Ninguém me avisou que eu iria receber algo em troca se fosse trabalhar como voluntário.

Sempre tive vontade de ser um, mas não sabia como nem por onde começar. Aos poucos, fui me informando sobre como algumas instituições de caridade funcionavam. Comecei então a fazer doações periódicas. Ainda não era o ideal, mas o importante era começar.

De simples doador, passei a padrinho de uma criança carente por alguns meses. Quando o dinheiro apertou do lado de cá, infelizmente precisei interromper as doações.

Assim procurei outra forma de ajudar. Descobri que a ONG precisava de voluntários para recreadores da ala pediátrica de um hospital próximo de onde moro. Lá atuei durante um ano, todas as manhãs de sábado, na salinha de brinquedos e atividades, que as crianças internadas podiam visitar.

voluntariado

Foi dessa forma que descobri que o voluntariado é uma troca. Doamos nosso tempo e ganhamos cinco presentes por isso:

1. Percebemos que ser voluntário faz bem ao coração

O coração é um músculo que precisa ser exercitado. Não falo apenas de exercícios físicos, que obviamente ajudam o coração a funcionar melhor. Mas o contato com quem precisa de ajuda. Fazer o bem a essas pessoas, sentir a dor do próximo e colaborar para abrandá-la, contribuir para que uma criança doente dê um sorriso e veja que nada está perdido.

Toda vez que eu ia embora do hospital, meu coração saía comigo de lá mais forte. Quem não exercita o coração corre o risco de estar atrofiando o coitado sem nem se dar conta disso.

2. Vemos o verdadeiro tamanho dos nossos problemas

A gente tem mania de reclamar de muita bobeira. Do smartphone que quebrou. Da fechada no trânsito. Do banco que aumentou as taxas. Do time que perdeu. E por aí vai.

Depois que comecei a trabalhar com as crianças no hospital, senti na pele o quão pequenos eram meus problemas perto do que eu via lá, com famílias e crianças carentes, com doenças graves, sem ter o que comer em casa, sem ter às vezes nem onde morar. E aí senti o quanto eu precisava ser grato por tudo que eu tinha de bom na minha vida.

3. Trabalhamos com pessoas extraordinárias

Sendo um profissional de informática desde sempre, o contato profissional que eu costumava ter com as pessoas era meio frio, matemático, exato. 1+1=2.

No hospital, conheci pessoas que se dedicam a salvar vidas, literalmente. Enfermeiras, voluntários, médicos, funcionários da ONG, que, a cada pequena atitude, mostravam sua garra ao lidar com situações humanas extremas, em que nem sempre 1+1=2.

4. Conhecemos incríveis lições de vida

licoes

Algo muito interessante que também descobri na prática do voluntariado foi que algumas das maiores lições que aprendemos na vida não vêm de grandes pensadores, líderes ou pessoas poderosas.

Aprendi muito com mães humildes de crianças há meses internadas, que me deram lições de força de vontade e de fé. Aprendi com as próprias crianças, que continuavam sorrindo e brincando, mesmo sem muita força física ou psicológica para isso. Aprendi com as enfermeiras e com as funcionárias da ONG que nunca devemos perder a esperança, e que mesmo uma pequena atitude pode significar uma grande ajuda para quem precisa.

5. Damos um sentido para a nossa própria vida

Às vezes podemos achar que estamos dando sentido à nossa vida ao dar educação a nossos filhos, ao fazer um bom trabalho no escritório, ao curtir os momentos com quem nós amamos…

Mas quando ajudamos alguém que realmente precisa de nós, nem que seja com um sorriso e uma brincadeira, como eu fazia com as crianças no hospital, nossa vida ganha um sentido ainda maior, mais amplo, mais completo e mais bonito.

Dá vontade de não parar de ajudar. Ser voluntário se torna um vício, uma infecção. E também dá vontade de infectar os amigos e conhecidos, para também virarem voluntários. Porque quem trabalha com isso, sabe o bem que isso faz. A todos.

Receba as atualizações

Publicado por

6 Comentários

  1. Tenho muita vontade de trabalhar como voluntária também, mas como você falou no começo do post, não tenho nem ideia de por onde começar. Na verdade, fico pensando no que eu poderia fazer para ajudar, tento encontrar algo que eu tenha “jeito” pra fazer e não consigo pensar em nada que eu seja boa para ajudar as pessoas. Aí fico preocupada de tentar me voluntariar em algum lugar e não conseguir ajudar em nada… agora falando sobre isso me parece muita besteira, mas acabo ficando travada por pensar demais nesses pontos. Semana passada até passei em frente a um asilo aqui da minha rua e pensei em tocar a campainha para perguntar se precisavam de voluntários, mas por pensar demais acabei desistindo. Lendo esse post me arrependi de não ter ido. Colocarei isso como um objetivo de vida, aliás, o próximo a concluir.

    Abraços!

    Responder
    • Stephanie, obrigado pelo comentário. Não se arrependa, ainda dá tempo :) Eu passei muito tempo até me decidir tb. Às vezes pensar demais é ruim. Na verdade o máximo que pode te acontecer é você experimentar ajudar o asilo, por exemplo, e depois ver que não era o lugar certo pra vc voluntariar. Mas pelo menos vc tentou. Por outro lado, a experiência pode mudar sua vida pra melhor. Vai um dia, devagar, um passo de cada vez, sem pressa. Não tenta ser 100% perfeita nas primeiras vezes. Com o tempo vc vai saber se é ou nao o lugar certo, e vai ter mais clareza para saber os proximos passos. Boa sorte e abs!

      Responder
  2. Tenho certeza disso! O voluntário recebe muito mais do que dá.
    Já fui voluntária numa ONG Onde eles tratavam de crianças que foram violentadas sexualmente, algumas abandonadas pela mãe no hospital por terem deformações, doenças como: HIV entre outras.
    Ministrei aulas de informática e reforço escolar a muitas delas.
    Só de estar tecendo o carinho dessas crianças e sentir que o que elas precisavam era de atenção, me sentia muito feliz! Mas… nem sempre fazemos tudo que queremos, os horários não eram mais flexíveis, o trabalho tomava (e toma! ) todo o meu tempo! Mas vou vencer esse desafio! Já dei o primeiro passo! Vou prestar serviços como voluntária na cada de cultura do meu bairro! Hj mesmo visitei a casa e tenho certeza de que trarei algum benefício para os frequentadores e claaaaaaaaaaaro, o benefício maior será para mim, que presenciarei a felicidade do próximo.

    Responder
    • Que legal, Ianara! :) Parabéns! Fico feliz quando vejo cada vez mais pessoas se dedicando a trabalhos voluntários, e descobrindo tudo de bom que isso traz pra vida de todos os envolvidos. E que ótimo, vc deu o 1o. passo. Depois conta pra gente como está sendo a experiência. Um abraço!

      Responder
  3. Sempre tive vontade, mas a preguiça falava mais alto! Dessa vez foi diferente, me inscrevi para ser voluntário na Acacci, a Associação Capixaba Contra o Câncer Infantil. Estou muito feliz, segunda terá apresentação e então começarei de fato

    Responder
    • Muito bom, Marcellus, manda ver!! Vc vai ver que diferença positiva isso fará na sua vida :) Depois escreve aqui pra gente como foi a experiência. Abs!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *