Neste exato momento, milhões de pessoas estão estudando para concurso público no Brasil.

E uma coisa é fato. A maioria não irá passar.

Há pessoas que estão estudando agora que nunca chegarão perto de tomar posse num cargo público.

Não estou fazendo terrorismo, mas me baseando em dados concretos.

Como sei? Ora, é simples: Não há vagas para todos.

A oferta de vagas quase sempre é esmagadoramente menor que o número dos candidatos. Ou seja, sempre haverá candidatos “sobrando”.

Apesar de ser assustadora, a relação candidatos versus vagas não é, em si, o motivo das pessoas não lograrem êxito no concurso de seus sonhos.

A formação acadêmica, apesar de ajudar indiretamente, também não é a principal responsável pelas desistências ao longo do processo.

São fatores relacionados à personalidade do indivíduo que mais contribuem para o sucesso ou fracasso dos candidatos.

De fato, quase sempre, é a própria pessoa que se autossabota durante a jornada. A maior parte dos que iniciam a marcha desiste por motivos aparentemente “inexplicáveis”, totalmente “alheios” à sua vontade.

Antes de mais nada, que fique claro que quem passa em concurso público não é melhor que ninguém, nem mais inteligente. Há pessoas de má índole e babacas em todos os círculos sociais e econômicos. A aprovação não vai transformar você em algo que você já é.

No entanto, a pessoa que passa em um concurso público apenas se comportou de uma forma que favoreceu sua própria aprovação. Veja que eu disse comportou, não disse nasceu.

Comportamento é escolha e para você passar você deve fazer as escolhas certas.

Concurso público: candidatos

Só há dois tipos de candidatos de concurso público

Simplificando, nesse meio, há dois tipos de candidatos:

  1. os que apenas desejam passar; e
  2. os que realmente querem passar.

Se você estuda há algum tempo para concurso público sem lograr êxito, muito provavelmente você apenas deseja passar. Não quer de verdade.

As pessoas que apenas desejam passar e melhorar de vida representam a maioria dos candidatos. Elas desejam ter uma casa melhor, um carro mais bacana, usar roupas de marca, viajar, conhecer a Disney, enfim fariam de tudo para ter uma vida mais plena.

Não há nada de errado em querer melhorar de vida e realizar sonhos materiais legitimamente. Não é disso que estou falando.

As pessoas que realmente querem também têm seus sonhos, assim como as pessoas que desejam.

Entretanto, há diferenças básicas entre elas. E justamente são essas diferenças de comportamento é que definem quem vai conseguir derrubar o muro e quem vai ficar chorando pelos cantos.

9 diferenças entre quem apenas deseja e quem realmente quer passar em um concurso público

Vamos ver agora as nove principais diferenças entre quem apenas deseja passar e aqueles que realmente querem passar em um concurso público, ou seja, entre os que se comportam como passageiros e os que decidem assumir o comando de suas próprias vidas.

1. Quem deseja passar não acredita de fato que vai passar

Concurso público: estudo

Por que passo o dia estudando? Porque sei que vou passar.

A pessoa que desejaria melhorar de vida estuda com o pensamento de que “quem sabe dá certo um dia”.

Quem quer de verdade estuda com sangue nozói e o coração cabiludu.

A pessoa que quer senta para estudar e age de uma maneira que aquele seu esforço vai, de alguma forma, produzir algum efeito positivo em sua vida.

Quem deseja passar é um jogador. Quem quer passar é um soldado. E, de uma forma geral, nós validamos com atitudes aquilo em que acreditamos.

Se você se nutre com pensamentos positivos de esperança, você irá agir de forma a validar esses pensamentos.

Quem não acredita que vai passar, não estará disposto a fazer o que for preciso o tempo que for necessário e criará uma série de restrições ao seu avanço.

Vou dar um exemplo pessoal para você entender melhor o que é querer de verdade.

Quando eu estudava, meu superior na Marinha me chamou para comunicar que minha casa na vila dos oficiais havia sido liberada, me deu os parabéns e perguntou quando eu iria me mudar.

Agradeci e disse que não iria me mudar, pois iria fazer apenas uma mudança naquele ano, depois que eu fosse aprovado num concurso público (não havia nem edital na praça).

Preferi pagar aluguel até o final do ano que me mudar para a vila dos oficiais.

Acabou que foi justamente naquele ano que passei e me mudei definitivamente. Endossei com ações aquilo em que eu acreditava.

Está gostando deste texto?

2. A vida dos que desejam é baseada no “mas”

“Eu adoraria passar para Auditor da Receita Federal, mas eu não gosto de Contabilidade”. “Eu queria tanto passar no concurso do BACEN, mas é tão difícil”. “Eu estou estudando, mas vai levar muito tempo, a concorrência é grande”. “Eu desejaria tanto passar para o TCU, mas nossa, é muito complicado”…

A vida dos que querem passar é guiada por uma espécie de cegueira. Na verdade, o foco dos que querem passar é muito estreito. Eles veem a missão e nada mais.

O restante (respeitando o bom senso natural) é obstáculo que deve ser ultrapassado. “Matemática? Eu aprendo. Uma hora eu aprendo”. “Concorrência? Tô nem aí, deixa eu estudar”. A pessoa que deseja passar dá ênfase aos obstáculos.

A pessoa que quer passar dá ênfase na sua capacidade de continuar de alguma forma. Ela assume o comando da sua própria vida e guia o avião para o destino desejado, apesar das dificuldades.

3. Os que desejam adoram se fazer de vítimas

Culpa de não passar em concurso público

A culpa de não passar no concurso público não é minha…

“A culpa é do CESPE, que tem esse estilo canibal”. “A culpa é do material que escolhi, do professor ruim”. “A culpa é dos meus pais ou do meu marido/esposa, que não me dão força”.

Agora eu pergunto a você: quem escolhe estudar ou não? Você. Quem decide se vai ver NETFLIX ou sentar na escrivaninha? Você. Quem escolhe agir ou não? Você.

A culpa, quase sempre, é sua. Não quero dizer sempre, pois não conheço a vida de todo mundo. Mas, pelo que eu já vi, a responsabilidade pelo fracasso ou sucesso da jornada é da própria pessoa. Quem passa cria sua preparação e se sente responsável por ela.

Não existem vítimas aprovadas.

4. Quem deseja melhorar de vida e não quer de verdade arruma desculpa para tudo

Os “desejadores” são os mestres da racionalização. “Hoje não deu, porque meu trabalho, sabe como é, foi puxado”. “Hoje não deu, porque, nossa, esse friozinho dá uma vontade de comer uma pizza, né?” “Ah, preferi nem estudar, porque eu só tinha uma hora”.

Quem deseja é mestre em apontar dificuldades e se tornar passageiro das circunstâncias. Quem quer é mestre em ignorar o drama e pilotar seguramente rumo ao objetivo. Ignorar a dor, o desconforto e as pequenas distrações pelo caminho. Como disse, foco estreito, foco na missão.

5. Quem deseja vive com culpa do passado e do futuro

Culpa pelo concurso público

Concurso público? Culpa hoje, culpa amanhã…

Quem não estuda, mas deseja melhorar de vida vive com culpa.

Culpa de não ter estudado quando podia, claro. Mas culpa também com relação aos dias futuros que ele não estudará, pois quem deseja e não quer sabe que não vai estudar, tamanha a falta de fé em si mesmo.

A única culpa que a pessoa que quer de verdade carrega é a de não ter estudado mais ontem, pois foi vencido pelo cansaço físico. Mas é uma culpa que nem é culpa direito. É apenas um sentimento de que poderia sempre um pouco mais. É o que impulsiona a pessoa que quer: querer melhorar sempre.

6. Os que apenas desejam passar sentem inveja de quem passa

Costumo escutar às vezes “não estudei hoje, porque fiquei sabendo que meu amigo de infância passou e ele era mais burro que eu na escola. Isso me abalou”.

Esse sentimento, na verdade, chama-se inveja e é muito feio.

Observe as pessoas que passaram e queira estar ali também. Sinta-se merecedor de servir ao lado das pessoas que você admira. Muitos deles serão seus colegas de trabalho daqui a uns dias.

Veja quais comportamentos as pessoas que passaram tiveram em suas preparações e tome para você os bons exemplos.

Sentimentos mesquinhos de inveja e revanchismo nunca, na história da humanidade, levaram alguém a algum lugar. Não se compare e adote uma postura mais grata com relação à sua vida.

7. Quem deseja se arrasta

Concurso público se arrastando

Arrastando-se você nunca vai passar em um concurso público…

Para quem não quer de verdade o momento do estudo é como uma tortura.

Não estou dizendo que estudar para concurso é a coisa mais legal do mundo. Mas é o que precisa ser feito para ser aprovado. E, se precisa ser feito, que tentemos encontrar prazer na jornada por dois motivos:

  1. você não sabe quando vai passar e, portanto, estudar será a sua realidade por tempo indefinido; e
  2. seu rendimento será muito melhor se estudar com vontade.

Como disse, endossamos com ações aquilo em que acreditamos. Se você acha estudar chato, você não validará sua crença através de seu comportamento. Repita com você mesmo: “estudar é massa! Vou aprender coisas novas, por meio das quais melhorarei de vida!”

Pare de se arrastar e viva sua preparação. Se você não viver o processo, muito provavelmente não obterá o sucesso.

8. A pessoa que deseja adora reclamar

Você já viu uma pessoa aprovada num bom concurso público reclamando de tudo o tempo todo? “A matéria é chata, detesto estudar, o processo é injusto”. Talvez você tenha visto, mas eu nunca vi.

Ao invés de reclamar, seja grato pela oportunidade que está tendo de se aperfeiçoar com seu próprio esforço. Você acaba atraindo o que emana. Se você reclama o tempo todo, você atrairá até você um monte de obstáculos.

Você já notou como é sofrida a vida de quem reclama? Seja positivo e pare de reclamar!

9. O pior de todos: falta de humildade

Concurso público pedante

Eu sei exatamente o que devo fazer (exceto pelo fato de que não passei ainda…)

Às vezes recebo uns e-mails do seguinte tipo: “estou te escrevendo, pois quero ver como esse é negócio de coaching para concursos. Tô precisando passar num concurso logo”. Desse jeito mesmo, sem nem um “bom dia”.

Aí eu pergunto: “você estuda como”? A pessoa diz: “eu faço assim”. Eu digo: “talvez seja por isso que você não tenha passado. Isso é algo a ser corrigido”. A pessoa, quando responde, diz assim: “mas é assim que eu faço, são esses os livros que eu gosto, então é assim que vou fazer”.

Então tá, né?

Abra mão da necessidade de estar sempre certo e veja o que as pessoas aprovadas têm a lhe oferecer. Não precisa contratar um coach. Não estou dizendo isso. Estou dizendo para você se abrir para novas possibilidades.

Quando estava endividado e olhava para aqueles livrinhos de educação financeira na estante da livraria pensava comigo: “que chatice”!

Mas o universo tem um mecanismo lindo para lidar com a falta de humildade e egos inflados: sofrimento.

Quem não tem humildade de aprender, assim como eu não tive naqueles tempos sombrios, sofre até se ver numa posição em que a única saída é pedir por ajuda. Isso é lindo!

Imagine se não houvesse essas engrenagens invisíveis por aí? Quantas pessoas com potencial ficariam anos batendo a cabeça na parede por falta de humildade. O sofrimento é uma oportunidade de crescimento.

Ninguém nasce com o direito legal de ser bem sucedido. Você tem que brigar pelo sucesso. Os cargos vagos não são tronos esperando por herdeiros, mas por guerreiros, por pilotos!

Quem quer passar de verdade entra para ganhar. Nós só conseguimos aquilo que realmente queremos.

Querer é com o coração. Desejar é com a cabeça, com a razão.

Você sabe que passar é o melhor para você, mas você não quer de verdade, apenas deseja. Quem quer assume o compromisso firme de ser aprovado. Quem apenas deseja, gostaria de ser aprovado.

Estudar para concurso não é um encontro de jovens. É preciso sacrifício com responsabilidade, comprometimento, estratégia e profissionalismo.

A partir disso, faça-se a seguinte pergunta: que tipo de vida eu quero levar? Vou abandonar meus sonhos? Vou perder a briga invisível que se desenrola na minha mente? Lute por aquilo que acredita! E endosse sua crença com ações.

Fiz um cartaz para ajudar você na sua caminhada. Que você nunca mais esqueça a diferença de quem quer e quem deseja e que você, todos os dias durante a sua jornada, escolha passar de verdade. Baixe aqui seu cartaz.

Baixe gratuitamente meu e-Book: “Ninguém quer ser concurseiro em uma tarde de verão”.

Receba as atualizações

Publicado por

75 Comentários

  1. Essa questão de querer e desejar é válida também para quem vai prestar vestibular, pois há uma certa diferença entre você querer passar em determinado curso e desejar passar (seja por status, por tradição de família etc). Excelente texto, parabéns!

    Responder
    • Com certeza Paola. Se aplica em várias áreas de nossa vida. Gostei de seus exemplos sobre “desejar”. Obrigado pela contribuição e pelo comentário. Abs!

      Responder
      • Olá Igor, estive dando uma olhada pela internet e um site leva ao outro e acabei chegando aqui. Parabéns pelo trabalho, pelo texto que serviu-me como um soco no estômago. baixei seu e-book, acabei de ler a maioria dos tópicos aqui rapidinho e acabo de analisar que somos todos iguais, quem passa é aquele que tem acima de tudo inteligência emocional.

        Gostaria de saber como funciona o método seu como coach, investimentos etc.

        Não conseguir baixar o cartaz , disponivel no referido link https://drive.google.com/file/d/0B5EH9TFbKlFxcUh0ZExDakthQlk/view gostaria de recebe-lo, se possivel por e-mail mesmo.

        Grato pela atenção. Grande Abraço e sucesso

        Responder
        • Olá Samuel, obrigado pela participação. Realmente o cartaz saiu do ar e não mudei o link. Sobre o coach, mande um email pra mim ou me contacte no face/twitter. Abs!

          Responder
    • Nossa cara, me emocionei, pois teve um dia que estava com os olhos doendo muito e poderia ter dito vou dar um tempo, depois estudo, mas não fiz isso peguei um oculos escuro triste de feii e com um remendo mas foi esse oculos que me ajudou a estudar pois as dores passaram mais!
      estou me sentindo muito determinado pronto para guerra !

      Responder
  2. Senti um grande tapa na cara agora! Parece que vc me descreveu ao falar dos que apenas desejam… Obrigada, este texto veio na hora certa. Faz um mês que eu mudei completamente a forma como estudo e posso te falar que está fazendo uma grande diferença. Depois de um pouco mais de 2 anos estudando pra concurso e só passando em cadastro reserva, eu quase desisti de tudo até perceber que o único motivo para o meu fracasso era eu mesma…Adorei o texto! Parabéns!

    Responder
    • Olá Rafaela, só de você conseguir se observar e tirar conclusões maduras sobre sua preparação já mostra que você tem o ingrediente principal: humildade. Ponha em prática os ensinamentos e estude com afinco! Nunca vi dar errado pra quem não desiste. Conte sempre comigo! Abs!

      Responder
  3. Excelente texto, Igor!

    Depois de alguns anos “estudando”, logrei êxito em ser aprovado e atualmente sou servidor público. Entretanto, passei por vários estados mentais mencionados em seu texto.

    Durante minha época de estudos, eu simplesmente não acreditava que conseguiria ser aprovado. Acredito que tal pensamento negativo e limitador decorria da minha baixa autoestima e falta de confiança à época. Hoje eu percebo o quanto tal pensamento negativo me prejudicou, uma vez que determinou minhas ações, diminuindo minha motivação, etc…

    Outro pensamento limitador era sempre focar nos obstáculos, tais como falta de tempo, dificuldade para entender a matéria estudada. Tudo isso gerava ansiedade, de modo que não conseguia me concentrar e absorver o conteúdo estudado.

    Isso tudo culminava no hábito de postergar os estudos, de modo que não consegui obter constância e demorei a ser aprovado.

    Atualmente, estou estudando para outro cargo público, dessa vez condizente com minha formação em direito e estou muito mais confiante, por já ser servidor público. Contudo, penso que quem conseguir trabalhar a auto-confiança desde o começo, vai estar muito mais perto da aprovação.

    Responder
    • Olá Hensi, obrigado pelo seu depoimento e por endossar o que escrevi. E concordo plenamente contigo. Focar nos obstáculos não é atitude de vencedores. Vencedores são “bola pra frente”, pessoas capazes de focar em sua capacidade de continuar. Desejo que você seja o piloto da sua vida! Abs! Igor.

      Responder
  4. Excelente texto, me fez refletir em muitos pontos.
    Querer e desejar é um divisor de águas na nossa vida.
    Obrigada por compartilhar.

    Responder
    • Que bom que gostou Stefany. Nunca se esqueça: o comportamento independe do pensamento. Você não precisa estar feliz para estudar. Basta que você estude! Assuma as rédeas de sua preparação e conte sempre comigo! Abs!

      Responder
  5. Absolutamente fantástico! Um dos melhores artigos que já li sobre concursos!

    Responder
    • Olá Erica, agradeço seu comentário. Fico muito feliz em ter ajudado! Aproveite a comunidade do mude.nu para interagir com outros concurseiros. Isso ajuda bastante! Uma das formas de motivação que utilizei em minha preparação foi me mantendo em contato com outras pessoas com objetivos semelhantes aos meus. Abs! Igor.

      Responder
  6. Adorei o texto Igor, um choque de realidade!

    Abraços, continue assim!

    Responder
    • Olá Francisco, como vai? Fico feliz que tenha contribuído com sua preparação. Conte sempre comigo! Abs!

      Responder
  7. Pessoal, pela primeira vez, eu vou discordar de algo aqui no mude.nu. Algumas pessoas se identificam com o que foi escrito aqui porque ainda não passaram, é fato que nem todo mundo vai passar, tem poucas vagas e etc, mas com certeza, não é apenas o seu “mindset” entre querer e desejar, que vai fazer toda a diferença na hora de estudar e passar. Pessoalmente eu me formei em universidade pública, passei em concurso, ocupo o cargo atualmente de contador e parece que quanto menos eu me preocupo, mais eu passo. Sério, já prestei concursos em que me sacrifiquei, acordei respirando concurso, estudava infinitas horas por dia… e não cheguei nem perto, por outro lado, passei para os que não estudei. Então assim, o que importa mesmo é paciência, eventualmente você domina todas as matérias, vai ficando mais experiente em fazer provas e etc… pessoalmente, o melhor método que encontrei para continuar estudando, foi pagar uma pessoa para me fiscalizar. nesse caso, um “coach”, um sargento, uma mãe, uma tia. O resto foi tempo, simplesmente porque há um limite físico de o que você pode fazer com o tempo que você tem

    Responder
    • Olá Geraldo, obrigado pelo comentário. Concordo contigo. Paciência é fundamental, afinal de contas ninguém sabe quando vai passar. Abs! Igor.

      Responder
  8. Boa noite!!
    Excelente texto!!
    Acabei de descobrir que quero passar, mesmo depois de muitos anos apenas desejando passar.
    Concordo com você em todos os aspectos!! Pretendo aplicar essa atitude em todas as áreas da minha vida.
    Ótimos conselhos!
    Deus te abençoe para continuar a ser instrumento de motivação!

    Responder
    • Olá Deborah, obrigado pelo seu comentário. Fico feliz de saber que te ajudei. Conte sempre comigo e aproveite a comunidade do mude.nu. Abs!

      Responder
  9. É sempre bom ouvir essas palavras de alguém que já foi um de nós, concurseiros. Nos revigora, anima e nos transforma. Principalmente, porque tem resultados positivos. Temos sempre que “esperançar”, mas não quietos, “esperançar” estudando e acreditando que é possível. Sangue no zói e coração cabeludo!!! Rsrrsrsrs.

    Responder
    • Obrigado Najla. Que bom que gostou! E concordo contigo. É preciso “esperançar”, mas com trabalho duro, disciplina. Sangue nozói! rs…abs!

      Responder
  10. Boa tarde.

    Esse texto foi bem direto comigo. Passei em um concurso muito concorrido recentemente. Porém no cadastro de reserva. Eu não acreditava que passaria eu apenas deseja. Se tivesse assumido a postura de piloto . teria sido titular e estudado com atitude de vencedor não de jogador.
    Obrigado pelo texto .

    Responder
  11. OI a todos!
    Gostaria de deixar o meu depoimento. Falando de mim como concurseira. Todos nós temos uma História. Sempre tive problemas com meus pais desde pequena, infância difícil. Isso me causou transtorno de ansiedade. Apesar disso, passei num vestibular para faculdade pública. Após o término tive depressão, época difícil, mas mesmo assim, com o que podia, estudava para concursos. Passei vários aniversários estudando. Hoje, depois da depressão, tenho um ótimo relacionamento com meus pais, não tenho mais ansiedade nem depressão. Passei para um concurso Federal e Aguardo, estudando, a nomeação. Só para resumir a minha História eu digo: Não ignoro os problemas de ninguém, pois, além da minha história, conheço muitas outras , e foram histórias de pessoas que superaram suas dificuldades onde encontrei forças para superar meus desafios.

    Responder
    • Bacana Adelene. Obrigado por compartilhar sua história conosco. Parabéns pelas conquistas! E conte sempre comigo! Abs!

      Responder
  12. Ótima reflexão! Hj sou servidor federal e já passei muito por isso, e quando pessoas me procuram para saber minha rotina, penso exatamente tudo q vc escreveu.

    Responder
  13. Excelente postagem…

    Eu fico alucinado quando estou estudando. Passo o dia no trabalho só pensando. Não sinto vontade de dormir mas sei que é preciso. Cada vez que estudo me sinto apaixonado. Sou casado e tenho 3 filhas mas fico tão concentrado nos assuntos às vezes em casa não consigo nem conversar com ninguém pra não perder a concentração. Fico doido de raiva quando não consigo estudar o programa do dia por conta dos impedimentos em casa. Nunca me canso e cada dia me sinto mais forte. Sei que minha esposa sente com isso e as meninas também, mas eu não consigo ser diferente. Quando é concurso eu não meço os limites do meu corpo e quero aproveitar cada segundo e sei que prejudico pessoas que amo. Porque não consigo fazer mais nada e só penso em estudar.Talvez precise de ajuda. Se alguém puder dizer alguma coisa eu agradeço gente…

    Responder
    • Prezado Adilson, eu sugiro, com base na minha própria preparação, que vc tente estudar com equilíbrio. No final, o que importa é aprender. E viver tenso não ajuda em nada o processo de agregação de conhecimento. Com organização dá pra dar atenção a tudo. Conte sempre comigo! Abs!

      Responder
  14. Mineiro,
    Tenho uma grande admiração por você é uma imensa gratidão pelos seus textos. O Joãozinho, que já não mais é “inho” como deve ter permanecido em suas lembranças, tem entendido várias coisas que venho falando há anos e até então, não tinha conseguido. Parabéns pelos textos, pois atinge com absurda precisão os ” Joõeszinhos e Jooeszões”! Forte abraço, meu amigo!

    Responder
    • Arruda! Que legal te encontrar aqui! A internet diminui o tamanho do mundo, né? rs…assim como o Joãozinho ainda é “inho”, você ainda é aquele aspirante engraçado e gente fina. Espero que esteja tudo bem aí na Antártica! Conte sempre comigo! ADSUMUS!

      Responder
  15. Olá, Igor!

    Que bom te encontrar por aqui também; te acompanho pelos artigos do Ponto e pelo Programa Motivacional, do qual participei. Seus textos são ótimos e realmente inspiram, motivam e nos impulsionam a fazer o que realmente deve ser feito.

    Forte abraço.

    Responder
  16. Boa Noite professor Igor e muito obrigada pelo excelente, motivacional e inspirador texto. Eu me identifiquei bastante com ele e venho aprendendo bastante com seus textos, desde seus artigos no ponto e seu ebook, que li em uma noite. Depois de um tempo vi que a minha reprovação era por minha total culpa e aprendi ver as coisas de um modo positivo e me adaptando às situações e me organizando é claro, porque sem planejamento não dá. Além do “acreditar”,do fazer e do “poder de visualizar” é preciso ser positiva mesmo porque este te impulsiona a agir e realizar as últimas 3 ações que eu falei. Muito obrigada por me mostrar tudo isso!!!

    Responder
    • Olá Beatriz, fico muito contente em saber que te ajudei! Obrigado pelo comentário e conte sempre comigo! Abs!

      Responder
  17. Obrigado.

    Responder
  18. maravilhosa mensagem
    Meu sonho é passar no INSS e eu sei que vou conseguir ainda tenho dúvidas estou estudando de forma correta eu gostaria muito amigo Igor que por favor você me desse uma dica.tenho o dia todo para estudar e tenho 8 matérias para serem estudadas e no máximo 4 meses para estudar direito previdenciário direito administrativo ética no serviço público português raciocínio lógico informática.estou fazendo vídeo aulas Pois é meu primeiro concurso e meu primeiro contato com essas matérias mas o problema é que vi muitos concurseiros criticando estudo por vídeo aulas e vi muitos elogios a técnica que tem embasamento em realização de muitas questõesmas o fato é que realizar questões e errar muito me desmotiva profundamente pois sinto que não estou aprendendo Me emtítulo burra.o que devo fazer amigo Igor para otimizar meus estudos estudar de forma efetiva de modo a guardar os conteúdos com mais eficiência em minha mente?

    Responder
    • Olá Janaina, obrigado pelo comentário. Olha, é difícil traçar um plano por alto, pois, apesar de parecer simples, há detalhes complexos. Mas, em termos gerais, eu procuraria aprender o básico da matéria por meio dos vídeos/textos e depois partiria apenas para questões. No início vc vai errar mesmo, mas com o tempo, e a busca sistemática por respostas, vc vai melhorando. Conte sempre comigo! Abs!

      Responder
  19. Oi Igor!

    Gostei muito do seu texto, porque apesar da diferença entre o “querer” e o “desejar” parecer sutil, não é! Na verdade essa mudança de atitude tem potencial para mudar o resultado final.

    Queria também pedir uma dica, estou começando agora, fazendo um curso preparatório pela manhã e tenho o dia todo livre, montei um ciclo de estudos com 5 matérias, mas tenho 2 dúvidas: Seria melhor estudar à tarde matérias diferentes das que são dadas no curso ou as mesmas? E em que momento devo começar a inserir novas matérias? Espero terminar o conteúdo de Português, por ex, para introduzir uma matéria nova ou após um tempo aumento o ciclo para 6, 7, 8 matérias?

    Parabéns por sua trajetória e pelo carinho e atenção com que responde todos os comentários!

    Responder
    • Olá Mariana, eu é quem agradeço o comentário e a participação aqui no mude.nu. Eu estudaria as mesmas disciplinas do curso. E aumentaria para 6, 7 ou 8 matérias depois de consolidado o conhecimento nas 5 primeiras. Bom, isso é um conselho meio genérico. Mas costuma funcionar bem na prática. Abs!

      Responder
  20. Olá Lais, isso mesmo. Decida, mas decida com sobriedade. Com disciplina. E siga firme no seu propósito. Abs!

    Responder
  21. Também estou nessa luta. Sou soldado fuzileiro e sei um pouco o que o senhor passou para estudar. Faço engenharia mecânica, dou serviço e ainda estudo pra concurso. Parabéns pelo site.

    ADSUMUS!

    Responder
  22. Ótimo texto!
    Sou novata em concurso e já estou me preparando para o ano que vem. Vai ser minha primeia prova. E esse texto,me serviu de inspiração e ao mesmo tempo um tapa na cara para eu estudar mais e não perder o foco. Acreditar em mim mesma é o segredo para eu passar de primeira. E se não passar? Bola pra frente!
    E tenho um tio que se acha porque presta concurso e nunca passou.. Esses dias ele disse para mim: ” vai com calma. Você não tem chance nenhuma de passar de primeira..” e eu vou provar para ele que posso passar :)

    Responder
    • Com certeza Mari. Para esse tipo de empreitada, acreditar em si é o primeiro passo. Obrigado pela participação!

      Responder
  23. Professor, um dos melhores artigos que li na minha vida, vc foi verdadeiro, breve e objetivo, vou fazer do seu livro um guia para minha aprovação no tão almejado cargo público. Hoje, após 5 anos de muito estudo e com a confiança lá embaixo, logrei o êxito de algumas aprovações, mas não no cargo que desejo, vou mudar minhas posturas e levantar minha moral, pois o que me detonou em quase todas as provas foi o meu comportamento de perdedor, minha falta de constância nas rotinas planejadas e as fugas do estudo, sou um verdadeiro sabotador da minha vida, obrigado pelo artigo publicado.

    Responder
  24. Já passei em dois concursos na minha área, mas por motivo de mudança não pude assumir (e no fundo nunca quis atuar na minha área mesmo) Agora vou tentar um concurso fora da minha área que estava aguardando há um tempo e tenho muitos medos… Já estou com 26 anos e preciso logo de um rumo na minha vida! A baixa auto estima acaba dominando, pensamentos derrotistas, acabo me achando inferior aos demais concorrentes… Enfim, seu texto me ajudou a pensar um pouco diferente, deu-me um novo gás! Obrigada por isso!

    Responder
    • Olá Verônica, fico contente em saber que ajudei vc. Espero que tudo dê certo na sua vida! Abs!

      Responder
  25. Olá Igor, esse choque de realidade, me despertou, pois já prestei 2 vezes o exame de ordem, e não passei, mas justamente, pq eu não quero passar, mas pq eu apenas desejo passar, lendo esse artigo, descobri, o tanto de desculpas que tenho para não estudar, e no fim, me culpo por não ter estudado ontem…. e depois de ver meus colegas conquistando suas aprovações, me dói por dentro, em pensar que se eu tivesse estudado um pouco mais, eu teria alcançado a aprovação! Um muito obrigado Igor, por essa alerta!

    Responder
  26. Foco, meta, objetivo…

    Qual sua vontade sua vontade, seu desejo, seu querer?
    A resposta respectivamente é passar num concurso público, ter um bom salário e uma vida estável, qualidade de vida.

    Vamos mudar os termos: Qual seu foco, meta e objetivo:
    A resposta respectivamente poderá ser estudar, resolver e superar as dificuldades de um concurso público, conquistar uma vaga no serviço público e ter uma vida mais estável.

    Essa sequencia se deve ao fato de que o ato de estudar é a primeira condição que exigira escolhas, que devera ser objeto de opção pela pela pessoa. Por isso o foco como inicio de tudo. sem essa opção nada terá continuidade. As metas são a organização dos estudos, a forma de cada vez mais superar as dificuldades e evoluir através das condições dadas pelo foco. A cada meta superada, cada problema resolvido, maior a proximidade ao objetivo. Atingir o objetivo é a realização do desejo, da vontade, do querer. É a comemoração final. A realização do desafio. Hora de ser feliz. Pois durante esta batalha, com certeza, nada confortável será a escolha entre praia e pdfs, entre diversão e estudos. Há que se imaginar como uma fase difícil e dura a do foco e das metas, que culminara com a realização. Por isso, a abreviação dessa fase é importante e depende do empenho de cada um. Quanto maior, mais curta. Quanto mais foco, mais metas serão alcançadas. O descanso deve acontecer apenas quando o cansaço tornar improdutiva a caminhada, ou seja, quando a mente já não conseguir aproveitar o tempo de processamento das informações e perdê-lo. Aí é hora de descansar. Deixar a poeira assentar para novamente conseguir ver o caminho com clareza. Nunca deixe que este descanso inicie um processo de esmorecimento. Aproveite ele, mas saiba que tem um foco. Nunca o perca. Assim que a mente se acalmar e a capacidade de processamento voltar, de volta aos estudos.

    Responder
  27. Oi Igor!
    Parabéns pelo texto, muito realista e objetivo!

    Eu comecei a estudar por conta própria em casa há alguns meses e agora entrei em um cursinho. O que você sugere fazer com relação às matérias que são finalizadas no cursinho? Conforme elas forem acabando, eu paro de estudar em casa também? Mantenho elas no ciclo apenas fazendo exercícios? Estou um pouco confusa com a organização do roteiro de estudos, porque não sei se paro de estudar alguma matéria para incluir outra ou se vou apenas aumentando o ciclo para que todas fiquem “frescas” na cabeça até o fim.

    Muito obrigada!
    Mariana

    Responder
  28. Muito bom cara! Obrigado pela força e ajuda.

    Responder
  29. Ótimo artigo, eu “perdi” praticamente uma vida inteira na iniciativa privada e, agora aos 36 anos, resolvi mudar o jogo. Chega a ser humilhante perceber que você não sabe (ou nunca soube) o básico do português ou matemática, mas ter a humildade pra recomeçar tudo do zero novamente.

    Adicionaria na receita algo que descobri recentemente e fica aqui a indicação, pois tem me ajudado bastante, a meditação.

    Existem várias formas as quais você pode inseri-la em sua jornada, mas definitivamente o app headspace tem se mostrado uma excelente escolha, por isso fica aqui a minha recomendação headspace.com

    Responder
    • Olá Marcus! Obrigado pelo comentário. Por um acaso, eu medito…rs…mas não conhecia esse APP. Obrigado pela dica. Conte comigo! E aproveite a comunidade! Abs!

      Responder
  30. Que texto poderosooo!!! É para levar para a vida!
    Muito obrigada escrevê-lo e compartilhar!

    Responder
  31. Mto boa as dicas, uma injeção de animo na veia. Parabéns pela publicação e que seu artigo inspire outras pessoas a estudar e querer passar de verdade em um concurso publico. Que Deus abençoe.

    Responder
  32. Como se manter estudando sem entrar em desespero em um contexto onde a família corre o risco de passar fome se eu não passar ?

    Acabo de fazer o IBGE, quase passo, foi por muito pouco.

    Responder
    • Olá Barbosa. Olha, difícil, viu? Não tenho uma resposta pronta pra te dar. Aliás, acho que não há uma resposta pronta pra nada. O que eu faria seria tentar descobrir meu caminho. Abs e obrigado pela participação!

      Responder
    • Se você quase passou, por muito pouco, é sinal que a sua aprovação está cada vez mais próxima, é manter o foco a todo custo, boa sorte para nós!

      Responder
  33. Adorei o texto! Nossa teve momentos em que pensei que o texto era exclusivo para mim!
    É isso mesmo!
    Abs

    Responder
  34. Muito bom o texto. Sou servidor de uma autarquia federal e atualmente estou estudando para os trts. Ainda estou com dificuldade em resolver a minha “guerra interna” entre estudos e relacionamento sociais.

    Responder
  35. Faz 4 anos que estudo para o concurso da Receita. Lendo este texto, vi que em todos os 9 pontos citados, sou a pessoa que apenas deseja passar. Fiquei surpresa com esse banho de informações. Nunca pensei que os aprovados em concursos bons realmente considerassem o estudo como uma coisa agradável. Pelo menos ainda tenho uma frase ao meu favor: “a única maneira de você não passar é desistindo”. E eu não vou desistir.

    Responder
  36. Ótimo texto!! Uma verdade que muitas vezes não é observada e acaba atrapalhando alcançarmos nossas realizações. Muito obrigada por nos ajudarmos a refletir e despertar!

    Responder
  37. Realmente concordo com o texto, nossa mente é a nossa maior aliada, portanto temos que pensar positivo e fazer a nossa parte.

    Responder
  38. Finalmente encontrei na internet um texto que retrata a realidade sobre o assunto. Grata!

    Responder
  39. Bom dia Igor,

    Eu tenho estudado muito, mas tenho notado pouco êxito, acredito que estou estudando errado, não sei como melhorar, só sei que quero muito fazer o que tiver que ser feito para passar! Ainda tenho várias dúvidas sobre qual área seguir, preciso morar na minha cidade natal, por inúmeros motivos, então preciso passar em um concurso daqui, e escolher uma área para permanecer aqui tem me deixado muito confusa. Obrigada pelo seu texto e pela atenção.

    Responder
  40. Esse texto foi de Deus! Estava precisando ler a tempos! Muito obrigada e que Deus abençoe sua vida!

    Responder
  41. To lendo o texto em 2016, não sou concurseira (fiz só a prova do vestibular), e vi como as minhas atitudes estavam me prejudicando em muitas coisas. Parabéns pelo texto, já salvei aqui, e quando eu tiver desanimada sempre vou dar uma lida para eu me lembrar o que quero ser.

    Responder
  42. Bom dia, Igor! Estou há 8 meses me preparando para concursos bancários, como foco especial no Banco do Brasil. Sou humilde em dizer que, as lacunas não são fáceis, principalmente, relacionadas a certos comentários, tais como: “a concorrência é grande”, “você coloca muita expectativa”, “e se você não passar”, “os bancos estão passando por processos de adaptação à tecnologia, e logo deixarão de existir agências físicas”, “não coloque tanta expectativa, apenas diga: se eu passar, bem, se não, tanto faz” e a mais clichê de todas, “os bancos serão privatizados”. Comentários que, de certa forma, me amedronta. Eu costumo colocar muita expectativa em passar, pois, é o que mais quero. Minha vida resume-se a passar. Não digo por status ou dinheiro, caso contrário, poderia escolher outro concurso, visando maior rentabilidade. Os meus familiares me criticam, pois sempre coloco enorme expectativa, e não vejo como algo negativo. O que seria de nós se não colocássemos expectativas em algo que realmente desejamos? E se fizéssemos tudo por fazer, tanto faz, se eu passar?
    Não sei se meu modo de pensar é o correto, mas sempre me crucificam por pensar de tal maneira.
    Claro que, o meu medo maior é não conseguir passar, frustrar em algo que tanto quero.

    Poderia aconselhar algo?

    Responder
    • Acho que o equilíbrio entre comprometimento e tranquilidade é o desapego do resultado das ações. Afinal de contas, o resultado está no campo das probabilidades. O que vc deve fazer é se dedicar. O resultado é consequência. Bom, eu tento fazer isso e quase sempre dá certo…rs…abs!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *