Uma organização não-governamental americana está colocando em prática uma campanha ambiciosa.

A ONG “Um mundo livre de reclamações” desafia as pessoas a passarem 21 dias sem reclamar de absolutamente nada.

As pessoas que aderem ao desafio utilizam uma pulseirinha de borracha roxa com as inscrições “A Complaint Free World”. Quem falhar e acabar reclamando de algo, mesmo que mentalmente e apenas para si mesmo, tem que recomeçar do zero no dia seguinte.

Quando isso acontece, é preciso passar a pulseirinha para o outro braço. O desafio exige que sejam 21 dias em sequência porque esse é o tempo que se leva para formar um hábito, segundo os especialistas.

Complaint Free World bracelete

A pulseira é apenas um lembrete, o que vale mesmo nesse desafio é criar o costume de assumir o controle da sua própria vida, sem ficar jogando a culpa nos outros, sem assumir o papel de vítima.

Quando você não tem a opção de reclamar, acaba tendo que se fazer perguntas mais inteligentes.

Por exemplo, você sozinho no seu carro preso no trânsito de uma grande cidade. Se você não pode reclamar do trânsito, logo vai perceber que na verdade você é o trânsito.

O desafio dos 21 dias sem reclamações é recomendado em dois livros sobre os quais já falamos aqui: Trabalhe 4 Horas por Semana, de Tim Ferriss, e Os Segredos da Mente Milionária, de T. Harv Eker.

E aí, vai encarar?

Receba as atualizações

11 Comentários

  1. Eu achei a ideia boa e resolvi tentar, mas com uma pulseira qualquer. O negócio é que não funcionou bem, porque eu consegui mudar o hábito de não anunciar minhas reclamações, mas eu continue a reclamar sobre o que me dava vontade, mas de modo interno. Creio que não seja esse o objetivo do exercício, então pra mim vai ser necessária mais que uma pulseira para mudar a cognição sobre reclamar.
    Ainda assim, ótimo post.
    Ótimo blog, parabéns.

    Responder
    • Eu tento praticar isso durante o dia. É difícil, mas eu penso que só de você perceber o quanto reclama e se questionar se é susta a sua reclamação já é um exercício excelente. Eu comecei a reclamar menos, acho que o mundo sai ganhando. Sucesso a todos e todas!

      Responder
  2. A pulseirinha que deixa você livre das reclamações. http://goo.gl/f0HSR

    Responder
  3. Boa tarde,

    Estou lendo “Pare de reclamar e concentre-se nas coisas boas”,do pastor norte-americano,Will Bowen.Segundo o autor,você muda a pulseira de braço se reclamar verbalmente,Mentalmente,não conta.Suas reclamações verbalizadas exigem que você troque de braço,imediatamente,e recomece dali.No dia seguinte é inválido.Portanto,Júlia,internamente,você poderá reclamar.O ato de deixar de reclamar verbalmente,com o tempo,transforma o mental.
    Espero ter ajudado.
    Eu vou fazer e vou conseguir.Quem sabe voltemos a nos encontrar,aqui.Quando eu terminar meus 21 dia sem reclamações,postarei minha vitória.
    Abraço a todos.

    Responder
  4. Gostei muito.

    Responder
  5. Eu tento praticar isso durante o dia. É difícil, mas eu penso que só de você perceber o quanto reclama e se questionar se é susta a sua reclamação já é um exercício excelente. Eu comecei a reclamar menos, acho que o mundo sai ganhando. Sucesso a todos e todas!

    Responder
  6. Já estou tentando há uma semana e até agora não consegui ficar um dia sequer sem reclamar. No entanto, como a Julia falou, estou adorando o exercício, pois estou percebendo o quanto sou reclamona. Logo depois de reclamar eu já penso: “O que poderia ter feito ou falado ao invés desta reclamação? Que outra maneira poderia ter sido minha atitude?” Então acho que aos poucos estou conseguindo diminuir meu nível de reclamações. A vitória para mim será quando conseguir ficar um dia inteiro sem reclamar de nada mesmo. Aí posto aqui pra vcs.

    Responder
  7. Aonde posso comprar está pulseira, sem ser pela Internet?

    Responder
  8. Oi meu nome e Luciane Coelho.
    Sou uma pessoa que reclamo no extremo,tenho 44 anos e tenho 3 filhos.
    Dois deles ja casaram e tenho duas netas,uma delas moram comigo e a minha filha tb.
    Trabalho quatro dias na semana,na maioria dos dias e de 9 da manha as 6 da noite.
    Levo minha neta na escola na parte da manha 3 dias por semana antes de ir trabalhar,muita correria.
    Bom nao estou reclamando.kkkkkkk
    Mais trabalho fora ajudo com a neta,cuido da casa e ainda cuido de marido.(tenho um filho de 23 anos que mim dar muito trabalho).fora que tenho que ficar de olho nas contas pra nao deixar acumular.
    Pois meu esposo lindo,kkk trabalha muito tambem,I e um pouquinho devagar.
    Sinto muitooooo cansada e estressada,e ai vem as reclamacoes e peco pra eles mim ajudar.
    Mais pra eles tudo ta bom.
    Tenho vontade de ficar de ferias pelo aumenos 30 dias.
    Mais nao posso.
    E assim e vida que segui.quero ganhar a pulseira da Ana Maria Braga do Mais voce ou a roxa de complaining free.????

    Responder
  9. Bem pretendo adotar a dica mas com uma diferença. Eu mesma fiz minha pulseira de elástico branco de costureira, 3cm de largura. Escrevi o que quero ( Foque sempre a palavra que deseja vibrar), escolhi as palavras aprovação e gratidão! Dou um puxão no elástico me causando desconforto e na “DOR” medito na atitude mais produtiva. Mesmo que eu não precise puxar o elástico, a pulseira em si com as palavras gravadas já é um lembrete antes de ser flagrada no mi mi mi, me ajuda a focar antes que algo saia do esperado.Não sou reclamona, inconformada ou ingrata, as vezes estou irritadiça (TPM), por isso me estresso porque esqueci algo em casa, ou perdi o ônibus, ou porque tropecei ou errei na comida, ter que resolver assuntos burocráticos, operadoras de celular e por aí vai. Aí uso palavras como: que saco! que droga! que inferno! Palavras tem poder de materializar e emperrar a vida da gente e te impedem de ver a solução. Quero me livrar destas palavras. Mas para isso vem junto a consciência de mudar as sensações por primeiro mudar opiniões e ressignificar cada situação. O elástico te faz parar e digerir o acontecimento, um minuto para refletir como poderia ter reagido aquilo e seguir se prontificando com a nova atitude desejada, por exemplo percebendo que aquilo não é o fim do mundo ,aceitando acidentes e imprevistos, aceitando que sou humana. E de quebra associando com “Dor” que registra a experiência na nossa caixinha de “Inteligência Emocional”. Emoções se educa sentindo!
    Namastê!!!

    Responder
    • Muito bom, Patrícia. Penso que no objetivo de tudo isso é nos tornarmos mais CONSCIENTES, e deixarmos de agir tão no automático (INCONSCIENTE). Ainda não faço uso da pulseira, mas há um tempo atrás usei uma liga (daquelas de amarrar dinheiro) pra fazer o que você fez, e cada vez que um pensamento indesejado me vinha a mente eu esticava a liga e sentia dor física. Funcionou e eu reduzi quase a zero aqueles pensamentos que me deixavam muito para baixo, prejudicando minha auto estima. Tornar-se consciente é permitir que nosso Ser apareça e prevaleça em nossos atos, palavras e pensamentos.
      Namastê!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *