autorização do autor.

Receba as atualizações

6 Comentários

  1. Bem interessante esse texto. Eu mesmo já fiz algumas coisas que estão nele e o Mercado Livre me ajudou bastante nisso. Não cheguei a jogar o cartão fora (até pq devo um valor muito menor que os 35 mil do autor), mas é por aí. Tratamento de choque, se quiser se livrar da dívida de verdade.

    Responder
  2. Muito bom o texto! Outra dica para economizar e cortar despesas inúteis é registrar TODOS os gastos durante um tempo, para analisar o que pode ser cortado. Pode ser usado aplicativos ou uma simples planilha. Isso a me ajudou muito.

    Responder
  3. E quando não podemos solucionar as dividas porque devemos a agiotas e todo dinheiro é para pagar juros dos agoitas e não sobra nem pra negociação com bancos. Ainda assim se consegue sair das dividas?

    Responder
  4. R quando todo o seu salário vai para pagar empréstimos e ainda te falta grana para o sustento básico. .O que fazer?

    Responder
  5. Estou na mesma situação do Júlio.não sei o que mais fazer.

    Responder
  6. Já comecei a pagar os cartões valores mínimo, agora tenho duvida ref. carnê de financiamento do carro, eu posso deixar de pagar uns meses para renegociar depois? Por favor me oriente,

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *