No sexto dia do áudio curso Personal Power, Anthony Robbins retoma a ideia de que para mudar nossa vida devemos mudar a percepção que temos das coisas. Se no dia anterior ele falou sobre como fazer isso mudando nosso corpo, agora ele explica como fazer o mesmo mudando o foco da mente.

O exemplo inicial da aula é para pensarmos como uma mesma festa pode ser muito diferente, dependendo dos fatos em que focalizamos. Para um casal que brigou, a festa foi terrível. Para alguém que encontrou um novo namorado ou namorada, a festa foi excelente. Para quem gostava da música, a festa foi animada. Para quem não gostava, o som foi uma droga.

Toda nossa vida estamos focalizando apenas uma parte de tudo o que está acontecendo. Essa nossa visão extremamente fragmentada é necessária, pois o cérebro não teria como prestar atenção em tudo. Perceba quanta coisa está acontecendo à sua volta agora, desde o sangue correndo no seu corpo até o barulho de um avião passando longe.

Uma das maneiras de mudar as nossas vidas é passar a direcionar propositadamente nosso foco para as coisas boas, para as coisas que estão dando certo. Geralmente fazemos o contrário: focamos o que não queremos, o que está dando errado. O resultado é que achamos que a vida é sofrimento.

Não importa o quanto a vida está boa, podemos sempre focalizar em algo que não está legal. Da mesma forma, não importa quão má esteja a situação, sempre podemos focar em algo bom. É isso o que determina o nosso sucesso ou fracasso na vida.

Como direcionar nosso foco

Nós precisamos sair do piloto automático e controlar nosso foco. O problema é que pensamento positivo apenas não funciona, pois quando atentamos para pensar positivo, geralmente já reagimos negativamente.

O que determina aquilo que nós focalizamos é nossa avaliação das coisas. Estamos sempre avaliando, julgando, ponderando. Essas avaliações, segundo Tony Robbins, nada mais são do que perguntas que fazemos a nós mesmos.

Se você pergunta por algo consistentemente, com certeza achará a resposta. Daí o risco de pensamentos tipo “Por que isso sempre acontece comigo?” ou “Por que sou tão gordo?”.

A qualidade da nossa vida é a qualidade das perguntas que fazemos diariamente, estejamos conscientes disso ou não.

Para direcionar nosso foco, portanto, precisamos elaborar e nos fazer perguntas fortalecedoras, tais quais:

  • Como posso ser tão sortudo de ter … na minha vida?
  • Por que tudo sempre dá certo para mim?
  • Como eu posso mudar isso e aproveitar o processo?
  • O que estou disposto a fazer para que fique do jeito que quero?

Exercícios do dia 6

A tarefa da aula de hoje é formular cinco perguntas fortalecedoras e arrumar pelo menos duas boas respostas para cada uma delas!

E mais: durante os próximos 24 dias, até o fim do curso, todo dia de manhã devemos nos fazer essas perguntas. A ideia é criar um caminho neural para que as respostas fiquem enraizadas em nossa mente, mudando o foco da nossa maneira habitual de pensar e fortalecendo-nos!

Receba as atualizações

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *