Um dos grandes motivos pelos quais as pessoas são insatisfeitas com suas próprias vidas é a publicidade. A base da propaganda é fazer com que você se sinta insatisfeito de alguma forma, sendo levado a acreditar que comprar determinado produto ou serviço é a solução para esse desconforto.

A publicidade cria falsas necessidades. De um dia para o outro, um iPhone que traz como novidade apenas uma tela um pouco maior e uns gramas a menos de peso torna-se “necessário” para milhões de pessoas ao redor do mundo. Mas a verdade é que você não precisa do novo iPhone.

A princípio não haveria nada de errado com isso. Agora pense centenas de mensagens dizendo diversas vezes ao dia, implicitamente ou não, que há algo errado em sua vida e que é preciso comprar algo para consertar isso.

Na televisão, no rádio, na internet, nas revistas, nos jornais. Nos trailers do cinema, com produtos posicionados nas novelas e nos filmes, em posts patrocinados, no Twitter, no Facebook, no e-mail, nos outdoors a caminho de casa e do trabalho, na sua caixa de correio. Até aqui no Mude.nu!

Qual o impacto, mesmo que subconsciente, que tal mensagem de “sua vida é uma droga” tem sobre nossas mentes? Obviamente não há grandes quantidades de pesquisas sobre o assunto, já que os principais possíveis financiadores não têm interesse em escancarar o problema.

A satisfação, o contentamento, não é interessante para as empresas. Pessoas satisfeitas não compram, ou compram menos. O que faz a roda do dinheiro girar é a insatisfação, o desejo de ser outra coisa, de ter mais, de apostar a própria felicidade em objetos externos.

Se não pode vencê-la…

Uma solução inicial poderia ser tentar evitar ver publicidade. Na internet, há programas como o AdBlock, que faz com que banners e outras peças publicitárias desapareçam dos sites.

Nas demais mídia, a solução seria desligar a TV nos comerciais, baixar o rádio nos intervalos, pular as páginas de revistas e jornais. Mas ainda assim a publicidade está lá, com produtos posicionados nas novelas e nos filmes, fora os interesses comerciais das próprias matérias publicadas como notícias.

Sendo realistas, não dá para escapar de ver publicidade em nosso dia-a-dia, a não ser que você se isole em uma ilha deserta.

O que dá para fazer é entender como a publicidade funciona e brincar com ela. Aprender o mecanismo e deliberadamente decidir não comprar as fantasias que a propaganda cria.

A roteiro básico de uma propaganda é apresentar uma situação de desconforto e solucioná-la com um produto. Ou mostrar uma situação extremamente prazerosa e associá-la a um produto.

Boa parte das vezes, não há relação prática nenhuma entre o momento mostrado e o produto. Era o famoso caso do cowboy desbravando campos e fumando um cigarro ao final da jornada. Ou dos comerciais de refrigerante que mostram vida ao ar livre, skate, futebol e depois a bebida que está sendo promovida. Já tentou jogar bola com a barriga cheia de refrigerante?

A dica, então, é que você comece a ver as propagandas com um olhar crítico. Qual a fantasia que eles estão tentando vender aqui? Por que essa coxinha custa o dobro só pelo fato de ter a palavra “gourmet” ao lado? Eu preciso mesmo de uma linha a mais de aplicativos no meu celular? A Angélica realmente usa Niely Gold para ficar com o cabelo assim?

Veja as fantasias se formando e corte-as pela raiz. OK, Sr. Publicitário, eu entendi qual foi a sua estratégia, mas não vai colar aqui.

Praticando isso diariamente, com o tempo você estará craque em reconhecer que boa parte das “necessidades” que você tem são inventadas pela mente influenciada pela propaganda. Se foram construídas pela mente, também podem ser por ela desconstruídas. Você só precisa se conscientizar delas e abandoná-las.

Receba as atualizações

4 Comentários

  1. AdBlock é a melhor coisa que eu já instalei no meu computador nos últimos anos. Funciona mesmo. Não sei nem o que é propaganda na web mais.
    Tô curtindo o site!! Parabéns!!

    Marcio CS
    http://www.marciocs.com.br

    Responder
  2. […] http://mude.nu/alerta-a-publicidade-pode-estar-acabando-com-a-sua-vida/ […]

    Responder
  3. Muito bom o texto.
    Gostaria de compartilhar umas dicas que uso para comprar algo de que preciso.

    Smartphone: Só compro depois de muitas pesquisas e claro, sempre compro modelos antigos, pois são bem mais baratos. Hoje um smartphone no valor R$ 1.000,00 vai te proporcionar a fazer tudo que os tops fazem, porém com uma velocidade menor, tipo 1 segundo a menos, isso mesmo, ou seja, você não precisa gastar tanto. (Lembre-se, só quem trabalha com fotografia e marketing vai precisar de mais de 13 MP para as fotos)

    Viagens: Quando você programa uma viagem, como de costume, você pesquisa quase toda semana para encontrar uma promoção. O resultado é que você vai encontrar somente um preço um pouco melhor, ou não encontra para data desejada. Isso porque as empresas utilizam o recurso do seu computador para as armazenar “as” suas pesquisas, e diante das informações ele sabem que você deseja muito ir para determinado lugar, assim, eles vão te oferecer sempre o mais caro. Minha dica é apagar semanalmente os cookies do computador, isso ajuda na hora que você for escolher.

    Abraços

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *