O que ainda falta neste mundo hiperconectado em que vivemos?

Nós estamos incrivelmente ligados a outras pessoas, mesmo que a quilômetros de distância, mas ainda estamos totalmente desconectados.

A falta de atenção chega a ser paradoxal, porque estamos inundados com informações, dados e conhecimentos que crescem em uma velocidade nunca vista na história da humanidade. Tudo que precisamos para saber sobre qualquer coisa está ao nosso alcance dos nosso dedos, neste exato momento. É como um guia da vida, só que dos outros.

E ai? O que está acontecendo? Porque você fica com o rosto chafurdando esse smartphone? Quantas abas abertas nesse momento você tem mesmo? Ah, desculpe incomodá-lo.

Estamos famintos pela próxima grande coisa. Pelo próximo post. Você já abriu outro? Termine este, por favor. Se não, não se incomode com essa pegadinha. É o próximo tweet, o próximo gadget, a próxima atualização, a próxima oportunidade. Não damos tempo nem de sentir e aproveitar algo e já queremos o novo.

loucas

Enquanto se lava a louça, deve-se somente lavar a louça.

O que quer dizer: enquanto se está lavando louça, deve-se estar totalmente cônscio do fato de que se está lavando louça.

A princípio pode parecer uma tolice: por que dar tanta importância a coisa tão simples?

Se, ao lavarmos a louça, ficarmos com o pensamento voltado apenas para a xícara de chá que saborearemos a seguir, a tarefa se torna um fardo. Procuraremos automaticamente limpar a louça às pressas para nos livrar da chateação e não estaremos “lavando a louça por lavá-la”.

E mais, nós não estaremos vivos durante o tempo em que a estivermos lavando.

Estaremos na verdade sendo incapazes de reconhecer o milagre da vida enquanto à beira da pia. E se não somos capazes de lavar a louça por lavar, é pouco provável igualmente que seremos capazes de saborear o chá a seguir.

Pois ao tomar o chá, estaremos com o pensamento voltado para outras coisas, inconscientes do fato de que temos uma xícara nas mãos. Dessa forma estaremos sendo sugados para fora da realidade presente – e incapazes de viver em totalidade um minuto sequer. (Thich Nhât Hanh)

O presente vira passado em um piscar de olhos. O passado vira paleolítico em um dia. Se quisermos experimentar o presente de forma significativa, temos que estar atentos a isso. Nós temos que viver o nosso tempo e não dividi-lo em duas vezes sem juros. O tempo é indivisível e totalmente linear.

Falta contato físico. Face a face. Olhos nos olhos, e não olhos nos celulares. Somos criaturas sociais. Não podemos nos comunicar apenas através de uma tela. Precisamos nos conectar com nossas tribos, família, amigos, sócios, colegas e demais. São necessários apertos de mão, abraços e contatos físicos e visuais em primeira pessoa. É uma necessidade das criaturas de natureza social.

Isso traz mudanças benéficas, alterações que reduzem o estresse, a liberação de ocitocina e menor inflamação.

Estamos conectados ou presos?

teia-de-aranha

Quando você encontrar seus amigos, abraçe-os. Pais, abracem seus filhos. Os donos, seu cão de estimação. Afinal de contas, dizia Tyler Durden: “você não é seu emprego, seu carro, sua conta bancária, suas coisas. Você é seus relacionamentos”.

Façamos um esforço para realmente nos desligarmos da estimulação eletrônica, pelo menos, duas vezes por dia. Sem telefones, nem computadores, nem Facebook, nem e-mail, sem televisão. Isso soa assustador e difícil, mas existem algumas maneiras simples para fazer isso bem.

Faça caminhada na sua pausa para o almoço e deixe o smartphone na mesa. Basta caminhar, de preferência através de um lugar com alguns espaços verdes.

Desligue o telefone quando estiver com as pessoas. Isso costumava ser as cenas das esposas reclamando dos maridos lendo seus jornais na mesa de café da manhã nos seriados e filmes. Eu acho que é uma pena que alguém não possa encontrar nada mais interessante do que o que vê no telefone.

Você tem que se entregar ao momento (lembre-se, estar aqui agora).

Eu costumo jogar poker. Atualmente, apostando dinheiro real. Se eu não estiver focado no que eu estou vivendo, as perdas são imediatas. Assim, se você está fora do momento em que acontece uma piada que será lembrada anos a fio, você perdeu a oportunidade de ter vivido isso. As perdas são no fundo do seu ser. Você estava fora. Pagou um preço alto.

Como um catador de latinhas. Focado no que tem, não no que vai ter ou tinha, como diria um rapper que admiro.

Seja uma criança novamente. Um garoto que paga as contas, cuida de responsabilidades e deveres, e sabe fazer as coisas que importam, mas um garoto, no entanto.

Receba as atualizações

Publicado por

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *