Morar fora do país é um sonho para muitas pessoas. Sobretudo porque elas pensam que, quando estiverem vivendo no exterior, automaticamente todos os problemas dissolver-se-ão.

Como se você viajasse e os problemas ficassem no Brasil, sem visto de entrada para o novo país. Como se o um dia fosse finalmente chegar.

Nada mais falso. Outro dia vi uma excelente entrevista do Seiiti Arata com o Gustavo Gitti em que este dizia que não adianta você ir para Bora Bora achando que tudo vai mudar. Não vai porque é você que vai para Bora Bora, com sua mente, com seu corpo.

O ponto é: se você mesmo não muda, não adianta dar a volta ao planeta. Sua mente e seu corpo estão indo com você.

Já morei fora e tinha exatamente essa expectativa. Assim que pisasse em terras estrangeiras, a vida seria completamente diferente. Não é verdade. Mudam os locais, mudam os problemas.

Revolutionary Road

Existe um filme espetacular sobre esse assunto, chamado Revolutionary Road (Foi Apenas um Sonho), com o casal XX do Titanic, Leonardo DiCaprio e Kate Winslet.

Apesar da dupla de protagonistas e do título em português, não espere por uma comédia romântica e sim por um drama que aborda justamente o tema deste post.

Revolutionary Road, com Leonardo DiCaprio e Kate WinsletO filme apresenta um casal que, alguns anos depois do casamento, parece ter perdido o ímpeto. Os filhos nasceram, é preciso manter a casa, e para isso submeter-se a um emprego medíocre.

Chega um dia que a esposa decide dar um basta e surge com uma ideia para o marido: vamos morar em Paris! Lá sim, as coisas vão funcionar, o tesão vai ressurgir, tudo serão flores.

Não direi o desenrolar da história, mas peço aos que assistirem que fiquem atentos ao posicionamento do diretor em nunca deixar claro se é partidário da covardia do marido em hesitar em viajar ou do idealismo da esposa em acreditar que na França tudo será diferente.

Enfim, vejam e comentem aqui o que acharam.

Receba as atualizações

Publicado por Walmar Andrade

Criador do Mude.nu, Walmar Andrade é bacharel em Comunicação Social, com extensão em jornalismo on-line (UFPE), MBA em Planejamento, Gestão e Marketing Digital (FECAP-SP) e Master en Comunicación Empresarial (INSA-Barcelona). Escreve sobre comunicação e marketing digital no blog Fator W.

4 Comentários

  1. Concordo com o post, mas também vale lembrar que existem pessoas como eu que não querem morar fora para se livrar dos problemas, e sim para desfrutar dos vários prazeres que isso proporciona.

    Responder
    • Concordo plenamente.
      Eu pretendo morar fora para poder aprender a nova língua e cultura. Problemas você terá em todos os lugares do mundo.

      Responder
  2. isso é bem verdade, tudo está no nosso interior, o exterior é só reflexo. tem dias que estamos bem mesmo chovendo horrores lá fora, já tem dias que tá sol, tá azul, tá lindo, mas dentro de você chove e chove. eu só acho que o texto não é 100% certo em todos os casos. às vezes mudar de ares, de cidade, de país, de casa, pode sim desenrolar uma mudança interior, mas pôr todas as expectativas em algo externo é loucura. ah e vi esse filme, achei bem triste principalmente porque na época eu tava no processo de imigração pro Canadá e fiquei com medo de ser ‘apenas um sonho’. mas não foi, algumas sim, claro, porque a gente planeja e idealiza, mas outras foram bem realidade – e outras foram melhores do que o planejado :)

    Responder
  3. Eu assisti o filme e não concordo nem um pouco com o texto..
    Você se mudar do Brasil vai trazer muito mais tranquilidade, porque aqui é um país onde vivemos com medo de tudo, inclusive de sair na rua, de ser queimado num assalto… Infelizmente o nosso país está de mal a pior e ficar não vai resolver nada, as pessoas que moram em São Paulo tem crises de ansiedade e depressão equivalentes a pessoas que moram em países em guerra..
    Cada um tem que buscar o seu objetivo, aqui ou fora daqui..

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *